Subscribe:

1 de março de 2017

O cristão e as veias abertas do socialismo



Falar sobre socialismo é como ir num depósito de lixo, colher os objetos que mais fedem e com os dedos no nariz, começar a descrever. Tentar mapear excede a capacidade humana; tentar entender os significados é um desafio pericial, já que o socialismo esvazia os significados das palavras e as preenchem com outros significados com a intenção de enganar e enlouquecer as pessoas. Portanto vamos tratar especificamente de sua natureza religiosa e alguns aspectos ideológicos.
O ex-agente da KGB Tenente-General Ion Mihai Pacepa, em seu livro ‘’Desinformação’’, foi muito feliz numa frase: Socialismo é transformação de mente’’. Essa transformação não é para o bem do mundo. São milhões de livros publicados mundo a fora de todas as correntes ligadas as doutrinas desta seita com um único propósito: Desinformar ou enlouquecer. Tem pessoas que pesquisam a mais de 40 anos, parabéns… eu certamente não irei tão longe assim. Mas é possível através de alguns protagonistas e fontes primárias, identificar algumas substâncias.
Para o cristão, quero deixar claro, se você é verdadeiramente um servo de Deus, saiba: ‘’É impossível você ser cristão e socialista… os dois não dá.’’
O que de fato é socialismo? Doutrina política e econômica que prega a coletivização dos meios de produção e de distribuição por meio da extinção da propriedade privada e das classes sociais? Sim! O socialismo consiste em um sistema de intervenção que se impõe pela força, utilizando todos os meios coercitivos do Estado? Sim! O socialismo é concentração de poder: político, econômico e militar? Sim, é tudo isso!
Todos os elementos nas três perguntas compõe o imenso organismo do socialismo. Mas, também é uma seita religiosa que pretende transformar as mentes humanas e assim conduzir para uma ‘’nova sociedade’’, uma ‘’nova ordem’’; seja por meios pacíficos ou por violência. Quando o socialismo não tem o Estado para impor suas políticas econômicas e sociais, vai usar o movimento estudantil, cultura, o proletariado e a religião (CNBB, TMI, TL) para pressionar a sociedade e o Estado. A finalidade é retornar para o trono do grande Leviatã (o Estado). A jornada é manter a finalidade, perpetuação no poder para instalar um sistema de controle por todas as vias sociais e instituições públicas. Não importa os meios para se chegar ao topo. Por isso o socialismo é essencialmente totalitário e corrupto. Basta ler alguns bons livros de história (não contaminados pelo marxismo) que vai descobrir que o resultado é sempre esse, mas por vezes com roupagens diferentes para enganar. Mas isso é somente o que já foi exposto, a natureza religiosa ainda não foi confrontada.
O socialismo é também de natureza metafísica. É uma seita que tem sua própria versão da Bíblia, tem profetas, messias, dogmas e cultos aos ídolos. Os cadáveres de Lênin e Mao Tsé-Tung ainda estão expostos embalsamados em seus respectivos países para admiração dos seus seguidores no mundo inteiro. Provando que o assunto vai além da política e da economia.
Claro que a explosão da Revolução Francesa em 1789 vai ser o ponto crucial para despertar o imaginário popular das outras revoluções que surgiriam posteriormente, claro, sem anacronismos. Por conseqüência fornecerá os elementos para a militância política-religiosa revolucionária. A sociedade francesa passou por uma transformação épica, quando privilégios feudais, aristocráticos e religiosos foram extintos sobre um ataque sustentado por grupos políticos radicais, das massas nas ruas e de camponeses na região rural do país. Antigos ideais da tradição e da hierarquia de monarcas, aristocratas e da Igreja Católica foram derrubados pelos novos princípios de Liberté, Égalité, Fraternité (liberdade, igualdade e fraternidade). Estes princípios foram esvaziados de seus significados reais para embelezar a revolução genocida na França. Liberdade sem permitir o contraditório? Fraternidade exterminando quem eu não aceito? As influências desta revolução ecoariam mais desastrosamente, se não houvessem contrapontos, e eles aconteceram! Ainda bem que Inglaterra pariu homens como filósofo e político, Edmumd Burke. Burke percebeu rapidamente o imenso perigo que o mundo Ocidental sofreria por causa da Revolução Francesa e fez um livro chamado ‘’Reflexões sobre Revolução Francesa’’, um documento poderoso contra a revolução que sacudiu a Europa. Burke cuidou logo em enfatizar a compreensão nas verdades universais da sociedade civil e política, nas tradições herdadas e nos costumes transmitidos por gerações por meio de uma civilização equilibrada com as palavras preenchidas e entendidas em suas origens. Esses valores foram de alguma forma um paredão que impediram o mar agitado da França de 1789.
