Pular para o conteúdo principal

Após ser solto em audiência de custódia, homem mata mulher no DF


Imagem: Reprodução / Redes Sociais



















O juiz Aragonê Nunes Fernandes, que atua no Núcleo de Audiências de Custódia 
do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, aproveitou a decisão de 
converter em preventiva a prisão em flagrante de um homem pela prática, em tese, 
de homicídio de sua mulher para fazer uma espécie de desabafo.



O magistrado afirmou que “não tem bola de cristal” e que nem sempre é possível 
prever qual agressor irá concretizar ameças a sua companheira.


“Infelizmente, todos os dias este NAC recebe um grande número de autuados 
envolvidos em crimes relacionados à Lei Maria da Penha. São comuns delitos de
 ameaça, de injúria, de lesões corporais, entre outros. Por não termos “bola de cristal”,
 não temos como prever aqueles que realmente concretizarão as ameaças que fazem. 
Prender a todos, indistintamente, não parece ser o melhor caminho a seguir”, afirmou.


A declaração do juiz ocorreu na discussão do caso de Vinícius Rodrigues de Sousa. 
Há dois dias, o homem passou por audiência de custódia e foi colocado em liberdade 
provisória com mediante cautelares e a imposição de medidas protetivas em favor da 
vítima.


Mesmo com a determinação de impossibilidade de procurar a vítima, ele retornou à
 residência e retirou a vida dela e na sequência tentou suicídio. “Em tal cenário, outra 
providência não há senão a segregação cautelar, como forma de garantir a ordem 
pública, preservando inclusive a integridade dos demais familiares”, 
disse Fernandes.


A prisão gerou a instauração de procedimento criminal distribuído ao Tribunal do 
Júri de Samambaia, onde os fatos serão apurados e o processo seguirá seu trâmite 
até o julgamento do autuado. O homem encontra-se hospitalizado.

Folha Política




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…