Pular para o conteúdo principal

'Fui lá como pai e cidadão. Minha filha de apenas 45 dias já não consegue dormir com toda essa barulheira', diz delegado que quebrou som do acampamento pró-Lula


Imagem: Reprodução / Redes Sociais


















O delegado da Polícia Federal Gastão Schefer Neto, 45, que quebrou, na manhã desta 
sexta-feira (4), o equipamento de som usado por petistas no acampamento em defesa 
do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba, disse que foi até o local porque
 estava irritado com o barulho: "Fui lá como pai e cidadão. Minha filha de apenas 45
 dias já não consegue dormir com toda essa barulheira", disse Schefer em entrevista
 por telefone.

Segundo relato de petistas, que gravaram imagens do delegado, ele invadiu o
 acampamento e quebrou o equipamento de som no momento em que se preparavam 
para o grito de "bom dia, Lula", que repetem todas as manhãs. Schefer afirmou que
 empurrou o equipamento enquanto discutia com apoiadores do ex-presidente e que 
não estava armado.

"Empurrei o equipamento que caiu, mas estava funcionando, mesmo após a queda. 
Toda a polêmica é porque sou servidor público federal. O Lula está condenado a 
12 anos [e um mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro]. Eles vão ficar todo
 esse tempo no acampamento? Quem vai aguentar? É cheiro de álcool, lixo sem recolher
 e algazarra o tempo todo e ninguém consegue resolver isso", afirmou.


Lula cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba desde o dia 7 de abril. 
O prédio fica no bairro Santa Cândida, onde foi montado acampamento.


"Moro há 20 metros de onde montaram este acampamento e, assim como outros 
moradores, estou incomodado com tudo isso. É "Bom dia, Lula, "Boa tarde, Lula" 
e "Boa noite, Lula" e as palavras de ordem sem parar. Pago meus impostos e sou um 
cidadão. Temos direito ao descanso. Já houve confusões com outros moradores. 
Quem está cansado de tudo isso somos nós que moramos aqui e perdemos qualquer 
privacidade. Não tem nenhuma ligação com a Polícia Federal ou com cargo de 
delegado", disse.




Ameaças e agressões


O delegado da PF afirma ainda que vem sendo intimidado e ameaçado. "Quando venho 
para casa, eles ficam de olho. Disseram para a diarista que trabalha em casa para me
 avisar que eles sabiam que havia um delegado da PF que morava aqui", afirmou.


Assim como os manifestantes que integram o acampamento, Schefer também registrou
 boletim de ocorrência na Polícia Civil por agressão.


"Saí de casa, irritado com a perturbação do sono de minha filha, que passou boa parte 
da noite sem dormir. Empurrei o equipamento e de imediato, eles se juntaram e me 
deram um 'mata-leão'. Quase desmaiei. Fui chutado pelas costas e recebi socos no
 rosto, até a chegada de policiais militares".



"Foi um ato de revolta de um pai de família"


Suplente de deputado federal no Paraná pelo Partido da República (PR), Neto diz que
 não será candidato nas eleições deste ano e que sua atitude não teve motivação política. 
"Foi um ato de revolta de um pai de família".


Defensor da revogação do Estatuto do Desarmamento, o delegado assume uma simpatia
 pela pré-candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) à presidência, por 
"alinhamento de ideias". Sobre Lula, diz que é um "sentenciado, cumprindo sua pena".


Em nota, o movimento "Lula livre" cobrou providências da Polícia Federal e afirmou que
 o delegado "aproximou-se aos berros da esquina democrática Olga Benário, ameaçando 
a todos e todas que ali estavam… depois de continuar tentando intimidar os militantes,
 registrando seus rostos com um telefone celular".


A PF informou que o ataque aconteceu fora da superintendência e que não tem a ver com
 o cargo do delegado, por isso, não vai investigar o caso.


A assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná informou que dois boletins de 
ocorrência foram registrados sobre o caso no 4º Distrito Policial de Curitiba. 
Segundo a assessoria, testemunhas serão ouvidas e imagens de câmeras de 
segurança serão solicitadas.

Folha Política

Comentários

Kelly Izaneth disse…
Tá certo mesmo..😡😤
Eu tbm faço isso, pessoas q querem estar no som alto até altas hrs da madrugada, eu falo mesmo, pois tenho 3 crianças e um bb 😠

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro reage a Boulos: “Vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”

Em sua ‘live’ de domingo no Facebook, Jair Bolsonaro reagiu ao vídeo de um comício feito por Guilherme Boulos na quarta-feira passada, ao lado de Gleisi Hoffmann, em cima de um carro de som no Masp, em São Paulo, no qual o candidato derrotado do PSOL disse que só deixaria passar o feriadão para voltar a fazer mobilizações pelo país e a militância cantou em coro: “Ô Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Boulos afirmou que “o MTST ocupa terreno improdutivo, e a casa do Bolsonaro não me parece uma coisa muito produtiva”. “Você deve ter visto um vídeo de ontem, ou anteontem, do Boulos insuflando uma massa enorme para invadir, ocupar a minha residência. O que você faria se o Boulos e 2 mil pessoas ameaçassem invadir a sua residência? Se eu for o presidente e se o Parlamento assim entender, nós vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”, disse Bolsonaro.
O Antagonista

Patrícia Pillar critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro

Através de comentário feito na postagem, Patrícia usou várias narrativas esquerdistas para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil.

Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.

A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de “Bolsa Presidiário”, fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ainda traz o questionamento: “Tem certeza que o PT sabe governar?”

Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro.

A ex-mulher de Ciro Gomes (PDT) declarou:


Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que n…

Haddad tenta jogar católicos contra evangélicos

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, participou de uma missa em São Paulo nesta sexta-feira (12). Em entrevista, logo após, o petista atacou Bolsonaro e tentou dividir cristãos. O dia de Nossa Senhora Aparecida foi utilizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar construir a imagem de um Fernando Haddad com bases religiosas. “Eu sou neto de um líder religioso”, respondeu o candidato do PT ao ser chamado de “abortista” por uma cristã após a missa na paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela, em São Paulo.