A magreza do ex-jogador e senador Romário voltou a chamar a atenção na mídia.
Após passar por uma cirurgia para perder peso, ele aparece extremamente magro em
 fotos publicadas por fãs nas redes sociais.
Romário foi operado pelo médico Áureo Ludovico de Paula, que é processado pelas
famílias de pacientes que morreram ou ficaram com sequelas depois de se
submeterem ao mesmo procedimento que o ex-jogador.

A operação do ex-jogador tem sido alvo de controvérsias por seu caráter ainda
 experimental no Brasil.
O procedimento é chamado de interposição ileal e se caracteriza pela colocação
do íleo (fim do intestino delgado) entre o duodeno e o jejuno. A cirurgia estimula
 a produção de insulina pelo pâncreas e acaba por diminuir o diabetes.
Em entrevista ao Domingo Espetacular, da Record TV, o advogado Marcelo di Rezende
 disse que pelo menos 14 famílias entraram com processos contra o médico.
A maioria dos pacientes ficaram com sequelas após a cirurgia e sete morreram.

As famílias afirmam que as vítimas não foram avisadas sobre o caráter experimental
da cirurgia.
Patricia Silva Santos, filha de Terezinha Santos, afirma que a mãe sofria de
diabetes e se interessou pelo procedimento após assistir à entrevista do médico na
 TV. A mulher de 54 anos teve perfuração no divertículo e morreu depois de passar
 por três cirurgias.
Sede constante, emagrecimento e visão embaçada são sinais de diabetes
Outro paciente que passou pelo mesmo procedimento foi Felippe Hernandez,
 em 2009. Houve complicações durante a cirurgia e Hernandez ficou em estado
 vegetativo por sete anos, até morrer em dezembro de 2016.
Em 2008, Plinio Araújo foi operado por Paula para se livrar da obesidade. 
Ele também não resistiu ao procedimento, segundo a reportagem. O Ministério
 Público de Goiás e o Cremego (Conselho Regional de Medicina de Goiás) 
investigam os casos.

Assista à reportagem completa sobre a polêmica


Fonte: R7