Pular para o conteúdo principal

CNJ pode julgar hoje ações de aliados de Lula contra Moro


Imagem: Gabriel de Paiva / Ag. O Globo


















O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão responsável por receber denúncias
 contra magistrados, vai julgar nesta terça-feira dois processos apresentados por 
parlamentares aliados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o juiz 
Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava-Jato em Curitiba.
 As reclamações disciplinares, que constam na pauta da sessão, questionam a 
divulgação dos diálogos entre Lula e a ex-presidente Dilma Rousseff, captados
 em interceptações telefônicas depois que a quebra de sigilo telefônico de
 Lula já havia sido suspensa por Moro.

Uma das reclamações disciplinares foi apresentada pelos deputados petistas
 Wadih Damous (RJ), Afonso Florence (BA), Paulo Pimenta (RS), Pepe Vargas (RS), 
Henrique Fontana (RS) e Paulo Teixeira (SP), além de Jandira Feghali (PCdoB-RJ). 
A segunda foi feita pelos senadores, Fátima Bezerra (RN), Gleisi Hoffmann (PR),
 Jorge Viana (AC), José Pimentel (CE), Lindbergh Farias (RJ), Humberto Costa (PE),
 Regina Sousa (PI), Paulo Rocha (PA) e do suplente Divino Donizetti (TO), que hoje 
não exerce o mandato. Também assinam o pedido Vanessa Grazziotin (PCDOB-AM),
 Lídice da Mata (PSB-BA) e Angêla Portela (PDT-RR)


Na época, os áudios foram interceptados pela Polícia Federal após o fim do prazo para
 as escutas telefônicas. Porém, foram tornados públicos. A Polícia Federal encontrou
 indícios de que Dilma agiu para tentar evitar uma eventual prisão de Lula, dizendo que
 enviaria previamente a ele o "termo de posse" de ministro. A então presidente diz que
 o documento deveria ser usado "em caso de necessidade".


Dois meses depois, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF),
 anulou a validade dos áudios como provas em ações judiciais da Operação 
Lava-Jato.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sumiço da Faca e o registro na Câmara: Adelio não agiu sozinho, alerta Alexandre Garcia (Veja o Vídeo)

Algo de muito podre ronda a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados.

Após o golpe em Jair Bolsonaro, Adelio se livrou rapidamente da faca. Tudo indica que repassou para alguém, tanto é que a ‘arma branca’ foi encontrada numa barraca de ambulante, nas imediações. Alguém jogou esta faca onde foi achada. Parece óbvio. A questão do registro na Câmara também deve ser cuidadosamente examinada. Algo de muito podre ronda a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados. O diretor do setor alega que um recepcionista registrou por engano a entrada de Adélio Bispo de Oliveira no local, no dia 6 de setembro, o dia do atentado contra Jair Bolsonaro. Ora, foram constatados os registros de duas entradas do criminoso. O tal servidor registrou por engano duas vezes? E o nome do servidor distraído agora é mantido sob sigilo? Parece óbvio que caso o atentado tivesse sido exitoso e no meio da multidão Adelio alcançasse a fuga, o álibi estaria pronto. Esse era o plano e isto parece bem claro. Veja o vídeo…

PT atrasa pagamentos e funcionários da campanha cruzam os braços

Por causa de atraso nos pagamentos, parte dos funcionários da campanha do PT à Presidência nas eleições 2018 decidiu cruzar os braços e interrompeu os trabalhos nesta semana, em meio à substituição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato, por Fernando Haddad como cabeça de chapa. Os profissionais integram as equipes responsáveis pela produção dos programas eleitorais do partido para a TV, o que ameaça a entrega dos novos comerciais da coligação.
O Estadão/Broadcast apurou que parte da equipe de pré e pós-produção de vídeo da campanha petista está parada há pelo menos dois dias, o que pode atrapalhar a produção de programas dedicados a apresentar Haddad como indicado de Lula, cuja candidatura foi barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base na lei da Ficha Limpa, que torna inelegível condenados por decisão colegiada.
A paralisação dentro da campanha começou, de maneira progressiva, na semana passada, durante o feriado de 7 de Setembro. Os co…

Alvaro Dias chama Bolsonaro de “vagabundo bandido” e “quase morto” e recebe resposta do senador Magno Malta

Sem saber que estava sendo gravado, Álvaro Dias aproveitou para destilar todo o seu veneno com comentários maldosos sobre Jair Bolsonaro. O candidato do Podemos afirmou que Bolsonaro é um “vagabundo bandido” e que ‘ta quase morto”. Ainda no mesmo trecho, Dias afirma que “se não fosse a facada eu estaria destruindo ele hoje.”
Alvaro Dias ataca Bolsonaro e recebe A RESPOSTA de Magno Malta