Pular para o conteúdo principal

PT terá que devolver R$ 1,5 milhão do fundo partidário, decide TSE; DEM devolverá R$ 1 milhão


Imagem: Reprodução / Redes Sociais

















O Tribunal Superior Eleitoral determinou nesta quinta-feira (26) que o Partido dos 
Trabalhadores (PT) e o Democratas devolvam aos cofres públicos, respectivamente,
 R$ 1,5 milhão e R$ 1 milhão, em virtude de irregularidades identificadas na utilização 
de recursos do Fundo Partidário. Os dois casos dizem respeito às prestações de contas
 dos diretórios nacionais das agremiações referentes ao ano de 2012, que foram julgadas
 na sessão plenária desta manhã.


Os dois partidos também deverão investir mais recursos em programas de incentivo 
à participação das mulheres na política. No caso do DEM, o tribunal ainda decidiu 
suspender o equivalente a uma parcela mensal do Fundo Partidário, que será descontada
 de forma parcelada no ano que vem.

No caso do PT, foram identificados os seguintes problemas no uso de recursos do Fundo
 Partidário: ausência de documentação envolvendo despesas de fretamento de aeronaves e
 gastos com bufê; não utilização de bilhetes aéreos; pagamento de despesas com juros e
 multas utilizando recursos do Fundo Partidário; repasse irregular de recursos do fundo a
 diretórios cujas contas foram desaprovadas; falta de comprovação de despesas referentes
 a programas de promoção das mulheres na política.


“As irregularidades apontadas, todas alusivas a má gestão de recursos do Fundo Partidário,
 perfazem um total de R$ 3,39 milhões, o que corresponde a 7,42% do total dos recursos 
provenientes do Fundo Partidário distribuídos ao PT em 2012”, destacou o relator do caso,
 ministro Admar Gonzaga. Mesmo assim, as contas do partido foram aprovadas com 
ressalvas pelo TSE.


Admar destacou que, apesar de “um mínimo de elementos indicativos de má-fé do partido”,
 a jurisprudência da Corte permite a aprovação das contas com ressalvas, mediante a
 aplicação dos princípios da “proporcionalidade e da razoabilidade”.


“A aprovação das contas com ressalvas não impede posterior apuração acerca de eventuais
 fatos ilícitos posteriormente identificados”, ressaltou Gonzaga.


Para o advogado do PT Breno Bergson Santos, as despesas referentes à participação
 feminina foram destinadas para o ano seguinte, em 2013. A legislação determina que as
 agremiações destinem 5% do Fundo Partidário para a promoção de programas que
 incentivem a participação de mulheres na política.


“Houve na verdade contingenciamento de recursos. Poucos partidos promoveram tanto 
políticas para mulheres quanto o PT, até porque em 2010 a primeira presidente eleita foi 
do PT”, destacou o advogado.


Democratas. No caso do DEM, pesou contra o partido o fato de a sigla não ter cumprido
 a ação afirmativa de incentivo às mulheres pelo terceiro ano consecutivo.


“No Brasil, as leis não são cumpridas, e isso é lamentável. É o terceiro ano em que o 
tribunal se debruça sobre essas contas (do Democratas) e não houve esse incentivo.
 É um tema tão caro a todos nós esse incentivo à participação feminina e não há aplicação,
 há reiteração da não destinação desses valores. A gravidade há de ser considerada, sim”,
 disse a relatora do caso do DEM, ministra Rosa Weber.


Rosa assumirá o comando da Corte Eleitoral em agosto deste ano e é considerada uma 
das ministras mais rigorosas do tribunal.


O ministro Alexandre de Moraes abriu uma divergência da relatora, ao defender a
 aprovação com ressalvas das contas do DEM. Moraes também se opôs à suspensão do 
equivalente a um repasse mensal do Fundo Partidário.


Durante a sessão, os ministros do TSE decidiram ainda reprovar as contas do diretório
 nacional do PCO e determinar que a sigla devolva aos cofres públicos um montante 
de R$ 29,8 mil.


As penalidades aplicadas aos partidos dizem respeito às prestações de contas de 2012 e
 deverão ser corrigidas por juros.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…