Pular para o conteúdo principal

Delator Da Lava-Jato Rompe O Silêncio, Vira O Jogo E Se Torna ‘Pedra No Sapato’ De Dias Toffoli Do STF


Os conteúdos de colaboração premiada de presos que estão detidos no âmbito das investigações da força-tarefa da Operação Lava Jato podem complicar não somente o mundo da política, mas também,envolver diretamente membros integrantes da mais alta instância do Poder Judiciário do país, o Supremo Tribunal Federal (STF)
Entretanto, vale ressaltar que uma verdadeira “hecatombe” pode tomar conta da realidade, a partir do momento em que figuras da mais alta instância de Justiça venham a ser citadas ou envolvidas em esquemas criminosos que permeiam a realidade do país, o que parece não estar muito longe de acontecer.
Um dos casos mais emblemáticos trata-se das revelações do acordo de colaboração premiada negociado nesta segunda-feira (30), de um dos presos mais famosos da #Lava Jato, da #Polícia Federal, o ex-diretor da Petrobras nomeado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Renato Duque.
Vale ressaltar que Duque é muito próximo ao ex-ministro da Casa Civil durante o governo Lula, José Dirceu. O ex-diretor encontra-se preso nas dependências da Polícia Federal, na capital do Paraná, Curitiba. O processo que revelou a corrupção generalizada e que envolve desvios bilionários na Petrobras, com a participação do ex-diretor da estatal, faz parte das investigações da força-tarefa da maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea do Brasil, a Lava Jato, conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.
‘Desconstrução’ de decisão de ministro do Supremo
Uma notícia que se transformou em grande repercussão, já nesta segunda-feira (30), trata-se da negociação para a implementação de um acordo de colaboração premiada entre o ex-diretor da área de Serviços da Petrobras, Renato Duque e a força-tarefa de trabalho da Operação Lava Jato, sediada em Curitiba.
Vale lembrar que Duque encontra-se preso há mais de três anos e meio e está prestes a confirmar um acordo de delação premiada que poderá envolver diretamente José Dirceu e o próprio PT, justamente dias após a tentativa de ministros da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal em retirar das mãos do juiz Sérgio Moro, conteúdos dos acordos de colaboração premiadas de ex-executivos da empreiteira Odebrecht e remetê-los para a Justiça Federal do estado de São Paulo.
Porém, de acordo com o site ” O Antagonista”, o provável delator Renato Duque tem potencial “explosivo” para se tornar uma verdadeira “pedra no sapato” do ministro do Supremo, José Antonio Dias Toffoli, que já foi advogado do PT.
Embora Toffoli atuasse, de modo a tentar livrar o ex-presidente Lula, da cadeia em Curitiba, Duque já chegou a revelar ao juiz Sérgio Moro que teria tido encontros secretos com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva num hangar em Brasília.
Duque foi ainda mais longe, ao revelar que o ex-mandatário petista não somente tinha conhecimento de toda a roubalheira na Petrobras, como era um dos principais beneficiados. Além disso, ele pode revelar com detalhes pagamentos de mais de 40 milhões de reais em propina para o ex-ministro José Dirceu e ao PT, através de contratos fraudulentos da estatal, como também para a reforma do sítio de Atibaia e a compra de um terreno para a construção do Instituto Lula.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…