Pular para o conteúdo principal

PT terá que devolver R$ 1,5 milhão do fundo partidário, decide TSE; DEM devolverá R$ 1 milhão


Imagem: Reprodução / Redes Sociais

















O Tribunal Superior Eleitoral determinou nesta quinta-feira (26) que o Partido dos 
Trabalhadores (PT) e o Democratas devolvam aos cofres públicos, respectivamente,
 R$ 1,5 milhão e R$ 1 milhão, em virtude de irregularidades identificadas na utilização 
de recursos do Fundo Partidário. Os dois casos dizem respeito às prestações de contas
 dos diretórios nacionais das agremiações referentes ao ano de 2012, que foram julgadas
 na sessão plenária desta manhã.


Os dois partidos também deverão investir mais recursos em programas de incentivo 
à participação das mulheres na política. No caso do DEM, o tribunal ainda decidiu 
suspender o equivalente a uma parcela mensal do Fundo Partidário, que será descontada
 de forma parcelada no ano que vem.

No caso do PT, foram identificados os seguintes problemas no uso de recursos do Fundo
 Partidário: ausência de documentação envolvendo despesas de fretamento de aeronaves e
 gastos com bufê; não utilização de bilhetes aéreos; pagamento de despesas com juros e
 multas utilizando recursos do Fundo Partidário; repasse irregular de recursos do fundo a
 diretórios cujas contas foram desaprovadas; falta de comprovação de despesas referentes
 a programas de promoção das mulheres na política.


“As irregularidades apontadas, todas alusivas a má gestão de recursos do Fundo Partidário,
 perfazem um total de R$ 3,39 milhões, o que corresponde a 7,42% do total dos recursos 
provenientes do Fundo Partidário distribuídos ao PT em 2012”, destacou o relator do caso,
 ministro Admar Gonzaga. Mesmo assim, as contas do partido foram aprovadas com 
ressalvas pelo TSE.


Admar destacou que, apesar de “um mínimo de elementos indicativos de má-fé do partido”,
 a jurisprudência da Corte permite a aprovação das contas com ressalvas, mediante a
 aplicação dos princípios da “proporcionalidade e da razoabilidade”.


“A aprovação das contas com ressalvas não impede posterior apuração acerca de eventuais
 fatos ilícitos posteriormente identificados”, ressaltou Gonzaga.


Para o advogado do PT Breno Bergson Santos, as despesas referentes à participação
 feminina foram destinadas para o ano seguinte, em 2013. A legislação determina que as
 agremiações destinem 5% do Fundo Partidário para a promoção de programas que
 incentivem a participação de mulheres na política.


“Houve na verdade contingenciamento de recursos. Poucos partidos promoveram tanto 
políticas para mulheres quanto o PT, até porque em 2010 a primeira presidente eleita foi 
do PT”, destacou o advogado.


Democratas. No caso do DEM, pesou contra o partido o fato de a sigla não ter cumprido
 a ação afirmativa de incentivo às mulheres pelo terceiro ano consecutivo.


“No Brasil, as leis não são cumpridas, e isso é lamentável. É o terceiro ano em que o 
tribunal se debruça sobre essas contas (do Democratas) e não houve esse incentivo.
 É um tema tão caro a todos nós esse incentivo à participação feminina e não há aplicação,
 há reiteração da não destinação desses valores. A gravidade há de ser considerada, sim”,
 disse a relatora do caso do DEM, ministra Rosa Weber.


Rosa assumirá o comando da Corte Eleitoral em agosto deste ano e é considerada uma 
das ministras mais rigorosas do tribunal.


O ministro Alexandre de Moraes abriu uma divergência da relatora, ao defender a
 aprovação com ressalvas das contas do DEM. Moraes também se opôs à suspensão do 
equivalente a um repasse mensal do Fundo Partidário.


Durante a sessão, os ministros do TSE decidiram ainda reprovar as contas do diretório
 nacional do PCO e determinar que a sigla devolva aos cofres públicos um montante 
de R$ 29,8 mil.


As penalidades aplicadas aos partidos dizem respeito às prestações de contas de 2012 e
 deverão ser corrigidas por juros.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…

Pré-candidato, Collor diz que não se arrepende de confisco da poupança

Ex-presidente falou sobre a prisão de Lula: "uma injustiça"

O ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PTC), em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira (13), afirmou que o confisco das cadernetas de poupança implementado por seu governo "era uma necessidade absoluta" e que "faria do mesmo jeito" se tivesse que voltar àquele momento.


"Era uma necessidade absoluta. Se voltando àquele momento, faria do mesmo jeito. Tem a questão do próprio impeachment, que é uma coisa interessante", disse, ao ser questionado se o gesto foi um equívoco.


"O que houve foi um bloqueio do dinheiro que circulava na economia. A inflação estava em 82% ao mês. Havia instrumentos de especulação financeiros danosos, tínhamos que criar um ambiente em que pudéssemos fazer um congelamento de preços, que é algo terrível, uma medida que a gente deve evitar o quanto possível", disse ele na entrevista.


O senador disse ainda que continuará com a pré-can…

Briga entre advogados de Lula se torna explícita e agora envolve familiares

12911
A humilhação a que o abobalhado Cristiano Zanin submeteu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence, extrapolou os limites do bom senso e da discrição e já envolve parentes dos envolvidos. A indignação do filho de Sepúlveda, Evandro Pertence, segundo conta o jornal Estadão, foi estampada no seguinte torpedo disparado contra Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, num grupo de WhatsApp: “Não precisamos de vocês para ter qualquer tipo de protagonismo! Meu pai é e sempre será maior que vocês”. Lamentável que, certamente por dinheiro – não há outra explicação - Sepúlveda se nivele por tão baixo.
Perdemos um grande jurista para o PT. É mais um estrago provocado por esta infame organização criminosa. É também a demonstração da notória inteligência da seguinte expressão popular: "Quem com porcos anda, farelo come."
Informação do Jornal da Cidade