Pular para o conteúdo principal

URGENTE: STJ manda prender Carlinhos Chachoeira


Imagem: Márcio Alves / Ag. O Globo













O ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou que o 
empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acusado de ligação com 
o jogo do bicho, seja preso e comece já a cumprir pena de seis anos e oito meses de 
reclusão. Cachoeira foi condenado por corrupção relacionada a uma negociação dele 
com a Loterj. A condenação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. 
A ordem para a execução da pena está amparada na decisão do Supremo Tribunal 
Federal (STF) sobre a prisão em segunda instância.
"Ressalto que esta Corte permanece cumprindo o precedente do Plenário da Suprema 
Corte, não obstante as fortes razões em contrário contidas em decisões da segunda turma
 daquela egrégia Corte - dispensada indicação casuística de necessidade da cautelar, 
pois assim não exigida pelo precedente aqui seguido", escreveu o ministro em despacho
 assinado nesta sexta-feira. Caberá ao Tribunal de Justiça do Rio, responsável pela 
condenação, expedir a ordem de prisão de Cachoeira.


Segundo a assessoria do STJ, na decisão o ministro destaca que o tribunal "tem aplicado
 o precedente estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal em 2016, de permitir a
 execução provisória da pena após o exaurimento da jurisdição de segunda instância, 
já que, no entendimento da Suprema Corte, a execução provisória não viola o 
princípio constitucional de inocência". No mesmo despacho, Cordeiro rejeitou o
 pedido para determinar a prisão do ex-presidente da Loterj Waldomiro Diniz, 
também condenado no mesmo processo de Cachoeira. No caso de Diniz ainda 
existem recursos pendentes de deliberação.


O caso Waldomiro Diniz foi divulgado pela revista Época em 13 de fevereiro de 2004.
 Numa gravação, publicada pela revista, Diniz aparece pedindo propina de 1% a Cachoeira. 
A comissão estaria vinculada a um contrato entre uma empresa de Cachoeira e a Loterj.
 O diálogo entre os dois aconteceu em 2002, quando Diniz era presidente da Loterj.
 Mas a divulgação da gravação levou a demissão de Diniz que, à época do escândalo,
 era subchefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil, durante a gestão do ex-ministro 
José Dirceu.

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eunício pede ao STF para que negue pedido de votação aberta na eleição do Senado

Eunício Oliveira acaba de enviar um ofício ao STF pedindo para que Marco Aurélio Mello não acate o pedido para que a votação para a presidência do Senado seja aberta.

O Antagonista

EUA reagem ao envio de bombardeiros russos à Venezuela

Autoridades dos Estados Unidos reagiram vigorosamente ao envio de bombardeiros estratégicos russos TU-160 para a Venezuela. Autoridades do Pentágono disseram que dois bombardeiros russos – o Tupolev TU-160 BlackJacks, que pode voar a velocidades supersônicas – estão na Venezuela, junto com todos equipamentos necessários para reabastecimento e manutenção. Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, condenou a decisão de Moscou de enviar os bombardeiros nucleares para a Venezuela. Ele declarou:

Filha de João de Deus diz ter sido abusada pelo pai quando criança

Uma das filhas do médium João de Deus afirmou que sofreu abusos sexuais do pai dos 10 aos 14 anos. A afirmação foi feita em entrevista gravada em 2016 por uma rádio de Goiânia e exibida pelo “Jornal da Record” na noite desta terça-feira (11). “Ele é manipulador. Ele é mau. Ele é estranho, é diferente. Eu já pedi muito a Deus que ele se arrependesse do que fez e faz”, afirmou Dalva Teixeira no vídeo, segundo informações do “UOL“. Segundo ela, sua mãe havia tido um relacionamento breve com o médium e ela só conheceu o pai quando tinha 10 anos. “[Quando o conheci], ele tirou minha roupa toda, tirou a dele e ficou a noite inteira me molestando”, afirmou. De acordo com Dalva, os casos de abuso se repetiram por quatro anos. “Isso foi até os 14 anos, quando então eu me casei para sair de casa.”