Mas, essas revoluções caóticas produzidas pelo povo influenciariam grandes intelectuais. Devo destacar três que viveram entre os séculos XIX e XX. Quero iniciar com o pai do sionismo socialista: Moses Hess!
O pai do sionismo socialista
Moses Hess nasceu em Bonn(cidade alemã situada no estado de Renânia do Norte-Vestfália, cerca de 30 quilômetros ao sul de Colônia e cerca de 60 quilômetros ao norte de Coblença). Hess permaneceu lá para ser educado por seu avô no judaísmo ortodoxo, quando seu pai se mudou para Colônia por causa dos negócios. Aos 14 anos juntou- se aos negócios do seu pai na Colônia. Hess estudou filosofia na Universidade de Bonn, 1837-1939. Era amigo de Engels e Marx e colaborador de um periódico folhetim socialista que circulava pela Europa. O homem que convenceu Engels a tornar-se comunista, foi o mesmo Moses Hess que converteu Karl Marx ao comunismo. Hess ao encontrar-se com Engels em Cologne, descreveu sobre a separação do seu púpilo Marx, da seguinte forma : “Ele separou-se de mim como um comunista super zeloso. É assim que eu produzo devastação.” (Moses Hess, Obras Selecionadas, Publishing House Joseph Melzer, Cologne, 1962). Assim resume Hess, o seu prodigioso discípulo: “Eu produzo devastação “. Marx estava pronto para envenenar o Ocidente e devastá-lo.
Qual o propósito central da vida de Hess? Destruir a religião pela a instrumentação da desinformação, distorcendo os ensinos Bíblicos. Ensinos distorcidos da Bíblia(tese); descrédito na ortodoxia religiosa e fim das instituições como as conhecemos pelo ateísmo (antítese); Propósito de produzir o caos social e o surgimento de uma nova ordem (síntese). É dele (não de Marx) a famosa frase: “a religião é o ópio do povo”.
Hess era uma espécie de contraponto as teorias de Engels e Marx em relação as causas econômicas e à luta de classes, um papel primordial na história. Hess defendia as lutas raciais e entre nacionalidades. Muitos acusam Hess de fomentar propositalmente um sionismo socialista com a intenção de despertar o ódio dos Alemães e assim fomentar uma guerra que os judeus certamente perderiam. Foi Hess que formulou a teoria dialética histórica tendo em vista estes últimos, em oposição à posição marxista, fundamentada nos primeiros.
Na obra História Sagrada da Humanidade por um discípulo de Espinoza, Hess afirmou que a história marcha sobre a influência do ‘’Espírito para um novo Éden’’, o que deixou claro seu caráter messiânico e milenarista. Assim como muitos dos primeiros socialistas. Hess associava suas concepções religiosas (da Bíblia) às suas concepções sociais, misturando o messianismo judaico com as concepções filosóficas de Spinoza, Hegel, Charles Fourier, François Noël Babeuf e Thomas More, para anunciar a vinda de uma sociedade futura sob a forma de uma espécie de ‘’Reino de Deus’’. Tese, antítese e síntese. Os ensinos de Hess que visavam claramente destruir a cultura Judaico-cristã e seu ódio pela religião, influenciaram fortemente o Jovem Marx.
