Pular para o conteúdo principal

Libertar Cuba, Nicarágua e Venezuela é prioridade para EUA, diz vice-presidente


Imagem: Reprodução / Redes Sociais

















Trabalhar pela liberdade em Cuba, Nicarágua e Venezuela é prioridade para o governo de
Donald Trump, declarou o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, nesta
quarta-feira (2).


"O Ocidente é uma prioridade crucial para os Estados Unidos porque a segurança e a
prosperidade de nossa região afetam diretamente a segurança e a prosperidade do
povo americano", disse Pence ao empossar na Casa Branca o novo embaixador
americano na Organização dos Estados Americanos (OEA), Carlos Trujillo.

"Ainda temos muito trabalho a fazer" na região, afirmou Pence. E como temas pendentes
 mencionou Cuba, Nicarágua e Venezuela.


Disse que em Cuba continua vivo o legado de tirania dos líderes da revolução comunista 
de 1959 de Fidel e Raúl Castro, apesar da morte do primeiro e da recente saída do poder 
do segundo. "Paira sobre esse país como uma nuvem, obscurecendo o futuro de todos os
 que chamam essa ilha de lar", afirmou.


Sobre a Nicarágua, assinalou que o governo de Daniel Ortega reprimiu brutalmente o
 povo que recentemente se alçou em protestos pacíficos. Ortega, um ex-guerrilheiro 
da revolução sandinista de 1979 que preside o país desde 2007, enfrenta desde
 18 de abril manifestações que já deixaram mais de 40 mortos.


"E na Venezuela, sob o mandato do ditador Nicolás Maduro, a outrora florescente 
democracia se desintegrou em uma ditadura. E o que alguma vez foi a nação mais 
próspera da América do Sul se tornou em uma das mais pobres", apontou Pence.


"Iremos nos manter ao lado de todos os que almejam a liberdade e enfrentaremos 
seus opressores", enfatizou o vice-presidente, que na próxima segunda-feira fará um
 discurso no conselho permanente da OEA para reafirmar o compromisso dos Estados 
Unidos com a região.


"Sabemos que dias melhores para o novo mundo estão por vir", concluiu.


O vice-presidente disse a Trujillo que sua responsabilidade na OEA, que acaba de 
completar 70 anos de existência, será "forjar alianças mais fortes em prol dos interesses
 dos Estados Unidos".


"Espero trabalhar diligentemente com essa determinação e nunca vacilar até que 
Venezuela, Cuba, Nicarágua e o Ocidente sejam livres", assinalou Trujillo, descendente 
de cubanos que deixaram a ilha após a revolução dos Castro.


Nascido em Long Island, mas criado em Miami, Trujillo apoiou Trump durante 
a campanha de 2016 e assistiu a posse do presidente. Também fez parte da delegação
 americana na recente Cúpula das Américas, em Lima, e esteve trabalhando na OEA
 nas últimas semanas.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro reage a Boulos: “Vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”

Em sua ‘live’ de domingo no Facebook, Jair Bolsonaro reagiu ao vídeo de um comício feito por Guilherme Boulos na quarta-feira passada, ao lado de Gleisi Hoffmann, em cima de um carro de som no Masp, em São Paulo, no qual o candidato derrotado do PSOL disse que só deixaria passar o feriadão para voltar a fazer mobilizações pelo país e a militância cantou em coro: “Ô Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Boulos afirmou que “o MTST ocupa terreno improdutivo, e a casa do Bolsonaro não me parece uma coisa muito produtiva”. “Você deve ter visto um vídeo de ontem, ou anteontem, do Boulos insuflando uma massa enorme para invadir, ocupar a minha residência. O que você faria se o Boulos e 2 mil pessoas ameaçassem invadir a sua residência? Se eu for o presidente e se o Parlamento assim entender, nós vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”, disse Bolsonaro.
O Antagonista

Patrícia Pillar critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro

Através de comentário feito na postagem, Patrícia usou várias narrativas esquerdistas para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil.

Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.

A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de “Bolsa Presidiário”, fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ainda traz o questionamento: “Tem certeza que o PT sabe governar?”

Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro.

A ex-mulher de Ciro Gomes (PDT) declarou:


Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que n…

Haddad tenta jogar católicos contra evangélicos

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, participou de uma missa em São Paulo nesta sexta-feira (12). Em entrevista, logo após, o petista atacou Bolsonaro e tentou dividir cristãos. O dia de Nossa Senhora Aparecida foi utilizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar construir a imagem de um Fernando Haddad com bases religiosas. “Eu sou neto de um líder religioso”, respondeu o candidato do PT ao ser chamado de “abortista” por uma cristã após a missa na paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela, em São Paulo.