Pular para o conteúdo principal

Barroso diz que decisão sobre deputado presidiário que voltou à Câmara foi baseada na jurisprudência


Imagem: Reprodução / Redes Sociais



















O ministro Luís Roberto Barroso frisou nesta terça-feira (12), durante sessão da Primeira
 Turma, que a decisão que permitiu a volta do deputado federal João Rodrigues (PSD-SC) 
às atividades parlamentares foi tomada com base na jurisprudência da Suprema Corte.

Condenado em 2009 a cinco anos e três meses por fraude e dispensa irregular de licitação
 a regime semiaberto, e preso desde fevereiro no Complexo Penitenciário da Papuda, o
 parlamentar foi autorizado a voltar para a Câmara dos Deputados por uma decisão de Barroso
 da última quinta-feira. João Rodrigues reassumiu o mandato nesta segunda-feira, após ficar 
mais de 120 dias preso.

Na sessão desta terça, Barroso destacou que o parlamentar cumpria, de forma irregular, 
a pena em regime fechado, e não em semiaberto, como determinado em sua pena. "Cumprir 
regime mais gravoso do que o determinado na sentença é uma afronta ao enunciado da Súmula 
Vinculante nº 56", lembrou o ministro, assim como escreveu em sua decisão.

A súmula citada por Barroso determina que a falta de estabelecimento penal adequado não
 autoriza a manutenção do condenado em regime prisional mais gravoso.

O ministro ainda destacou que a situação do parlamentar ia contra outra decisão do plenário, 
que remeteu à Casa Legislativa a decisão em torno da perda do mandato de parlamentares
 condenados pela Corte.

"O parlamentar foi condenado a regime semiaberto. A posição do plenário é de que a perda 
do mandato se dá por posição da casa legislativa. Nós, da Primeira Turma, decidimos 
pela perda de mandato quando há regime fechado", lembrou Barroso.
Na Câmara

A partir de agora, o deputado está autorizado a trabalhar na Câmara durante o dia, devendo
 retornar à noite para a Papuda. Ontem, Rodrigues informou que pretende contratar
 um motorista particular para buscá-lo na Papuda por volta das 7h da manhã e leva-lo de 
volta às 20h.

O parlamentar afirmou ainda que seu advogado vai alinhar com os ministros do STF sobre
 os dias de sessão na Câmara, para que ele possa ficar até o término da sessão.

Folha Politica

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eunício pede ao STF para que negue pedido de votação aberta na eleição do Senado

Eunício Oliveira acaba de enviar um ofício ao STF pedindo para que Marco Aurélio Mello não acate o pedido para que a votação para a presidência do Senado seja aberta.

O Antagonista

EUA reagem ao envio de bombardeiros russos à Venezuela

Autoridades dos Estados Unidos reagiram vigorosamente ao envio de bombardeiros estratégicos russos TU-160 para a Venezuela. Autoridades do Pentágono disseram que dois bombardeiros russos – o Tupolev TU-160 BlackJacks, que pode voar a velocidades supersônicas – estão na Venezuela, junto com todos equipamentos necessários para reabastecimento e manutenção. Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, condenou a decisão de Moscou de enviar os bombardeiros nucleares para a Venezuela. Ele declarou:

Jornalistas da grande mídia celebram prêmio falso para repórter da Folha

Profissionais de veículos da grande mídia brasileira estão parabenizando uma jornalista da Folha por um prêmio falso divulgado por perfil paródia no Twitter. Tudo começou com um tuíte do usuário @monicabengamo no Twitter. O perfil aparenta ter viés humorístico, uma espécie de paródia com a jornalista da “Folha de S. Paulo“, Mônica Bergamo. A mensagem original foi publicada na sexta-feira (14) às 16h40 (horário de Brasília).  “A competente colega Patrícia Campos Mello acaba de ganhar o Prêmio Folha Brasileiro do Ano 2018. O Prêmio a reconheceu como “Guardiã da Verdade”, afirma o perfil.