Pular para o conteúdo principal

Após Gilmar mandar soltar, Procuradoria pede nova prisão de operador do PSDB


Imagem: Reprodução / Redes Sociais


















A Procuradoria da República em São Paulo voltou a pedir a prisão do ex-diretor da Dersa,
 Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB, em audiência, nesta segunda-feira, 
14. Para o Ministério Público Federal, ele demonstrou ‘total desrespeito à Justiça’ ao não
 comparecer à oitiva. Souza foi solto na sexta-feira, 11, por decisão do ministro do STF Gilmar
 Mendes.

O ministro também concedeu, em outra decisão, habeas corpus para que ficasse
 suspenso o interrogatório de Souza nesta segunda, 14. Na audiência, além de outros acusados, 
somente compareceram os advogados do ex-diretor da Dersa.
Para a procuradora Adriana Scordamaglia, ‘independente da natureza da audiência e dos 
atos praticados em outra instância, diga-se, STF, o fato é que o acusado Paulo Vieira 
de Souza demonstrou total desrespeito à Justiça de 1ª instância e a todos os demais 
corréus que compareceram ao ato’.

“Não há justificativa para a sua ausência, sobretudo a desnecessidade da mesma em virtude 
de um HC que lhe concedeu a liberdade, não o dispensou de comparecimento aos 
demais atos processuais”, sustenta.

A procuradora ressalta que ‘o processo-crime tramita na primeira instância a quem tem o 
poder para dispensá-lo é o juiz natural da causa’. “Assim, surgindo fato novo, independente
 dos já declinados no pedido de prisão preventiva que ainda persistem, o MPF manifesta-se
 pela nova decretação da prisão preventiva do acusado para garantia da instrução processual, 
da ordem pública e conveniência da mesma”.

“Deixar passar em branco tal desídia significa desacreditar que a Justiça de Primeira Grau tem
 extremado valor para todo o sistema jurídico brasileiro”, afirma.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO ANDRÉ LUIZ GERHEIM, QUE DEFENDE PAULO VIEIRA
 DE SOUZA

Durante a audiência, o advogado de Souza, ‘ao contrário do que afirmado pelo MPF, o réu Paulo 
Vieira de Souza apenas não compareceu ao presente ato por conta de decisão no HC 156.760
 do STF que determinou que este ilustre juízo não iniciasse a instrução processual antes da
 apreciação das respostas à acusação’.

“Assim, como a presente audiência foi marcada para instrução, interrogatório e julgamento, 
não se fazia necessária a presença do Sr. Paulo Vieira de Souza, não tendo este desobedecido
 qualquer decisão desse ilustre juízo, mas sim tendo cumprido o determinado pelo ilustríssimo 
Sr. Ministro Gilmar Mendes, em HC diverso do que determinou a sua soltura. Desta forma, não
 há que se falar em qualquer fato novo para determinar qualquer medida constritiva contra
 o réu”, sustentou.

Politica na rede

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sumiço da Faca e o registro na Câmara: Adelio não agiu sozinho, alerta Alexandre Garcia (Veja o Vídeo)

Algo de muito podre ronda a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados.

Após o golpe em Jair Bolsonaro, Adelio se livrou rapidamente da faca. Tudo indica que repassou para alguém, tanto é que a ‘arma branca’ foi encontrada numa barraca de ambulante, nas imediações. Alguém jogou esta faca onde foi achada. Parece óbvio. A questão do registro na Câmara também deve ser cuidadosamente examinada. Algo de muito podre ronda a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados. O diretor do setor alega que um recepcionista registrou por engano a entrada de Adélio Bispo de Oliveira no local, no dia 6 de setembro, o dia do atentado contra Jair Bolsonaro. Ora, foram constatados os registros de duas entradas do criminoso. O tal servidor registrou por engano duas vezes? E o nome do servidor distraído agora é mantido sob sigilo? Parece óbvio que caso o atentado tivesse sido exitoso e no meio da multidão Adelio alcançasse a fuga, o álibi estaria pronto. Esse era o plano e isto parece bem claro. Veja o vídeo…

PT atrasa pagamentos e funcionários da campanha cruzam os braços

Por causa de atraso nos pagamentos, parte dos funcionários da campanha do PT à Presidência nas eleições 2018 decidiu cruzar os braços e interrompeu os trabalhos nesta semana, em meio à substituição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato, por Fernando Haddad como cabeça de chapa. Os profissionais integram as equipes responsáveis pela produção dos programas eleitorais do partido para a TV, o que ameaça a entrega dos novos comerciais da coligação.
O Estadão/Broadcast apurou que parte da equipe de pré e pós-produção de vídeo da campanha petista está parada há pelo menos dois dias, o que pode atrapalhar a produção de programas dedicados a apresentar Haddad como indicado de Lula, cuja candidatura foi barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base na lei da Ficha Limpa, que torna inelegível condenados por decisão colegiada.
A paralisação dentro da campanha começou, de maneira progressiva, na semana passada, durante o feriado de 7 de Setembro. Os co…

Alvaro Dias chama Bolsonaro de “vagabundo bandido” e “quase morto” e recebe resposta do senador Magno Malta

Sem saber que estava sendo gravado, Álvaro Dias aproveitou para destilar todo o seu veneno com comentários maldosos sobre Jair Bolsonaro. O candidato do Podemos afirmou que Bolsonaro é um “vagabundo bandido” e que ‘ta quase morto”. Ainda no mesmo trecho, Dias afirma que “se não fosse a facada eu estaria destruindo ele hoje.”
Alvaro Dias ataca Bolsonaro e recebe A RESPOSTA de Magno Malta