Karl Marx e seu contexto religioso
Karl Marx era filho de Judeus e viveu num conflito familiar protagonizado por seu pai e sua mãe. Seu pai, Herschel Marx (1759–1834), um advogado e conselheiro de Justiça. Herschel Marx descendia de uma família de rabinos, mas se converteu ao luteranismo , e sua mãe queria permanecer no judaísmo…o choque foi natural. Este conflito religioso entre o casal, despertou o ódio de Karl Marx pela religião de tradição judaico-cristã.
Friedrich Engels, foi um teórico revolucionário alemão autor do livro Manifesto Comunista. Uma curiosidade, o livro foi considerado um lixo por Engels, que literalmente queria jogar seu rascunho (do que seria o livro) fora, foi quando Marx se interessou e conseguiu publicar. Os dois fundaram o chamado socialismo científico ou marxismo. Quero me concentrar em Marx. Sofreu influencia forte dos Jacobinos e de Moses Hess. Os Jacobinos faziam parte de uma organização política, criada em 1789 na França durante o processo da Revolução Francesa. No princípio tinham uma posição moderada sobre os encaminhamentos revolucionários, porém, com a liderança de Robespierre, passaram a ter posições radicais e esquerdistas. Marx levou em seus escritos a forma radical política dos Jacobinos e o ódio que tinha pela religião, de Moses Hass. Assim surgiu a comuna internacionalista. Impossível separá-lo destas influencias.
Marx não é só uma visão econômica como desejam os marxistas e os desavisados cristãos e conservadores, é uma projeção de controle econômico, social, político, cultural e religioso. Engels e Marx pregavam a desordem total da civilização para o ressurgimento de uma nova sociedade em que o proletariado seria um ser ‘’livre’’ da opressão da burguesia(dominantes, ricos, instituições religiosa) e viveria numa espécie de ‘’paraíso’’ do trabalhador: ‘’Os comunistas rejeitam dissimular as suas perspectivas e propósitos. Declaram abertamente que os seus fins só podem ser alcançados pelo derrube violento de toda a ordem social até aqui. Podem as classes dominantes tremer ante uma revolução comunista!’’ (Karl Marx & Friedrich Engels, “O Manifesto Comunista”, 1848).
E o que aconteceu depois? As grandes revoluções sociais produziram: Comunismo, nazismo e fascismo! Claro, não vou colocar aqui neste artigo os aspectos da guerra e as crises econômicas que também ajudaram a criar o cenário para o nascimento de tais sistemas políticos naquele contexto. Não é minha intenção.
Todo movimento socialista que prega liberdade, igualdade e fraternidade ou que fala de socialismo-democrático é desinformação. É toda uma política de natureza totalitária para gerar desordem e ao mesmo tempo propor a ‘’ordem’’ segundo eles. Na realidade o socialismo é o primeiro passo para a forma totalitária da comuna, hoje tal doutrina trajada do politicamente correto como ”progressismo”. O socialismo pode ser dividido em muitas vertentes com fachadas e cores ‘’democratas’’ do tipo: paz mundial, religião tolerante, minorias. Mas na realidade é desinformação para ocupar, controlar.
TRES FORMAS DE SOCIALISMO
Três formas de socialismo que se destacaram devastando nações e pessoas no mais alto nível de horror:
1-Socialismo de Estado (Fascismo – nacionalismo); Mussolini – responsavel por 440 mil mortos.
2-Socialismo de raça (Nazismo – nacionalismo); responsável por 40 milhões de mortes.
3-Socialismo do proletariado (Comunismo – internacionalismo). Engels e Marx –
responsável por:
20 milhões de mortos na União Soviética
65 milhões de mortes na República Popular da China;
1 milhão de mortos no Vietnã;
2 milhões na Coréia do Norte, (lá a matança ainda continua);
2 milhões no Camboja;
1 milhão nos Estados Comunistas do Leste Europeu;
150 mil na América Latina;
1,7 milhões na África;
1,5 milhões no Afeganistão.
