Pular para o conteúdo principal

Filha de Cunha busca evangélicos por vaga na Câmara


Ficha de filiação de Danielle Dytz da Cunha ao MDB foi abonada 

pelo filho do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral

Igor Gadelha, Agência Estado
07 Maio 2018


ctv-xjs-daniellecunha
Danielle Dytz da Cunha, filha do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), chega para visitá-lo na sede da Polícia Federal, em Curitiba (PR). Foto: Rodrigo Felix Leal/Futura Press

Brasília - Filha mais velha do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ), a publicitária Danielle Dytz da Cunha quer usar o espólio eleitoral do pai, preso desde outubro de 2016 na Lava Jato, para tentar conquistar uma vaga este ano na Câmara. Ela busca apoio principalmente de igrejas evangélicas, mesmo reduto eleitoral que garantiu a Cunha maior parte dos 232,7 mil votos que teve no pleito de 2014, quando foi o terceiro deputado federal mais bem votado do Rio.
Danielle decidiu disputar as eleições a pedido do pai, que está inelegível até 2027 após ter o mandato cassado em setembro de 2016 por ter mentido sobre a posse de contas bancárias no exterior. Sem foro privilegiado, Cunha foi preso um mês depois da cassação por ordem do juiz federal Sérgio Moro, que condenou o emedebista posteriormente a 15 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem e evasão de divisas no âmbito da Lava Jato. 
O primeiro passo para viabilizar a candidatura de Danielle foi se filiar ao mesmo partido do pai, o MDB, em 3 de outubro passado, pouco mais de seis meses após a condenação de Cunha por Moro. A ficha de filiação foi abonada pelo deputado federal Marco Antônio Cabral (MDB-RJ). Ele é filho do ex-governador Sérgio Cabral, condenado a mais de 100 anos de prisão pela Lava Jato.
Filiada, Danielle procurou apoio da Assembleia de Deus de Madureira – que, só no Rio, tem cerca de 250 mil fiéis, segundo cálculos não oficiais de seus integrantes. Essa foi a mesma igreja que apoiou a eleição de seu pai em 2014. No ano seguinte foi citada em denúncia do Ministério Público, que acusou Cunha de receber pelo menos R$ 250 mil em propinas por intermédio da instituição religiosa.
Desde então, a publicitária passou a frequentar eventos da igreja. No feriado de 1º de maio, por exemplo, participou da tradicional confraternização das filiais da Assembleia de Deus de Madureira no Rio. O evento aconteceu durante todo o dia no sítio da igreja no bairro Campo Grande, Zona Oeste do Rio, e contou com as finais de campeonatos internos de futebol e dança. Segundo relatos de presentes, ela se mostrou à vontade e posou para fotos com fiéis.
‘Oficial’. Na busca por votos, Danielle conta com um influente apoio: o do ex-deputado e bispo Manoel Ferreira (PSC), presidente vitalício da Convenção Nacional das Assembleia de Deus no Brasil e que comanda o Ministério de Madureira. A publicitária quer se apresentar como a “candidata oficial” da igreja, mas tem concorrentes. Integrante de outra ramificação da Assembleia de Deus, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) também busca o apoio do Ministério de Madureira.
Com ou sem o apoio da igreja, a candidatura da filha de Cunha é dada como certa no MDB. “Ela será candidata e será eleita”, disse ao Estadão/Broadcast o presidente nacional do partido, senador Romero Jucá (RR). “Ela tem potencial”, aposta o deputado federal Leonardo Picciani, presidente estadual do MDB no Rio – cujo pai, o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Jorge Picciani (MDB), também está preso, embora em regime domiciliar.
Picciani foi procurado recentemente por Danielle, que pediu para disputar uma das vagas de deputada federal pela legenda. Os dois se reuniram na sede do partido no Rio. No encontro, segundo relatos, ele garantiu que o partido vai incluí-la na lista de candidatos. A publicitária é um dos seis nomes que o MDB do Rio espera eleger para a Câmara neste ano. Em 2014, foram oito, o que tornou a bancada emedebista fluminense a maior dentro do partido na Casa.
Procurada, Danielle Cunha não quis se manifestar.

ESTADÃO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eunício pede ao STF para que negue pedido de votação aberta na eleição do Senado

Eunício Oliveira acaba de enviar um ofício ao STF pedindo para que Marco Aurélio Mello não acate o pedido para que a votação para a presidência do Senado seja aberta.

O Antagonista

EUA reagem ao envio de bombardeiros russos à Venezuela

Autoridades dos Estados Unidos reagiram vigorosamente ao envio de bombardeiros estratégicos russos TU-160 para a Venezuela. Autoridades do Pentágono disseram que dois bombardeiros russos – o Tupolev TU-160 BlackJacks, que pode voar a velocidades supersônicas – estão na Venezuela, junto com todos equipamentos necessários para reabastecimento e manutenção. Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, condenou a decisão de Moscou de enviar os bombardeiros nucleares para a Venezuela. Ele declarou:

Filha de João de Deus diz ter sido abusada pelo pai quando criança

Uma das filhas do médium João de Deus afirmou que sofreu abusos sexuais do pai dos 10 aos 14 anos. A afirmação foi feita em entrevista gravada em 2016 por uma rádio de Goiânia e exibida pelo “Jornal da Record” na noite desta terça-feira (11). “Ele é manipulador. Ele é mau. Ele é estranho, é diferente. Eu já pedi muito a Deus que ele se arrependesse do que fez e faz”, afirmou Dalva Teixeira no vídeo, segundo informações do “UOL“. Segundo ela, sua mãe havia tido um relacionamento breve com o médium e ela só conheceu o pai quando tinha 10 anos. “[Quando o conheci], ele tirou minha roupa toda, tirou a dele e ficou a noite inteira me molestando”, afirmou. De acordo com Dalva, os casos de abuso se repetiram por quatro anos. “Isso foi até os 14 anos, quando então eu me casei para sair de casa.”