Pular para o conteúdo principal

Em gravação, sobrinho de deputado dá aval a propina e promete ajuda em ministério


O deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO)

Em áudio gravado pela Polícia Federal, um dos sobrinhos do deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO) prometeu usar sua influência para que o registro de um sindicato fosse liberado no Ministério do Trabalho em troca de R$ 4 milhões em propina.
Na conversa, ocorrida em junho de 2017, Rogério Arantes informa que direcionaria o caso ao então ministro Ronaldo Nogueira (PTB-RS), que deixou o cargo em dezembro do ano passado, e ao atual secretário-executivo da pasta, Leonardo Arantes, também sobrinho de Jovair.
Tanto Rogério quanto o número dois da pasta são alvos de mandados de prisão preventiva expedidos na Operação Registro Espúrio, deflagrada pela Polícia Federal nesta quarta (30).
O diálogo, gravado em junho do ano passado, ocorreu num hotel de Brasília. Foi monitorado por investigadores.
Na ocasião, o empresário Afonso Rodrigues de Carvalho, representante do Sindicato das Pequenas e Micro Empresas de Transporte de Veículos Novos no Estado de Goiás (Sintrave-GO), pede a ajuda de Rogério, diretor do Incra, para destravar o registro da entidade, que pleiteia desde 2002.
Ele havia sido levado à reunião pela lobista Veruska Peixoto Carvalho, com quem negociava a propina, que teria entre os destinatários o próprio Jovair e também o grupo do deputado Paulo Pereira da Silva (SDD-SP). Dias antes, o empresário havia denunciado o caso à PF.
Informações sobre o esquema de corrupção na pasta foram reveladas em março deste ano pela revista Veja. A Folha de S. Paulo teve acesso ao conteúdo do diálogo no hotel.
“Nos estamos falando um valor alto, né, cara, pra mexer com 4 milhões, e não é meu. Tu mexe com dinheiro dos outros, tu tem que tá sempre velhaco, né?”, disse o empresário. O sobrinho de Jovair, na sequência, respondeu: “Claro”.
O diretor do Incra deixa claro que a lobista é sua interlocutora e o orienta a protocolar o pleito de seu interesse no Trabalho. “Vamos direcionar isso pra secretaria ou pro ministro?”, questionou o empresário.
“Tem que ser com ministro. Eu trato com ele diretamente, pessoalmente”, explicou Rogério.
O sobrinho de Jovair informou que falaria com o ministro e pediria o monitoramento de uma pessoa ligada ao seu grupo. “Foi o que eu falei pra Veruska. Se o rapaz estivesse aí, eu ia te apresentar ele. É quem vai acompanhar isso.”
“É o outro sobrinho?”, perguntou o empresário. “Exatamente! É o Leonardo, só chega na terça-feira que vem”, respondeu Rogério, em referência ao atual secretário-executivo do Trabalho.
O processo de concessão de registro do Sintrave não avançou. Além de a propina não ter sido paga, os envolvidos ficaram sabendo das investigações.
Mesmo depois disso, uma ex-servidora do ministério pediu R$ 500 mil em troca de vazar documentos internos à entidade.
OUTRO LADO
O Ministério do Trabalho informou que está acompanhando atentamente as ações da PF. Em nota, alegou que aguardará serenamente a conclusão das investigações “sem prejuízo à nobre missão da Secretaria de Relações de Trabalho e seu relevante papel social”.
“Apuradas as responsabilidades, dispensável dizer que o ministério não se eximirá de aplicar as penalidades previstas em lei. Dentro do tempo próprio da nossa Justiça, aguardamos que os fatos arrolados na investigação sejam devidamente apurados dentro do ambiente de isenção que o Estado de Direito permite —garantindo o mais amplo direito de defesa aos servidores e ex-servidores”, acrescentou.
A Folha de S. Paulo não conseguiu contato com representantes de Rogério e Leonardo Arantes.
Jovair informou que se manifestaria por meio de nota de seu partido. O PTB negou ter participado de negociações espúrias no Trabalho e que, se comprovado o envolvimento de seus integrantes no esquema, “os culpados, se houver, devem assumir suas responsabilidades”.
Paulinho, que é presidente nacional do Solidariedade, afirmou em nota que “foi investigado em diversas oportunidades e sempre conseguiu provar que as denúncias foram fruto de pessoas incomodadas com sua atuação contundente na defesa incansável do trabalhador brasileiro”.
O comunicado diz que a citação do deputado na operação carece de fundamento e criminaliza o movimento sindical.
“O deputado desconhece em absoluto os fatos investigados e esclarece que o Partido Solidariedade não é o responsável pelas indicações no Ministério do Trabalho”, acrescentou.
O Incra informou que cabe à Presidência da República exonerar seus diretores. Acrescentou que Rogério Arantes viajou ao Maranhão e deveria retornar nesta quarta.

Politica na Rede

Imagem: Fernando Vivas / Folhapress

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cid Moreira reaparece e comove o Brasil: ”Vivo minha fase final”

Apresentador que marcou a história do ‘Jornal Nacional’ fala sobre os 90 anos. Famoso durante muito tempo por dar o ‘boa noite’’ no ‘’Jornal Nacional’’, Cid Moreira agora é mais conhecido por ser a ‘’’voz de Deus’’ [VIDEO]. Aos 90 anos de idade, o jornalista investe o seu tempo nas narrações de textos bíblicos e comove milhares de cristãos. Cid Moreira recusou-se a fazer propaganda milionária ao lado de Fátima Bernardes Cid é casado com Fátima Moreira há 16 anos e deu uma entrevista ao portal de notícias UOL sobre o fato de estar completando 90 anos com a saúde em dia. “Vivo minha fase final”, afirmou. Entre os muitos fatos pitorescos de sua vida narrados na reportagem, Moreira revela que se recusou a receber R$ 2 milhões para fazer uma propaganda de carne ao lado de Fátima Bernardes. A celebridade, na época, teria recebido R$ 5 milhões para o comercial. O jornalista também chegou a injetar silicone líquido no rosto, o que o fez quase perder a visão de um dos olhos. Filho processa Ci…

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Oficial de Justiça não consegue entregar notificação na residência oficial

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Foto: Andre Coelho / Agência O Globo BRASÍLIA - O oficial do Supremo Tribunal Federal (STF) foi na noite desta segunda-feira à residência oficial do Senado para entregar ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL) a notificação da decisão do ministro Marco Aurelio Melo sobre o afastamento da presidência do Senado. Renan se recusou a receber o oficial. O peemedebista foi até a porta e voltou sem a notificação. O oficial saiu alguns minutos depois com os papéis na mão. Segundo o secretário geral da mesa Senado, Bandeira de Melo, Renan alegou que não se pode receber notificação judicial após as 18h, segundo a lei. Perguntado sobre como Renan reagiu à decisão do ministro do Supremo, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, disse que ele está tranquilo e que vai receber a notificação amanhã às 11h. - Normalíssimo, frio, traquilo. Marcou para receber a notificaçao amanhã às 11 horas. Há um entra e sai de ca…

Jair Bolsonaro revoga nomeações de Michel Temer

Bolsonaro revogou quatro nomeações do ex-presidente Michel Temer e nomeou seus novos diretores, que não precisarão de escrutínio dos senadores. Por meio de medida provisória publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro revogou a exigência de o Senado sabatinar os diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), registra o “Estadão“. A revogação da sabatina dos diretores está no art. 85, II, c, que revoga o art. 88, parágrafo único, da Lei 10.233. “Os diretores deverão ser brasileiros, ter idoneidade moral e reputação ilibada, formação universitária, experiência profissional compatível com os objetivos, atribuições e competências do DNIT e elevado conceito no campo de suas especialidades, e serão indicados pelo ministro de estado dos Transportes e nomeados pelo presidente da República”, diz o texto. Há apenas cinco meses no cargo, o diretor-geral José da Silva Tiago foi substituído pelo general Antônio Leit…