Pular para o conteúdo principal

José Dirceu convoca militância para luta: 'temos de aprender a lutar em todas as frentes e temos de ser implacáveis'

Imagem: Pedro Ladeira / Folhapress


















Em uma rara aparição pública, feita em um salão apertado da capital federal, o
ex-ministro da Casa Civil José Dirceu defendeu na noite desta segunda-feira
(16) que a militância petista seja implacável, não deixando o governo federal
 funcionar.

Num discurso a cerca de cem militantes, em um cenário modesto comparado ao
 da época que era homem forte do Palácio do Planalto, ele pregou que "todo lugar
 deve ser uma trincheira" e que o papel principal do partido neste momento é de
libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e reelegê-lo.

"Todo lugar é uma trincheira. Onde eu estiver, vou estar numa trincheira, mas sou como 
um de vocês: eu estou preocupado com Lula, não comigo. Vocês podem ver que eu me 
cuidei. Eu sou um soldado, temos que libertar o Lula. Temos que enfrentá-los e não
 baixar a cabeça. Eles têm que ter certeza de que vamos ressurgir das cinzas. 
Temos que ser implacáveis com eles. Eles não deixaram a gente governar, por que 
vamos deixar eles governar?", questionou.


Condenado pela Operação Lava Jato e inexplicavelmente solto, o petista participou 
de plenária no Sindicato dos Servidores Públicos do Distrito Federal. Ele disse que 
o momento não é mais de só resistir e criticou o juiz federal Sergio Moro.


Na opinião dele, o magistrado é um instrumento de um "aparato de perseguição 
política" no país. "Eles estão transformando o processo eleitoral em um simulacro. 
Ao banir o Lula das eleições deste ano, evidentemente que a eleição passa a ser um 
simulacro", criticou.


Em uma espécie de auto-crítica, reconheceu que o seu partido falhou, que cometeu 
erros e que, agora, é o momento dele formar uma frente de luta e "ir ao encontro 
do povo".


"Nós temos uma contradição. Nós ganhamos as eleições, mas não temos base 
popular para defender o governo", disse. "Nós cometemos erros. A solidariedade
 e o apoio da militância é porque ela é generosa", acrescentou.


Com o risco de ser preso, o petista disse que hoje está preocupado com a situação 
do ex-presidente petista, não com a dele, e que pretende em junho lançar seu livro
 de memórias.


Há quase um ano, com votos favoráveis de Gilmar Mendes, Toffoli e 
Lewandowski, Dirceu conseguiu o direito de aguardar recurso em liberdade. 
Em 2016, ele foi condenado pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção 
passiva e organização criminosa. A pena dele chega a 30 anos e 9 meses de prisão.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eunício pede ao STF para que negue pedido de votação aberta na eleição do Senado

Eunício Oliveira acaba de enviar um ofício ao STF pedindo para que Marco Aurélio Mello não acate o pedido para que a votação para a presidência do Senado seja aberta.

O Antagonista

EUA reagem ao envio de bombardeiros russos à Venezuela

Autoridades dos Estados Unidos reagiram vigorosamente ao envio de bombardeiros estratégicos russos TU-160 para a Venezuela. Autoridades do Pentágono disseram que dois bombardeiros russos – o Tupolev TU-160 BlackJacks, que pode voar a velocidades supersônicas – estão na Venezuela, junto com todos equipamentos necessários para reabastecimento e manutenção. Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, condenou a decisão de Moscou de enviar os bombardeiros nucleares para a Venezuela. Ele declarou:

Jornalistas da grande mídia celebram prêmio falso para repórter da Folha

Profissionais de veículos da grande mídia brasileira estão parabenizando uma jornalista da Folha por um prêmio falso divulgado por perfil paródia no Twitter. Tudo começou com um tuíte do usuário @monicabengamo no Twitter. O perfil aparenta ter viés humorístico, uma espécie de paródia com a jornalista da “Folha de S. Paulo“, Mônica Bergamo. A mensagem original foi publicada na sexta-feira (14) às 16h40 (horário de Brasília).  “A competente colega Patrícia Campos Mello acaba de ganhar o Prêmio Folha Brasileiro do Ano 2018. O Prêmio a reconheceu como “Guardiã da Verdade”, afirma o perfil.