Pular para o conteúdo principal

Convidada russa provoca polêmica com comentário no Encontro com Fátima No clima da Copa do Mundo, a jovem Elena compartilhou com os espectadores costumes da Rússia, comidinhas típicas do país europeu e outras curiosidades



Por Redação VEJA São Paulo



(Reprodução/TV Globo/Veja SP)
Fátima Bernardes recebeu uma convidada russa no Encontro desta quinta (14). No clima da Copa do Mundo, a jovem Elena compartilhou com os espectadores costumes da Rússia, comidinhas típicas do país europeu e outras curiosidades da sede do Mundial. Ao responder as perguntas da plateia, no entanto, ela dividiu opiniões ao falar sobre violência.
Uma mulher chamada Cássia quis saber sobre a violência na Rússia. “Se tem violência como aqui no Brasil?“, questionou Fátima Bernardes. “Não tem violência na rua e eu até não posso traduzir essa palavra para o russo. Existem palavras como criminal, criminoso, mas violência não existe. Então não existe esse tipo de violência“, respondeu Elena. A apresentadora, no entanto, insistiu: “Existem crimes?“. “Existem crimes como todo país tem, mas violência não“, rebateu a convidada — clique aqui para assistir ao momento.
O comentário dividiu opiniões na internet. Muitos acreditam que Elena “mentiu” ao falar sobre violência na Rússia. Outros, no entanto, acreditam que a convidada se expressou mal e que quis dizer, apenas, que a palavra não existe na língua russa. Confira a repercussão: 

O que eu entendi da russa falando sobre não existir violência foi sobre a palavra "violência". Não tem tradução dessa palavra para o russo. Mas existe crime e criminosos.


A russa falando que não existe violência na Rússia! A homofobia russa é super da paz né


Caraca, a menina falando que não existe a palavra violência na língua russa! Chocada




Essa mulher russa disse que NÃO EXISTE VIOLÊNCIA lá na Rússia. E eu implorando do outro lado da tela da tv: "Me leva, moça! Nunca te pedi nada!"


Moça no programa: Queria saber como é a violência na Rússia
Russa: Eu nem consigo traduzir essa palavra para o russo, porque tem crimes sim, mas violência não




a mulher russa falando na fatima bernardes que na Rússia nao existe violência


A russa falando que nao existe a palavra violencia na russia. POR ISSO O PESSOAL SAI NA PORRADA LA



a mulher russa no lacre com a bernardes falando que nao tem violencia na russia pic.twitter.com/e0SuYnISXZ
na russia nao tem violencia contanto que vc nao seja gay

e nem imigrante

e de preferencia se nao sair de casa em dia de jogo de futebol nacional tb




Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

Convidada russa no Encontro: não existe violência na Rússia, não tem nem tradução dessa palavra. Mentiu na cara dura


"Não tem violência na Rússia e eu nem sei traduzir essa palavra pra russo". Não fala isso, moça. Assim quem vai ver os jogos vai querer ficar ilegal 🤷‍♀️


A moça russa acabou de dizer que não tem a palavra VIOLÊNCIA na Rússia, que lá não tem violência!! 😱😱😱 E a gente aqui com medo diário de andar na rua 😧.

Dê sua opinião: E você, o que achou da polêmica? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Justiça condena Juca Kfouri a pagar R$ 30 mil a Bolsonaro

A 26ª Câmara Cível do Rio determinou que Juca Kfouri e a ESPN paguem indenização de R$ 30 mil, mais correção e juros, por dano moral a Jair Bolsonaro, informa a Veja.

O presidenciável, porém, terá de indenizar o jornalista em R$ 6.000.

O caso começou em 2016, quando Kfouri criticou o comportamento de dois torcedores do Fluminense, comparando-os a torturadores e dizendo que deviam ser apoiadores de Bolsonaro.



Em resposta, o deputado gravou um vídeo com a camisa do Fluminense em que dizia que o jornalista estava “merecendo levar uns tabefes pra aprender a ser homem”.

Em seguida, Bolsonaro entrou com a ação por dano moral, alegando que na vida militar jamais participou de tortura. Na defesa, Kfouri negou ofensa à honra do hoje presidenciável.

RedeTV retirou o púlpito vazio de Lula por exigência de Bolsonaro

O púlpito vazio de Lula foi retirado pela RedeTv, após protesto de Jair Bolsonaro, que ameaçou não participar do debate.

 A Emissora consultou os demais concorrentes que concordaram segundo Igor Gadelha, da Crusoé.

 Diante dessa situação constrangedora, Bolsoanro tem moral mesmo sem ser o presidente, mas pode ser ainda no primeiro turno.