Mas além de o comunismo não ser proibido no mundo, o sistema mais genocida da história da humanidade está ativo e tem partidos em todos os lados. E o que tem em comum os três além do socialismo? Todos os três fomentaram ódio aos Judeus, ao cristianismo, a destruição do mundo Ocidental e pregavam o controle total.
Eu sei, vão dizer que Hitler não era socialista porque mandou perseguiu os comunistas internacionalistas na Alemanha. Esse argumento é raso e simplório. Hess na realidade tinha essa intenção, criar essa confusão, e essa confusão foi impulsionada pela Rússia comunista que foi traída por sua amante nazista. E por isso a Rússia colocou o nazismo na conta da direita. Mas sempre é bom lembrar que foi Stalin que financiou o nazismo, e que admirava Hitler. Inclusive na invasão da Polônia, trabalharam juntos no genocídio que fizeram naquela nação. Houve até cooperação entre russos e nazistas para entrega de Judeus poloneses ao Nazismo.
Alemanha nazista não somente entendeu Hess, aplicou seu pensamento contra os judeus e também perseguindo a comuna internacionalista. Hitler transformou as idéias de um sionismo socialista, num socialismo de raça ariana. No seu livro as Origens do Totalitarismo, Hannah Arendt retrata o drama: ‘’Quando os Judeus na Alemanha se despertaram para política, já era tarde demais, a pregação de ódio do Partido Nacional Socialista afirmava que Judeus sionistas tinham tomado suas riquezas e empobrecido o povo alemão. A situação era irreversível’’.
É preciso estudar documentos importantes, checar boas fontes para não cometer equívocos e afirmar que o nazismo foi a extrema direita. O nazismo na realidade dominou tanto a esquerda internacionalista como os conservadores da Alemanha. Recomendo o livro ‘’A infelicidade do Século’’ – do historiador Frances, Alain Besançon. Este livro prova em documentos que Hitler nem de longe era de direita. O socialismo da raça ariana queria uma Alemanha para o povo Alemão e não para dividir com outra raça ou o mundo. Hitler ‘’entendeu’’ Moses Hess e aplicou: ‘’Morte aos Judeus e morte ao comunistas internacionalistas’’. A prática do canibalismo é natural entre socialistas, matar uns aos outros faz parte do cardápio.
Mas é claro que os socialistas vão dizer que isso não é socialismo, buscando se justificar na velha utopia do ‘’paraíso’’ terrestre que só eles podem realizar. Toda vez que dizem que vão melhorar o mundo, miséria e carnificina é o que acontecem ao mundo.
Então o socialismo segue vivo e criando raízes profundas dentro da sociedade. Mas era preciso polir sua imagem podre e de crimes contra humanidade no passado. Antonio Gramisc é o filho do marxismo que vai criar um método de domínio, não pela violência, mas nas mentes humanas por meio da política, cultura, sociedade e religião. Tudo que envolve literatura, arte, religião é preciso tomar, ocupar e assim arrancando cada fio da religião e da cultura Ocidental, transformando internamente de modo que o socialismo seria onipresente e invisível; ninguém saberia o que era; estado de alienação tão profunda que não teriam como identificar. Oposição seria taxada de atrasada, retrógrada, reacionária e obstáculo para a ‘’evolução’’ social.
Na realidade entre os séculos XIX e XX surgiram praticamente as principais correntes socialistas. Eles estão em toda parte: Comunistas, Fabianistas, Leninistas, Stalinistas, Trotskistas, Gramscistas e Frankfurtianos. São algumas de muitas correntes que produziram ensinos, métodos, projetos nas academias educacionais, culturais, sociais e religiosos. Todos com a finalidade de implodir a cultura Ocidental de dentro para fora, já que a revolução Russa não conseguiu de fora para dentro.
