Pular para o conteúdo principal

Celso de Mello arquiva queixa-crime de Jean Wyllys contra Bolsonaro


Imagem: Reprodução / Redes Sociais



















O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, arquivou queixa-crime 
por crimes contra a honra do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) contra o colega e
 presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ) por conta de uma discussão na Comissão
 de Relações Exteriores da Câmara. No embate, Bolsonaro teria chamado o colega 
de “idiota”, “imbecil” e “cu ambulante”.


Celso de Mello seguiu entendimento da Procuradoria-Geral da República, com base 
na regra de imunidade parlamentar prevista na Constituição Federal. Segundo o
 ministro, “considerado o fato de a manifestação impugnada nesta causa haver sido
 proferida no âmbito da própria Câmara dos Deputados e no contexto de reunião de
 sua Comissão de Relações Exteriores, no curso do exame e do debate em torno de
 determinada proposição legislativa, tal circunstância inviabiliza a presente 
queixa-crime”.
“Entendo incidir, na espécie, a garantia constitucional da imunidade parlamentar em 
sentido material, apta a exonerar o congressista em questão de qualquer responsabilidade
 – penal ou civil – eventualmente resultante de seus pronunciamentos no âmbito da Casa 
legislativa, tal como tem decidido o Supremo Tribunal Federal”, escreveu o decano.


Na avaliação do ministro, a imunidade parlamentar existe para viabilizar o exercício 
independente do mandato representativo, revelando-se, por isso mesmo, garantia 
inerente ao parlamentar que se encontre no pleno desempenho da atividade legislativa.


“Há de ser ampla a liberdade de palavra assegurada aos membros do Congresso Nacional,
 ainda mais quando essa prerrogativa constitucional for exercida, como sucedeu no caso 
ora em exame, no âmbito da própria Casa legislativa a que pertence o parlamentar e for
 praticada em plena sessão de comissão técnica reunida para debates de determinado 
projeto de lei”, completou.


Ao Supremo, Jean Wyllys sustentou que Bolsonaro “rompeu totalmente a discussão 
temática” ao chamar o colega de “último órgão do aparelho excretor, “último órgão
 do aparelho digestivo”, “idiota” e “imbecil”.

Politica na Rede

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eunício pede ao STF para que negue pedido de votação aberta na eleição do Senado

Eunício Oliveira acaba de enviar um ofício ao STF pedindo para que Marco Aurélio Mello não acate o pedido para que a votação para a presidência do Senado seja aberta.

O Antagonista

EUA reagem ao envio de bombardeiros russos à Venezuela

Autoridades dos Estados Unidos reagiram vigorosamente ao envio de bombardeiros estratégicos russos TU-160 para a Venezuela. Autoridades do Pentágono disseram que dois bombardeiros russos – o Tupolev TU-160 BlackJacks, que pode voar a velocidades supersônicas – estão na Venezuela, junto com todos equipamentos necessários para reabastecimento e manutenção. Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, condenou a decisão de Moscou de enviar os bombardeiros nucleares para a Venezuela. Ele declarou:

Jornalistas da grande mídia celebram prêmio falso para repórter da Folha

Profissionais de veículos da grande mídia brasileira estão parabenizando uma jornalista da Folha por um prêmio falso divulgado por perfil paródia no Twitter. Tudo começou com um tuíte do usuário @monicabengamo no Twitter. O perfil aparenta ter viés humorístico, uma espécie de paródia com a jornalista da “Folha de S. Paulo“, Mônica Bergamo. A mensagem original foi publicada na sexta-feira (14) às 16h40 (horário de Brasília).  “A competente colega Patrícia Campos Mello acaba de ganhar o Prêmio Folha Brasileiro do Ano 2018. O Prêmio a reconheceu como “Guardiã da Verdade”, afirma o perfil.