Pular para o conteúdo principal

Dilma é intimada a depor sobre o sítio de Atibaia

Imagem: Reprodução / Redes Sociais


















A ex-presidente Dilma Rousseff foi intimada nesta segunda-feira para 
depor no processo 
contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por obras feitas no sítio de 
Atibaia pelas
 construtoras Odebrecht, OAS e pelo pecuarista José Carlos Bumlai.
 A intimação foi feita por um oficial de justiça do Tribunal Regional Federal 
da 4ª Região (TRF-4), e o depoimento  está marcado para 25 de junho,
 às 14h, por viodeoconferência. A ex-presidente Dilma e o ex-presidente
 Fernando Henrique Cardoso foram arrolados como testemunhas pela defesa 
de Lula.
Na semana passada, com a decisão da 2ª Turma do Supremo Tribunal 
Federal de retirar das mãos do juiz Sergio Moro delações da Odebrecht — entre
 eles o empresário Emílio Odebrecht e o executivo Alexandrino Alencar, que
 falaram sobre o sítio de Atibaia — a defesa de Lula pediu que o processo
 fosse encaminhado para a Justiça paulista. 
Moro negou e decidiu que o pedido deve ser conduzido em recurso 
separado do processo.
O pedido já tinha sido feito há oito meses pela defesa de Lula, mas Moro não
 havia dado andamento, argumentando excesso de trabalho.
 Agora, Moro deu encaminhamento ao pleito, com abertura de prazo para 
manifestação da defesa e da acusação. 
O juiz ainda não se manifestou sobre o mesmo pedido — de transferência
 para a Justiça de São Paulo —- do processo que envolve vantagens 
pagas pela Odebrecht, como a compra de um prédio para o Instituto Lula, 
que nunca foi usado, e de uma cobertura vizinha à do ex-presidente, que 
Lula alega alugar de Glaucos Costamarques, primo de Bumlai.

Moro também deu andamento a outros sete depoimentos de 
parlamentares no processo do sítio, todos a pedido da defesa de Lula.
 As audiências estão sendo marcadas entre os  dias 9 de maio e 20 de junho.
 Devem depor, entre outros, os senadores Lindbergh Farias e Humberto 
Costa e os deputados Carlos Zarattini e Arlindo Chinaglia Júnior.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda. países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola Guiné equatorial Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R4 2 Bilhões na Ilha que ficou mais conmhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões.Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Bolsonaro volta a defender castração química para estupradores

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender a castração química para estupradores em debate da Band, na noite desta quinta-feira. Ele foi questionado pelo senador Alvaro Dias (Podemos) sobre o que deveria ser feito para combater o crescimento do número de estupros e a desigualdade de gênero no Brasil.
O Brasil registrou 60.018 estupros, 164 casos por dia, e 221.238 crimes enquadrados na Lei Maria da Penha (606 casos por dia) ao longo de 2017. O número de estupros representa um crescimento de 8,4% em relação a 2016, mas não é possível saber a variação relativa aos casos de violência doméstica, já que este é o primeiro ano que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública captou dos Estados dados dessa natureza.
Especialistas do Fórum acreditam que ambos os registros estejam subdimensionados dada a dificuldade de registro na polícia desses crimes. Ainda assim, a quantidade é considerada alarmante e pede a implementação de políticas específicas.

IstoÉ

A carta de princípios de Bolsonaro

Jair Bolsonaro não vai apresentar ao TSE um programa de governo tradicional, mas uma carta de princípios.

Segundo a Folha, o candidato vai dar ênfase à Segurança Pública, propor o corte de mais de uma dezena de ministérios e detalhar um pouco mais o plano econômico de Paulo Guedes.

Haverá ainda uma parte dedicada ao combate à corrupção. “A ideia de Bolsonaro é se apresentar para o eleitor como o único candidato à Presidência que manterá o funcionamento da Operação Lava Jato”.
A equipe de Bolsonaro estuda ainda zerar impostos e complementar a renda dos mais pobres.
O Antagonista