Pular para o conteúdo principal

Libertar Cuba, Nicarágua e Venezuela é prioridade para EUA, diz vice-presidente


Imagem: Reprodução / Redes Sociais

















Trabalhar pela liberdade em Cuba, Nicarágua e Venezuela é prioridade para o governo de
Donald Trump, declarou o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, nesta
quarta-feira (2).


"O Ocidente é uma prioridade crucial para os Estados Unidos porque a segurança e a
prosperidade de nossa região afetam diretamente a segurança e a prosperidade do
povo americano", disse Pence ao empossar na Casa Branca o novo embaixador
americano na Organização dos Estados Americanos (OEA), Carlos Trujillo.

"Ainda temos muito trabalho a fazer" na região, afirmou Pence. E como temas pendentes
 mencionou Cuba, Nicarágua e Venezuela.


Disse que em Cuba continua vivo o legado de tirania dos líderes da revolução comunista 
de 1959 de Fidel e Raúl Castro, apesar da morte do primeiro e da recente saída do poder 
do segundo. "Paira sobre esse país como uma nuvem, obscurecendo o futuro de todos os
 que chamam essa ilha de lar", afirmou.


Sobre a Nicarágua, assinalou que o governo de Daniel Ortega reprimiu brutalmente o
 povo que recentemente se alçou em protestos pacíficos. Ortega, um ex-guerrilheiro 
da revolução sandinista de 1979 que preside o país desde 2007, enfrenta desde
 18 de abril manifestações que já deixaram mais de 40 mortos.


"E na Venezuela, sob o mandato do ditador Nicolás Maduro, a outrora florescente 
democracia se desintegrou em uma ditadura. E o que alguma vez foi a nação mais 
próspera da América do Sul se tornou em uma das mais pobres", apontou Pence.


"Iremos nos manter ao lado de todos os que almejam a liberdade e enfrentaremos 
seus opressores", enfatizou o vice-presidente, que na próxima segunda-feira fará um
 discurso no conselho permanente da OEA para reafirmar o compromisso dos Estados 
Unidos com a região.


"Sabemos que dias melhores para o novo mundo estão por vir", concluiu.


O vice-presidente disse a Trujillo que sua responsabilidade na OEA, que acaba de 
completar 70 anos de existência, será "forjar alianças mais fortes em prol dos interesses
 dos Estados Unidos".


"Espero trabalhar diligentemente com essa determinação e nunca vacilar até que 
Venezuela, Cuba, Nicarágua e o Ocidente sejam livres", assinalou Trujillo, descendente 
de cubanos que deixaram a ilha após a revolução dos Castro.


Nascido em Long Island, mas criado em Miami, Trujillo apoiou Trump durante 
a campanha de 2016 e assistiu a posse do presidente. Também fez parte da delegação
 americana na recente Cúpula das Américas, em Lima, e esteve trabalhando na OEA
 nas últimas semanas.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda. países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola Guiné equatorial Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R4 2 Bilhões na Ilha que ficou mais conmhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões.Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Bolsonaro volta a defender castração química para estupradores

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender a castração química para estupradores em debate da Band, na noite desta quinta-feira. Ele foi questionado pelo senador Alvaro Dias (Podemos) sobre o que deveria ser feito para combater o crescimento do número de estupros e a desigualdade de gênero no Brasil.
O Brasil registrou 60.018 estupros, 164 casos por dia, e 221.238 crimes enquadrados na Lei Maria da Penha (606 casos por dia) ao longo de 2017. O número de estupros representa um crescimento de 8,4% em relação a 2016, mas não é possível saber a variação relativa aos casos de violência doméstica, já que este é o primeiro ano que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública captou dos Estados dados dessa natureza.
Especialistas do Fórum acreditam que ambos os registros estejam subdimensionados dada a dificuldade de registro na polícia desses crimes. Ainda assim, a quantidade é considerada alarmante e pede a implementação de políticas específicas.

IstoÉ

A carta de princípios de Bolsonaro

Jair Bolsonaro não vai apresentar ao TSE um programa de governo tradicional, mas uma carta de princípios.

Segundo a Folha, o candidato vai dar ênfase à Segurança Pública, propor o corte de mais de uma dezena de ministérios e detalhar um pouco mais o plano econômico de Paulo Guedes.

Haverá ainda uma parte dedicada ao combate à corrupção. “A ideia de Bolsonaro é se apresentar para o eleitor como o único candidato à Presidência que manterá o funcionamento da Operação Lava Jato”.
A equipe de Bolsonaro estuda ainda zerar impostos e complementar a renda dos mais pobres.
O Antagonista