Pular para o conteúdo principal

PRESÍDIO FEDERAL: Ex governador Sérgio Cabral ”morre aos poucos” e sobrevive com antidepressivos







Pelo menos para o ex-governador Sérgio Cabral Filho, pode-se dizer que ‘o crime não compensa’. Sem qualquer perspectiva pela frente, ele tem sofrido muito na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, no Rio, onde permanece preso.




Foram oito anos de farra com o dinheiro público em troca de incontáveis anos de sofrimento, amargura e prisão.



Impossível dizer quando o ex-governador irá recuperar a liberdade ou quanto tempo ele ainda ficará preso, mas uma coisa é certa, nunca mais terá uma vida normal, doravante sempre será visto como ‘bandido’ e todo o patrimônio que surrupiou fatalmente irá perder.

Segundo a Revista Veja, a ex-primeira dama Adriana Ancelmo, em recente conversa com um advogado, questionada por que razão ela e o marido se envolveram em tantos e variados esquemas de corrupção, ela não se esquivou e respondeu: ‘Estávamos em êxtase’.

O êxtase acabou, sobreveio a consternação, a aflição e a dura realidade.

O ‘poderoso’ Sérgio hoje é um homem sem projeto, sem futuro, sem amigos e sem profissão.



Uma fiscalização surpresa neste final de semana na cela onde está preso, encontrou um infinidade de comprimidos e antidepressivos. São esses remédios que lhe garantem uma delicada sobrevida.

Se todos os corruptos tivessem o mesmo castigo, o país seria outro.

A situação tende a piorar cada vez mais pois o juiz Marcelo Bretas, sendo intimidado pelo ex governador Cabral, mandou que ele fosse para o presídio de segurança máxima federal, onde o prisioneiro fica sozinho em uma cela.

da Redação
Fonte: www.jornaldacidadeonline.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda. países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola Guiné equatorial Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R4 2 Bilhões na Ilha que ficou mais conmhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões.Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Bolsonaro volta a defender castração química para estupradores

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender a castração química para estupradores em debate da Band, na noite desta quinta-feira. Ele foi questionado pelo senador Alvaro Dias (Podemos) sobre o que deveria ser feito para combater o crescimento do número de estupros e a desigualdade de gênero no Brasil.
O Brasil registrou 60.018 estupros, 164 casos por dia, e 221.238 crimes enquadrados na Lei Maria da Penha (606 casos por dia) ao longo de 2017. O número de estupros representa um crescimento de 8,4% em relação a 2016, mas não é possível saber a variação relativa aos casos de violência doméstica, já que este é o primeiro ano que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública captou dos Estados dados dessa natureza.
Especialistas do Fórum acreditam que ambos os registros estejam subdimensionados dada a dificuldade de registro na polícia desses crimes. Ainda assim, a quantidade é considerada alarmante e pede a implementação de políticas específicas.

IstoÉ

A carta de princípios de Bolsonaro

Jair Bolsonaro não vai apresentar ao TSE um programa de governo tradicional, mas uma carta de princípios.

Segundo a Folha, o candidato vai dar ênfase à Segurança Pública, propor o corte de mais de uma dezena de ministérios e detalhar um pouco mais o plano econômico de Paulo Guedes.

Haverá ainda uma parte dedicada ao combate à corrupção. “A ideia de Bolsonaro é se apresentar para o eleitor como o único candidato à Presidência que manterá o funcionamento da Operação Lava Jato”.
A equipe de Bolsonaro estuda ainda zerar impostos e complementar a renda dos mais pobres.
O Antagonista