Este pensamento de Antonio Gramsci progrediu e invadiu a sociedade criando: ONGS, instituições internacionais pelos direitos humanos, a revolução sexual de 1960 a 1970, movimentos ecológicos, movimentos anti-guerra, pró animais, pró desarmamento civil, pró aborto e contra a família judaico-cristã . Uma série de instituições que tem por finalidade: desinformar, enganar e destruir o pensamento conservador a cultura Ocidental e a religião Judaico-cristã.
Então o chamado marxismo cultural é na realidade o velho socialismo, polido com discursos de liberdade, igualdade e fraternidade, mas com a mesma ânsia de sangue dos Jacobinos; mesma utopia messiânica de Moses Hesse e das revoluções do século XX. Olhem o resultado no mundo em pleno século XXI. O bem-estar social, a busca pelo paraíso terrestre está no topo de organizações como: ONU, UNESCO, OMS, UNICEF, UNESCO, UNASUL. Políticas que interferem diretamente nas soberanias das nações, dizendo o que deve e não se deve fazer.
Na América Latina dois Países se destacam como exemplos do que o socialismo é capaz de fazer: Cuba e Venezuela. A velha Cuba outrora próspera em muitos aspectos, hoje só prospera a família do ditador Fidel Castro, enquanto o povo sofre na miséria e na falta de liberdade. Fidel que é um psicopata assassino e que tem milhares de crimes na conta, nunca foi julgado e nem criticado pelas instituições como a ONU, direitos humanos ou ONGS Pró vidas. Já pararam para pensar como isso é estranho?
E a Venezuela? Chaves e Maduro colocaram aquele país a ponto do povo não ter nem papel higiênico; fez da nação um Estado Policial; trancafiaram seus opositores. O país vive o drama do abandono e do caos.
E a República de Carmem Miranda? Olhem o cenário social que se encontram os jovens brasileiros e testemunhem se eles não estão pautados nestas políticas: Lutas de classes, raça, Estado, proletariado, admiração a Fidel Castro, Che Guevara, Chaves e Maduro. Tudo sob a bandeira da ‘’igualdade e bem-estar social’’, mas intolerantes ao cristianismo e conservadores. E os filhos parasitas destas pautas políticas no Brasil:
1-Ativismo ecológico;
2-Ativismo sexual (gays,lésbicas, pedófilos, poligâmicos, orgias, zoofilia);
3-Ativismo estudantil (Black Blocs, ocupações nas escolas e universidades);
4-Ativismo pró-drogas;
4-Ativismo ‘’religioso’’ (Teologia da libertação e Integral, islamização, ateismo);
5-Ativismo feminista;
6-Ativismo Afro;
7-Ativismo social (MST e etc…);
8-Ativismo sindical.
9- Ativismo imigratório
Tudo isso em nome de uma suposta ”liberdade” que é imposta sem permitir o contraditório, sem contrapontos. Fazem aos berros e por intolerância; são violentos e ao mesmo tempo proclamam-se que são ”tolerantes”. Mas é claro que é um axioma de como funciona o pensamento totalitário. A história se repetindo? Não é bem assim, pode ser muito pior, pode ser mais agressiva e implacavelmente. George Orwel no seu romance ‘’1984’’ ‘’profetizou’’ este dia. Poderemos ser vigiados e fiscalizados de forma tão habitual diariamente que parecerá comum. Pensar e argumentar, será policiado pela ferramenta de enquadramento do ”politicamente correto” que visa calar seus opositores.
O grande problema é que a cristandade e políticos conservadores lidam com o socialismo como um sistema político, tão somente. Mas sua natureza é religiosa, transcende posições políticas. Existe uma força espiritual maligna que deseja colocar a raça humana na barbárie, a níveis de animais selvagens, e por conseqüência produzir uma sociedade caótica (Sodoma e Gomorra) na busca do algo novo, o ‘’paraíso’’ perdido.
