Pular para o conteúdo principal

Aécio e o luto da esquerda - RICARDO RANGEL





Q uando despontou na política, secretário particular de seu avô, Aécio Neves era o
 retrato perfeito do político jovem e moderno. Claramente destinado a uma carreira
brilhante, não foi surpresa quando, sucessivamente, se fez deputado federal, presidente
 da Câmara, governador de Estado, senador da República - e, quase, presidente
da República.

Mas era tudo aparência. Não era jovem, era moleque. Parecia moderno, era
modernoso. Não encarnava o novo, mas o novidadeiro. Não era inteligente, era
calculista. Não tinha ambição, tinha ganância. Não era interessado, e, sim,
interesseiro. Parecia altivo, era vaidoso.

À fortuna da família, preferiu as gorjetas dos arrivistas, e trocou a estirpe de
Tancredo Neves pela laia de Joesley Batista. Herdeiro da melhor tradição,
escolheu ser representante do que há de mais atrasado. Desonrou a si mesmo,
ao sobrenome e ao país.

Como o Dorian Gray de Oscar Wilde, Aécio manteve a aparência jovem e impoluta
 durante anos, enquanto seu caráter, oculto pela hipocrisia, apodrecia em silêncio.
Como Gray, assassinou-se a si mesmo - e expôs sua decrepitude em praça pública.

Muitos políticos, talvez a maioria, têm excelentes motivos para tentar salvar o
expresidente do PSDB, mas, a seis meses da eleição, ninguém o fará.
 Infinitamente mais digno e inteligente do que o neto, Tancredo dizia que
político acompanha o féretro até a beira da sepultura, mas não entra na cova
 com o defunto. Aécio está morto e só. E não deixa saudades. ______ A reação
à aceitação da denúncia é emblemática. Ninguém reclamou de falta de provas,
 nem que eleição sem Aécio é fraude. Ninguém vandalizou casa de ministro do
 Supremo, nem acampou em frente à casa do réu, nem organizou coro de bom
 dia. Ninguém incluiu "Aécio" em seu nome, nem afirmou que ele é guerreiro do
 povo brasileiro. Ninguém acha que Aécio é uma ideia.

Os eleitores de Aécio, cientes de que foram traídos, não lhe dedicam amor, mas
 desprezo, e a esmagadora maioria comemora que mais um criminoso será punido.
 Uma minoria, cujos gritos de "e o Aécio?" cessaram, está atônita, e de luto,
pois a morte de Aécio inviabiliza a narrativa do "golpe".

A cada passo, torna-se mais desconfortável defender Lula. Ignora-se a "direita"
na cadeia. Descarta-se um oceano de provas. Defende-se o fim da Ficha Limpa.
 Não se enxerga que Lula foi dos últimos a ser presos, o único a ficar solto
até a segunda instância. Não se percebe que o Supremo quase o libertou.
Combate-se a prisão na segunda instância. Joga-se fora o ideal de igualdade,
razão de ser da esquerda há 200 anos. Faz-se que não se vê Paulo Preto na
 cadeia, nem aonde isso vai dar. E eis Aécio réu.

A narrativa mais uma vez se adapta: Aécio é um boi de piranha, a denúncia
serve para dar a impressão de que a lei é para todos, mas, na verdade, é só
 para inglês ver: ele jamais será condenado. A cada nova etapa, mais intrincada
 e espaventosa se torna a teoria da conspiração. Para calar a própria consciência,
 que brada "acorda para a realidade, companheiro, Lula é culpado!", é preciso
gritar "Lula livre" e xingar os outros de fascistas a cada minuto.

Mas uma hora a realidade se impõe. Quanto maior for o esforço para ignorá-la,
maior será a ressaca.

Fonte: O GLOBO - RJ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade