Pular para o conteúdo principal

“Louvado seja Deus pelo que sou agora”, diz Alice Cooper após conversão

Alice Cooper ficou mundialmente conhecido por seus shows de rock que chocavam e provocam o público. Após sua conversão, ele deixou o alcoolismo e seu antigo estilo de vida.




Após sua conversão, o roqueiro deixou o alcoolismo e seu antigo estilo de vida. (Foto: Reprodução)

Alice Cooper ficou mundialmente conhecido nos anos 70 por seus shows de rock que chocavam e provocam o público, junto com letras obscenas, obscuras e sangrentas que, junto com seu visual gótico, o transformaram em um ícone do rock.
No entanto, a trajetória de Alice foi marcada por uma insatisfação que só foi preenchida depois que ele decidiu se render ao Deus de sua infância.
"Quando você chega no auge e percebe que teve carros, casas e tudo mais, você vê que essa não era a resposta", disse o cantor ao site CNS News. "Há um grande nada no final disso. O materialismo não significa nada. Muitas pessoas dizem que há um buraco do tamanho de Deus em seu coração. E quando ele está completo, você realmente fica satisfeito. É onde eu estou agora".
Vincent Damon Furnier — seu nome de registro — nasceu em 1948 e foi criado por uma família de pastores em Arizona, nos Estados Unidos. Neto de pastor, o artista já realizou trabalhos missionários com seu pai e outros companheiros, mas decidiu abandonar a fé.
Movido pelo sucesso, Alice esqueceu os primeiros capítulos de sua vida. No entanto, seu vício em álcool acabou o conduzindo de volta. "Eu vomitava sangue todas as manhãs. Eu realmente era um alcoólatra. Eu não era um alcoólatra violento, mas eu era autodestrutivo”, confessa.
Quando Alice decidiu fazer uma consulta com um médico para iniciar o tratamento contra seu vício, ele experimentou um toque sobrenatural de Deus. "Quando saí do hospital, fiquei esperando vir a vontade de beber, e ela nunca mais veio. Foi um milagre", disse o cantor.
"Eu digo às pessoas que não sou um alcoólatra tratado, sou um alcoólatra curado. Eu nunca fui ao Alcoólicos Anônimos ou algo assim, eu dou todo o crédito a Deus por isso. Até mesmo o médico disse: é um milagre ver que você não voltou para o álcool nas situações estressantes'", ele lembra.
Quando Deus libertou Alice do álcool, ele voltou à igreja. Ao lado de sua esposa, Sheryl Goddard, de 41 anos, o cantor frequenta a Igreja Bíblica Camelback em Paradise Valley, no Arizona.

Alice Cooper e sua esposa, Sheryl Goddard, de 41 anos. (Foto: Kevork Djansezian/Getty Images)
"Deus tem um plano para todos. Olho para a minha vida e penso: 'como é possível que eu não tenha morrido?'. Deus coloca dificuldades em sua vida o tempo todo para tentar te tornar mais parecido com Ele. Isso é ser cristão, é ser uma pessoa moldada por toda a sua vida", ele observa.
Mudança na carreira
Nos estágios iniciais de sua caminhada com Deus, Alice achou que não poderia continuar sua carreira. “Eu não posso ser Alice e ser cristão”, disse ele ao seu pastor, na época. “Ele me respondeu que Deus não comete erros. Ele disse que Deus me colocou numa situação incomum por uma razão e agora eu deveria deixar o meu estilo de vida falar sobre as minhas crenças. Não era a resposta que eu esperava”.
Em um esforço para seguir a vontade de Deus, Alice fez alguns ajustes em sua carreira. Alguns de seus repertórios mais antigos já não são executados, especialmente canções que promovem a promiscuidade ou a bebida. Hoje, o roqueiro escreve canções que são influenciadas pelo conteúdo de sua fé.
"Tenho muito cuidado com as letras. Eu tento escrever canções que são igualmente boas, mas com uma mensagem melhor", ele conta.

Após sua conversão, o roqueiro deixou o alcoolismo e seu antigo estilo de vida. (Foto: Reprodução)
Quanto aos críticos de seu passado pecaminoso, Alice é categórico: "Hoje sou alguém novo. Não julgue o Alice pelo que ele costumava ser. Louvado seja Deus pelo que sou agora. O fato de Deus ter se importado o suficiente comigo para salvar minha vida e me ajudar a sobreviver a um milhão de coisas, me colocar onde estou agora, [é suficiente]”, disse ele. "Se Deus pôde abrir o Mar Vermelho e criar o universo, Ele certamente poderia tirar o alcoolismo de alguém".
Fonte.  GUIAME
http://guiame.com.br/gospel/noticias/louvado-seja-deus-pelo-que-sou-agora-diz-alice-cooper-apos-conversao.html

Comentários

Lizza Araújo disse…
Pra mim é difícil a reitor na conversão de pessoas assim como esse cantor. Mas sei que o q é impossível ao homem é possível a Deis. Espero que ele consiga completar essa jornada na vida cristã. Deus é tremendo e maravilhoso. Quem pode explicar sua infinita graça?
Unknown disse…
Muito bom! Muito bem! É possível ser um rock star sem ser apenas tolo.

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Descontrolada, Gleisi diz que o juiz Sérgio Moro é 'safado e sem-vergonha'; assista

A senadora Gleisi Hoffmann subiu à tribuna do Senado para defender a tentativa de tirar o ex-presidente Lula da cadeia com um habeas corpus ilegal concedido por um desembargador militante no plantão, contrariando o próprio Tribunal, as cortes superiores, e o CNJ. Descontrolada, Gleisi concentrou seus ataques no juiz Sérgio Moro, que ela chamou de "safado e sem-vergonha". Gleisi ainda garantiu que "O Brasil vai pagar muito caro, a democracia brasileira vai pagar muito caro. E eu tenho certeza de que vamos criar situações muito graves no Brasil ainda de instabilidade, a que nós não vamos conseguir dar direção e saída".



Assista: 

Leia também: