Pular para o conteúdo principal

Ana Paula Valadão revela ter desfeito de seu patrimônio para financiar projeto missionário

 


A cantora e pastora Ana Paula Valadão revelou ter se desfeito de parte de seu patrimônio para doar os valores a um projeto missionário na Índia que é apoiado pelo Ministério Diante do Trono.
A revelação de Ana Paula Valadão aconteceu há um mês, durante o Congresso de Adoração, Intercessão e Missão do Diante do Trono, no dia 15 de abril, realizado na Igreja Batista da Lagoinha (IBL). Porém, só agora o vídeo com as declarações da cantora começam a repercutir nas redes sociais.

“Em 2014, o Gustavo fez 40 dias de jejum só com água e eu fiz 40 dias de [jejum de] Daniel. Ao final eu falei: ‘Amor, o que Deus falou com você?’ e depois eu compartilhei. Eu disse: ‘Deus me disse que nós precisamos voltar para o nosso primeiro amor’. O meu primeiro amor foi missões, desde a minha infância. E o Senhor me disse que o nosso primeiro amor em missões é a Índia”, disse Ana Paula Valadão.
“Já me chamaram de boba, irmãos. Vi muitos cantores dizerem: ‘Sabia que não ia dar certo, que não ia sobrar nada'”, relatou a cantora, comentando a repercussão entre os colegas de ministério sobre sua decisão de vender seu próprio patrimônio para ajudar a financiar o projeto “Missão Índia”.



“Eu confesso que já pedi perdão ao Senhor, porque eu relutei, eu reclamei, falei: ‘Deus, eu já dei tanto. Agora o pouquinho que me resta, vou ter que vender para sustentar a obra lá na Índia. Não é possível. O que eu vou deixar para os meus filhos?”, contou.
Corre pela internet rumores de que a cantora teria vendido sua própria casa para doar os valores ao projeto missionário. A declaração de Ana Paula Valadão vai nesse sentido, mas não detalha quais foram os bens que ela dispôs para ajudar o “Missão Índia”, iniciativa que liberta meninas escravas.
Atualmente, Ana Paula e sua família vivem em Dallas, Texas (EUA), onde ela ministra aulas na escola bíblica Christ for the Nations, e seu marido, pastor Gustavo Bessa, trabalha na Gateway Church, uma igreja na cidade vizinha, Fort Worth.

Fonte: Gospel+
Assista à declaração de Ana Paula Valadão:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Brasileiros são acusados de machismo e racismo na Copa da Rússia

Em vídeo viral, um grupo de homens se aproveita do fato de uma jovem russa não saber português para assediar a moça





A Copa da Rússia mal começou e algumas atitudes de torcedores brasileiros provocaram reações inflamadas na internet. Em um vídeo publicado na noite de sábado (16/6), alguns homens se aproximaram de uma jovem estrangeira, aparentemente russa, e fizeram uma gravação com ela. Nas redes sociais, o ato foi apontado como uma demonstração de machismo e racismo. Entre outros impropérios, o grupo cantou “essa buceta é bem rosinha”, referindo-se à cor da mulher. A moça, que obviamente não entende uma única palavra em português, cantou junto a eles, sem ter noção do desrespeito. A objetificação pela qual a estrangeira passa – uma pessoa é reduzida aos órgãos genitais – foi considerada ofensiva pelos internautas. Além do machismo alarmante, tendo em vista que um grupo de adultos achou por bem fazer comentários grotescos sobre o corpo de uma desconhecida na rua, há indícios de racismo…

Veja a lista dos deputados que querem uma CPI para acabar com a Lava Jato

O PT está no centro da articulação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com o objetivo de investigar a suposta venda de “proteção” em delações premiadas por parte de advogados e delatores. Trata-se da "CPI das delações", com potencial para afetar os trabalhos da operação Lava Jato e até extingui-la. 

Segundo o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), trata-se de uma investigação sobre a "indústria da delação". Os pontos de partida serão as delações dos doleiros Vinícius Claret, o Juca Bala, e Cláudio de Souza, integrantes do esquema comandado por Dario Messer, chamado de “doleiro de todos os doleiros”, que acusam o advogado Antonio Figueiredo Basto, um dos maiores especialistas do País em colaborações premiadas, de cobrar uma “taxa de proteção” de US$ 50 mil mensais (cerca de R$ 185 mil) de outros integrantes do esquema entre 2005 e 2013.
Veja quem são os deputados que assinaram o pedido: 


URGENTE: Fachin pede para 2ª Turma julgar mais um pedido de liberdade de Lula no dia 26

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu para ser incluído na pauta  do dia 26 o julgamento do pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  O julgamento será na Segunda Turma, integrada por cinco ministros. Caberá ao presidente  do colegiado, Ricardo Lewandowski, marcar uma data para o recurso ser analisado.  No recurso, a defesa do petista pede o efeito suspensivo da condenação do Tribunal  Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) até que os recursos sejam julgados.
Fachin tinha pedido à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, um parecer sobre o  assunto. Essa manifestação ainda não chegou ao STF. Na segunda-feira, Fachin recebeu o  advogado de Lula, Sepúlveda Pertence, em audiência. O advogado pediu rapidez no  julgamento do recurso.
Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo TRF-4 por corrupção passiva  e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá. Ele cumpre a pena desde o  início de abril na Superintendência da Polícia Federal…