Pular para o conteúdo principal

Joesley diz à PF que entregou mala de R$ 500 mil a Ciro Nogueira em garagem; senador nega


Imagem: Produção Ilustrativa / Política na Rede
















O empresário Joesley Batista, do grupo J&F, prestou no último dia 6 novo depoimento
 à Polícia Federal, em Brasília, sobre a suposta entrega de uma mala com R$ 500 mil 
ao senador Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional do Progressistas.


O depoimento, ao qual a TV Globo teve acesso, traz detalhes sobre o local e o 
repasse do dinheiro, aprofundando o relato feito pelo empresário em depoimento da 
delação, no ano passado.
O advogado de Ciro Nogueira disse, por nota, que ele nunca recebeu dinheiro de Joesley
 Batista e que a gravação da conversa vai comprovar isso. Disse, ainda, que Ciro 
Nogueira mantinha com Joesley uma relação "republicana" de um senador com um 
grande empresário.


Em depoimento, Joesley contou que, em 17 de março do ano passado, houve uma reunião
 entre ele, o ex-diretor do grupo J&F Ricardo Saud e o senador Ciro Nogueira por volta 
das 19h.


O encontro teria sido gravado "para registrar os diálogos e tratativas de entrega de
 R$ 500 mil para Ciro Nogueira, o que de fato ocorreu".


Segundo Joesley, a mala foi entregue por Saud para o senador Ciro Nogueira na garagem 
da casa do empresário, em São Paulo".


Em depoimento anterior, Joesley já havia relatado a entrega dessa quantia em uma mala
 para Ciro Nogueira, como pagamento de propina – sem dar os detalhes que acrescentou
 no novo depoimento.


Segundo o relato do empresário, ele repetiu o método usado com o ex-deputado Rodrigo
 Rocha Loures, ex-assessor do presidente Michel Temer, e que se tornou a cena mais 
conhecida da delação: uma mala de R$ 500 mil , também entregue por Ricardo Saud 
em São Paulo.


Na delação, no ano passado, Joesley relatou sua proximidade com Ciro Nogueira. Contou
 que o senador era um de seu principais interlocutores políticos para tratar de interesses 
da J&F nos últimos três anos.


Nesta terça-feira, o senador Ciro Nogueira, o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE)
 e o ex-deputado pelo Progressistas, hoje no PROS, Marcio Junqueira foram alvos de 
uma nova investigação da Lava Jato sobre a suspeita da compra de silêncio de uma 
testemunha, o ex-assessor do senador José Expedito Rodrigues Almeida.


Em relação ao novo depoimento sobre Ciro, o empresário Joesley Batista foi ouvido no
 inquérito que apura se o ex-procurador Marcelo Miller auxiliou os delatores da J&F 
enquanto ainda estava na Procuradoria Geral da República e se os delatores omitiram informações da delação.


Por causa dessas suspeitas, o acordo de delação está em revisão e os colaboradores podem 
perder os benefícios – mas a decisão definitiva ainda não foi tomada, cabe ao ministro
 Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

Politica na Rede
http://www.politicanarede.com/2018/04/joesley-diz-pf-que-entregou-mala-de-r.html#more

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cid Moreira reaparece e comove o Brasil: ”Vivo minha fase final”

Apresentador que marcou a história do ‘Jornal Nacional’ fala sobre os 90 anos. Famoso durante muito tempo por dar o ‘boa noite’’ no ‘’Jornal Nacional’’, Cid Moreira agora é mais conhecido por ser a ‘’’voz de Deus’’ [VIDEO]. Aos 90 anos de idade, o jornalista investe o seu tempo nas narrações de textos bíblicos e comove milhares de cristãos. Cid Moreira recusou-se a fazer propaganda milionária ao lado de Fátima Bernardes Cid é casado com Fátima Moreira há 16 anos e deu uma entrevista ao portal de notícias UOL sobre o fato de estar completando 90 anos com a saúde em dia. “Vivo minha fase final”, afirmou. Entre os muitos fatos pitorescos de sua vida narrados na reportagem, Moreira revela que se recusou a receber R$ 2 milhões para fazer uma propaganda de carne ao lado de Fátima Bernardes. A celebridade, na época, teria recebido R$ 5 milhões para o comercial. O jornalista também chegou a injetar silicone líquido no rosto, o que o fez quase perder a visão de um dos olhos. Filho processa Ci…

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Oficial de Justiça não consegue entregar notificação na residência oficial

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Foto: Andre Coelho / Agência O Globo BRASÍLIA - O oficial do Supremo Tribunal Federal (STF) foi na noite desta segunda-feira à residência oficial do Senado para entregar ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL) a notificação da decisão do ministro Marco Aurelio Melo sobre o afastamento da presidência do Senado. Renan se recusou a receber o oficial. O peemedebista foi até a porta e voltou sem a notificação. O oficial saiu alguns minutos depois com os papéis na mão. Segundo o secretário geral da mesa Senado, Bandeira de Melo, Renan alegou que não se pode receber notificação judicial após as 18h, segundo a lei. Perguntado sobre como Renan reagiu à decisão do ministro do Supremo, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, disse que ele está tranquilo e que vai receber a notificação amanhã às 11h. - Normalíssimo, frio, traquilo. Marcou para receber a notificaçao amanhã às 11 horas. Há um entra e sai de ca…

Jair Bolsonaro revoga nomeações de Michel Temer

Bolsonaro revogou quatro nomeações do ex-presidente Michel Temer e nomeou seus novos diretores, que não precisarão de escrutínio dos senadores. Por meio de medida provisória publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro revogou a exigência de o Senado sabatinar os diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), registra o “Estadão“. A revogação da sabatina dos diretores está no art. 85, II, c, que revoga o art. 88, parágrafo único, da Lei 10.233. “Os diretores deverão ser brasileiros, ter idoneidade moral e reputação ilibada, formação universitária, experiência profissional compatível com os objetivos, atribuições e competências do DNIT e elevado conceito no campo de suas especialidades, e serão indicados pelo ministro de estado dos Transportes e nomeados pelo presidente da República”, diz o texto. Há apenas cinco meses no cargo, o diretor-geral José da Silva Tiago foi substituído pelo general Antônio Leit…