Qualquer coisa que o socialismo use associado com palavras de ordem como: democracia, paz, liberdade, igualdade é desinformação para confundir e conquistar. O que temos hoje é o mesmo modo de operação do socialismo passado de Hass, Marx e Gramsci: Culto religioso ao Estado; fetichismo messiânico por um líder; prática religiosa sindicalista, perversão do modelo de família estabelecido por Deus; depreciação da cultura; depreciação da educação; políticas de direitos humanos que protegem bandidos; uso de adolescentes e jovens como pontas de lanças para depredar patrimônios públicos e privados; controle da liberdade de expressão pela instrumentalidade do politicamente correto. São alguns sintomas de que o país está em estado avançando no socialismo.
Antes do estabelecimento do governo do PT, o Brasil já estava refém do socialismo: Educação, cultura, mídia, empresas públicas como os Bancos; Na religião, a teologia da libertação minando a Igreja Católica e a teologia ‘’liberal’’ e integral enfraquecendo a Igreja Protestante. Durante o governo do PT quase tudo foi aparelhado com a finalidade de estabelecer o regime. O Brasil é um verdadeiro laboratório de todas as correntes socialistas.
Sim caro irmão é urgente que você precisa entender O socialismo é a tentativa humana de materializar o Éden de Deus, uma nova forma de construir a Torre de Babel para ‘’destronar’’ nosso Senhor. Grande perigo correm as Igrejas e as famílias. Que Deus levante homens para resistir, educar nosso povo na boa teologia, na apologética, no bom conhecimento, e nos dê forças como soldados nas trincheiras prontos para defender nossos valores cristãos e Ocidentais.
Enquanto houver fôlego, vamos resistir.
Soli Deo Gloria
Por Heuring Felix Motta
Referências bibliográficas
1- A conspiração Aberta – H. G. Wells – Vide Editorial
2- A Ideologia Alemã – Marx e Engels – Martin Claret
3- A Infelicidade do Século – Alain Besançon – Bertrand Brasil
4- A Imaginação Totalitária – Francisco Razzo – Record
5- A História do Comunismo Contada aos Doentes Mentais – Matéi Visniec – É Realizações
6- A Mente de Cristo, Conversão e Cosmovisão Cristã – Norma Braga Venâncio – Vida Nova
7- A Política da Prudência – Russel Kirk – É Realizações
8- Artigo sobre Moses Hess – Denis Strum www.jewishagency.org/pt
9- As Vantagens do Pessimismo – Roger Scruton – Quetzal
10- A Vida Secreta de Fidel – Juan Reinaldo Sanches – Paralela
11- Camaradas, Uma História do Comunismo Mundial – Robert Service – DIFEL
12- Conflito de Visões – Thomas Sowell – É Realizações
13- Desinformação – Ion Mihai – Pacepa – Vide Editorial
14- Era Karl Marx um Satanista? – Richard Wurmbrand
15- Guia Politicamente Incorreto da América Latina – Leandro Norloch – LeYa
16- Invasão Vertical dos Bárbaros – Mário Ferreira dos Santos – É Realizações
17- Manifesto do Partido Comunista – Marx e Engels – Martin Claret
18- O Deus do Sexo – Peter Jones – Cultura Cristã
19- O Fascismo Moderno – Gene Edward Veith Jr – Cultura Cristã
20- O Livro Negro do Comunismo – Stéphane Courtois – Bertrand Brasil
21- Origens do Totalitarismo – Hannah Arendt – Companhia do Bolso
22- Reflexões sobre a Revolução Francesa – Edmund Burke – Edipro
23- The Holy History of Mankind and Other Wrintings – Moses Hess – Ed. Shlomo Avineri
24- 1984 – George Orwel – Companhia das Letras


Consciência Cristã News
VINACC

1 comentários:

Pb Fernando disse...

Comentário excelente e verdadeiro. Felizmente, Deus na sua infinita e soberana vontade tem providenciado homens para denunciar esses inimigos da cruz.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...