Pular para o conteúdo principal

Bolsonaro e Skaf se aproximam em SP


Imagem: Hélvio Romero / Estadão



















O deputado Jair Bolsonaro (RJ), presidenciável do PSL, e o empresário
 Paulo Skaf, pré-candidato do MDB ao governo paulista, iniciaram uma 
aproximação para uma eventual aliança na disputa pelo Palácio dos
 Bandeirantes. O PSL busca palanques regionais fortes para compensar
 falta de estrutura e capilaridade nos Estados.


Bolsonaro vê em Skaf o único nome possível para uma composição no 
maior colégio eleitoral do País. “Não tenho abertura de conversa com o
 (João) Doria (pré-candidato do PSB) nem com o (Márcio) França
 (governador e pré-candidato à reeleição, do PSB). Então, o Skaf era o
 único nome em São Paulo que eu poderia conversar”, disse o
 presidenciável do PSL ao Estado. “Eu gostei dele e acho que ele também 
gostou de mim.”


As conversas com o emedebista ocorrem em paralelo ao esforço do grupo 
de Bolsonaro em formar uma frente suprapartidária. A ideia original da
 legenda em São Paulo era lançar a candidatura da advogada Janaína Pascoal, 
nome considerado “competitivo” por Bolsonaro por ela ter sido uma das 
signatárias do impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff na Câmara.
 Como Janaína declinou do convite, Bolsonaro ficou sem opções em São Paulo,
 que possui cerca de 33 milhões de eleitores.


Na mais recente pesquisa Ibope/Band de intenção de voto no Estado, divulgada 
no dia 28 de maio, Bolsonaro apareceu na liderança com 19% ante 15% do
 ex-governador Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB.


Cautela. Aliados de Skaf avaliam reservadamente que a aliança poderia dar a
 Skaf um palanque com a presença de dois presidenciáveis: o ex-ministro da 
Fazenda Henrique Meirelles e Bolsonaro, além reforçar o discurso da segurança
 pública – principal mote do presidenciável do PSL.


O nome de Bolsonaro, porém, sofre forte resistência dos partidos do “centro” que, 
como o MDB, querem evitar uma polarização entre ele e a esquerda na campanha.


Skaf, que se licenciou nesta quarta-feira, 6, da presidência da Federação das
 Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), tem tratado o assunto com cautela: 
não quer fechar a porta para um acordo, mas também teme melindrar o Palácio
 do Planalto, Meirelles e outros potencias aliados.


Ainda não está claro para Skaf o impacto de uma eventual aliança, mas o pré-candidato
 do MDB falou do assunto recentemente com o deputado federal Major Olímpio,
 presidente do PSL paulista. “Eu conversei com Skaf como presidente do PSL e
 naturalmente a eleição paulista entrou no assunto. Pode ser uma vantagem para 
o Bolsonaro ter uma palanque forte em São Paulo. Para nós é um ponto de honra
 vencer o PT e o PSDB no Estado”, disse Olímpio.


Procurado por meio de sua assessoria, Skaf disse que não iria se manifestar.


Segundo o presidente do MDB paulista, deputado federal Baleia Rossi, Skaf está 
cuidando pessoalmente das alianças em torno da chapa majoritária, enquanto a
 direção estadual da proporcional. “Não falo sobre o que não aconteceu”, afirmou
 Rossi. Até o momento, o MDB não fechou aliança com nenhum partido em 
São Paulo.

Folha Política

Comentários

Rô, por uma postagem sobre a proibição da peça teatral onde Jesus Cristo é apresentado como transsexual, fui bloqueado pelo Facebook e Messenger por 3 dias.
disse…
Meu Deus! Essa é demais!

Postagens mais visitadas deste blog

Cid Moreira reaparece e comove o Brasil: ”Vivo minha fase final”

Apresentador que marcou a história do ‘Jornal Nacional’ fala sobre os 90 anos. Famoso durante muito tempo por dar o ‘boa noite’’ no ‘’Jornal Nacional’’, Cid Moreira agora é mais conhecido por ser a ‘’’voz de Deus’’ [VIDEO]. Aos 90 anos de idade, o jornalista investe o seu tempo nas narrações de textos bíblicos e comove milhares de cristãos. Cid Moreira recusou-se a fazer propaganda milionária ao lado de Fátima Bernardes Cid é casado com Fátima Moreira há 16 anos e deu uma entrevista ao portal de notícias UOL sobre o fato de estar completando 90 anos com a saúde em dia. “Vivo minha fase final”, afirmou. Entre os muitos fatos pitorescos de sua vida narrados na reportagem, Moreira revela que se recusou a receber R$ 2 milhões para fazer uma propaganda de carne ao lado de Fátima Bernardes. A celebridade, na época, teria recebido R$ 5 milhões para o comercial. O jornalista também chegou a injetar silicone líquido no rosto, o que o fez quase perder a visão de um dos olhos. Filho processa Ci…

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Oficial de Justiça não consegue entregar notificação na residência oficial

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Foto: Andre Coelho / Agência O Globo BRASÍLIA - O oficial do Supremo Tribunal Federal (STF) foi na noite desta segunda-feira à residência oficial do Senado para entregar ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL) a notificação da decisão do ministro Marco Aurelio Melo sobre o afastamento da presidência do Senado. Renan se recusou a receber o oficial. O peemedebista foi até a porta e voltou sem a notificação. O oficial saiu alguns minutos depois com os papéis na mão. Segundo o secretário geral da mesa Senado, Bandeira de Melo, Renan alegou que não se pode receber notificação judicial após as 18h, segundo a lei. Perguntado sobre como Renan reagiu à decisão do ministro do Supremo, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, disse que ele está tranquilo e que vai receber a notificação amanhã às 11h. - Normalíssimo, frio, traquilo. Marcou para receber a notificaçao amanhã às 11 horas. Há um entra e sai de ca…

Jair Bolsonaro revoga nomeações de Michel Temer

Bolsonaro revogou quatro nomeações do ex-presidente Michel Temer e nomeou seus novos diretores, que não precisarão de escrutínio dos senadores. Por meio de medida provisória publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro revogou a exigência de o Senado sabatinar os diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), registra o “Estadão“. A revogação da sabatina dos diretores está no art. 85, II, c, que revoga o art. 88, parágrafo único, da Lei 10.233. “Os diretores deverão ser brasileiros, ter idoneidade moral e reputação ilibada, formação universitária, experiência profissional compatível com os objetivos, atribuições e competências do DNIT e elevado conceito no campo de suas especialidades, e serão indicados pelo ministro de estado dos Transportes e nomeados pelo presidente da República”, diz o texto. Há apenas cinco meses no cargo, o diretor-geral José da Silva Tiago foi substituído pelo general Antônio Leit…