Pular para o conteúdo principal

Gilmar aciona seis órgãos contra auxílio-moradia de juiz Bretas


Imagem: Reprodução / Veja






















O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, pediu a seis órgãos públicos
 que investiguem "eventuais irregularidades" no processo que garantiu auxílio-moradia
 dobrado ao juiz Marcelo Bretas e à mulher, Simone Bretas.

O despacho foi publicado no Diário da Justiça desta sexta, e abre um novo round na luta
 entre o ministro e o titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, onde correm os 
processos da Operação Lava-Jato.



Gilmar acionou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Conselho da Justiça Federal,
 a Presidência e a Corregedoria do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, a 
Procuradoria-Geral da República e a Advogacia-Geral da União.

Em 2014, uma resolução do CNJ proibiu a acumulação do auxílio-moradia para juízes 
casados. No ano seguinte, Bretas e a mulher foram à Justiça e conseguiram receber o
 benefício dobrado. Com isso, os dois passaram a somar R$ 8.756 em verbas destinadas
 ao pagamento de aluguel, apesar de serem proprietários de imóveis na zona sul do Rio.

A sentença favorável ao casal foi assinada pela juíza Frana Elizabeth Mendes, então
 titular da 24ª Vara Federal do Rio. Ao determinar a investigação, Gilmar criticou a 
Advogacia-Geral da União pela demora para recorrer contra a concessão do benefício.

Em janeiro, Bretas ironizou as críticas ao fato de acumular o penduricalho com a mulher. 
“Pois é, tenho esse estranho hábito. Sempre que penso ter direito a algo eu vou à Justiça
 e peço. Talvez devesse ficar chorando num canto ou pegar escondido ou à força”, 
disse, no Twitter.

ALGEMAS DE CABRAL

No mesmo despacho, Gilmar determinou a abertura de um novo inquérito para apurar
 eventual abuso de autoridade na transferência de Sérgio Cabral para Curitiba. 
O ex-governador foi filmado e fotografado com os pés acorrentados por algemas.

O ministro do Supremo nomeou o juiz federal Ali Mazloum como juiz instrutor do caso.

Politica na rede

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Justiça condena Juca Kfouri a pagar R$ 30 mil a Bolsonaro

A 26ª Câmara Cível do Rio determinou que Juca Kfouri e a ESPN paguem indenização de R$ 30 mil, mais correção e juros, por dano moral a Jair Bolsonaro, informa a Veja.

O presidenciável, porém, terá de indenizar o jornalista em R$ 6.000.

O caso começou em 2016, quando Kfouri criticou o comportamento de dois torcedores do Fluminense, comparando-os a torturadores e dizendo que deviam ser apoiadores de Bolsonaro.



Em resposta, o deputado gravou um vídeo com a camisa do Fluminense em que dizia que o jornalista estava “merecendo levar uns tabefes pra aprender a ser homem”.

Em seguida, Bolsonaro entrou com a ação por dano moral, alegando que na vida militar jamais participou de tortura. Na defesa, Kfouri negou ofensa à honra do hoje presidenciável.

RedeTV retirou o púlpito vazio de Lula por exigência de Bolsonaro

O púlpito vazio de Lula foi retirado pela RedeTv, após protesto de Jair Bolsonaro, que ameaçou não participar do debate.

 A Emissora consultou os demais concorrentes que concordaram segundo Igor Gadelha, da Crusoé.

 Diante dessa situação constrangedora, Bolsoanro tem moral mesmo sem ser o presidente, mas pode ser ainda no primeiro turno.