Pular para o conteúdo principal

Juiz indicia Cristina Kirchner e seus filhos por lavagem de dinheiro


Imagem: Reprodução / Redes Sociais




















Um juiz indiciou nesta segunda-feira, 14, a ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner 
(2007-2015) e seus filhos, Máximo e Florencia Kirchner, por lavagem de dinheiro e formação
 de quadrilha, em um caso de supostas irregularidades com empresários por meio da 
empresa familiar Hotesur.

Esse é o quinto indiciamento de Cristina, que tomou posse como senadora em dezembro.
 A investigação do Caso Hotesur apura se a família da ex-presidente recebeu 
pagamentos de empresários, ligados a projetos de obras públicas, por meio de aluguel de 
quartos de um hotel administrado por uma empresa de Cristina e seus dois filhos – a
 Hotesur –, na Patagônia. 

Uma das hipóteses investigadas é a de que Cristina e seu marido, Néstor Kirchner, 
ex-presidente que morreu em 2010, e seus filhos receberam dinheiro por meio do aluguel 
de quartos, em um negócio “aparentemente legítimo”. 

De acordo com o juiz, a renda desses aluguéis “ocultou sua verdadeira origem ilícita”.
 Segundo o jornal Clarín, as transferências incluiriam os US$ 4,6 milhões da filha de
 Cristina embargados há dois anos no Banco Galicia. 

Em março, Ercolini já havia determinado uma intervenção na companhia hoteleira.
 Na ocasião, ele afirmou que a Hotesur tinha sido uma das companhias por meio das 
quais a família Kirchner “teria recebido periodicamente dinheiro obtido mediante fraude
 contra o Estado nacional”.

Em novembro, Cristina prestou depoimento sobre o escândalo Hotesur. Diante dos 
investigadores, ela negou todas as acusações e afirmou que as atividades da
 empresa familiar eram legais. Segundo Cristina, as denúncias eram frutos
 de “perseguição” política. 

O processo começou em novembro de 2014, após uma denúncia da então deputada
 Margarita Stolbizer. De acordo com o juiz, tudo começou em razão da necessidade 
de Néstor e de Cristina de obter dinheiro “limpo” para “justificar a compra dos hotéis 
Alto Calafate e Las Dunas, na Província de Santa Cruz, reduto do casal. 

Em março, o mesmo juiz já havia determinado que Cristina será levada a julgamento oral
 pela acusação de formação de quadrilha em relação à concessão de obras públicas durante 
seu governo. Neste caso, também estão envolvidos o ex-ministro de Planejamento 
Julio de Vido e o empresário Lázaro Baez, amigo da família.

Cristina também foi indiciada – e com uma ordem de detenção que não foi executada
 em razão da imunidade parlamentar – pelo suposto acobertamento de funcionários do 
governo iraniano suspeitos de cometer um atentado contra uma associação judaica de
 Buenos Aires que deixou 85 mortos, em 1994.

Politica na Rede

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…