Pular para o conteúdo principal

Desconto de US$ 68,4 milhões que Lula e Dilma deram para Cuba é ilegal, aponta TCU

Imagem: Reprodução / Redes Sociais



















O  governo brasileiro concedeu descontos da ordem de US$ 68,4 milhões
 (cerca de R$ 255,6 milhões)nos juros de empréstimos concedidos pelo BNDES
(Banco Nacional de Desenvolvimento) a Cuba.

O governo da ilha caribenha usou o dinheiro para construir o porto de Mariel,
 inaugurado em 2014,

com a presença da então presidente Dilma Rousseff (PT). De acordo com o
 TCU (Tribunal de Contas da União), estes descontos foram ilegais em pelo
menos quatro operações de crédito a partir de 2010 com o BNDES.

Para a realização do empréstimo, foi utilizado um mecanismo financeiro previsto
pelo Tesouro Nacional chamado Proex-equalização, que permite baixar os juros
de um empréstimo a um país estrangeiro por até dez anos (120 meses).
 O objetivo é conseguir competir com outros países que ofereçam condições mais
 vantajosas, e a União paga a diferença.

O governo brasileiro decidiu, porém, conceder o benefício por 25 anos
 (300 meses), o que, afirma o TCU, é ilegal segundo a legislação vigente.
 O órgão de controle também constatou que as

condições oferecidas pelo BNDES não só foram iguais às disponíveis no mercado
internacional naquele momento, mas sim ainda melhores.

Contatados pela reportagem, o BNDES e os ministérios envolvidos nestas negociações

afirmam que colaboram com todas as auditorias e investigações (leia mais abaixo).

Se a regra vigente tivesse sido obedecida, o desconto máximo possível nos juros dos

empréstimos concedidos a Cuba seria de US$ 54,629 milhões no total --ou cerca de
 R$ 204 milhões.

Com o aumento de prazo, o desconto concedido passou para US$ 123,11 milhões.
A diferença (US$ 68,4 milhões) é o valor que foi considerado ilegal pelo TCU.

A avaliação faz parte de uma auditoria sigilosa, à qual o UOL teve acesso, que o
 TCU está realizando
em todos os negócios do BNDES com empresas envolvidas na Operação
Lava Jato.

"Este valor preliminar corresponde a um aumento nos dispêndios com equalização
 em 125% em relação ao valor que seria gasto caso as operações tivessem seguido
 as condições regulamentares,

uma vez que as aprovações propiciaram a ampliação do benefício da equalização
por 15 anos acima do limite máximo legalmente permitido", afirma o relatório do
 tribunal de contas.

os empréstimos do BNDES a Cuba começaram em 2009, no segundo mandato do
 então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (de 2007 a 2010), e continuaram no
 primeiro mandado de sua sucessora,
Dilma Rousseff (de 2011 a 2014).

Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda. países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola Guiné equatorial Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R4 2 Bilhões na Ilha que ficou mais conmhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões.Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Justiça condena Juca Kfouri a pagar R$ 30 mil a Bolsonaro

A 26ª Câmara Cível do Rio determinou que Juca Kfouri e a ESPN paguem indenização de R$ 30 mil, mais correção e juros, por dano moral a Jair Bolsonaro, informa a Veja.

O presidenciável, porém, terá de indenizar o jornalista em R$ 6.000.

O caso começou em 2016, quando Kfouri criticou o comportamento de dois torcedores do Fluminense, comparando-os a torturadores e dizendo que deviam ser apoiadores de Bolsonaro.



Em resposta, o deputado gravou um vídeo com a camisa do Fluminense em que dizia que o jornalista estava “merecendo levar uns tabefes pra aprender a ser homem”.

Em seguida, Bolsonaro entrou com a ação por dano moral, alegando que na vida militar jamais participou de tortura. Na defesa, Kfouri negou ofensa à honra do hoje presidenciável.

RedeTV retirou o púlpito vazio de Lula por exigência de Bolsonaro

O púlpito vazio de Lula foi retirado pela RedeTv, após protesto de Jair Bolsonaro, que ameaçou não participar do debate.

 A Emissora consultou os demais concorrentes que concordaram segundo Igor Gadelha, da Crusoé.

 Diante dessa situação constrangedora, Bolsoanro tem moral mesmo sem ser o presidente, mas pode ser ainda no primeiro turno.