Pular para o conteúdo principal

FHC pediu ‘SOS’ a Marcelo Odebrecht e enviou dados bancários, diz laudo da PF



Imagem: Reprodução / Redes Sociais

















Um laudo da Polícia Federal anexado a uma ação penal em que o ex-presidente 
Lula é réu na Lava Jato revela e-mails enviados pelo ex-presidente 
Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 2010, ao empresário Marcelo Odebrecht 
com pedidos de doações para dois candidatos tucanos ao Senado, 
Antero Paes de Barros (MT) e Flexa Ribeiro (PA). Em um dos e-mails, FHC 
fala em pedido de ‘SOS’ para ajuda na campanha e chega a enviar dados bancários.
 Na troca de mensagens entre o ex-presidente tucano e o empreiteiro não há citação 
a valores. À época, Fernando Henrique Cardoso era presidente de honra do PSDB 
e não ocupava cargo público.


“Recordando nossa conversa no jantar de outro dia, envio-lhe um SOS. O candidato 
ao senado pelo PSDB, Antero Paes de Barros, ainda está em segundo lugar, porém 
a pressão do governismo, ancorada em muitos recursos, está fortíssima”, afirma FHC, 
em e-mail a Marcelo, no dia 13 de setembro de 2010.
“Seria possível ajudá-lo? Envio abaixo os dado bancários: Eleição 2010, Antero Paes
 de Barros Neto -senador, Banco do Brasil, agência 3325-1, conta corrente 31801-3,
 CNPJ 12189840/0001-23. Com um abraço, Fernando Henrique”, completa.


Mais tarde, no mesmo dia, Marcelo respondeu: “Presidente, Estou fora até amanhã, 
mas até 4ª dou uma olhada e retorno. Fique tranqüilo (no que depender de nós)”.


“Depois aproveito, e lhe dou o feedback dos demais apoios e reforços que fizemos 
na linha do que conversamos”, afirmou.


No dia seguinte, Marcelo voltou a fazer promessas ao tucano: “Ja solicitei que fosse 
feito o apoio ao Antero. Vou pedir para verificarem sua disponibilidade para lhe 
apresentar um balanço”.


No dia 21 de setembro, FHC insiste pela doação. “estimados amigos: desculpem a
 insistência e nem mesmo sei se já atenderam o que lhes pedi, mas olhando o quadro 
geral, há dois possíveis
senadores que precisam atenção: 1. Antero Paes de Barros, de Mato Grosso 2. 
Flexa Ribeiro, do Pará. Ainda há tempo para eles alcançarem, no caso na verdade
 é manterem, a posição que os leva ao êxito. Abraços, Fernando Henrique”.


Marcelo responde positivamente: “Já contactamos Antero, está fora, mas já sabe 
que iremos apoiá-lo. Flexa não sei dizer, mas vou verificar”.


Em outra troca de e-mails, com assunto ‘iFHC’, este de André Amaro, executivo 
da Odebrecht, para Marcelo, são mencionados valores.


“Em alinhamento com EO [Emílio Odebrecht, patriarca da empreiteira] informei 
a Daniel que nossa contribuição será de 1,8 mi em 24 meses, conforme acertado 
no último encontro dos empresários no Instituto. Daniel disse que, talvez, contribua 
com menos, se posicionando junto a um grupo de empresas relativamente menores”,
 afirmou André no dia 18 de dezembro.


O laudo foi produzido pela Polícia Federal com autorização do juiz Sérgio Moro,
 que atendeu pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para 
determinar uma perícia no computador do empreiteiro.


Nesta ação penal, o ex-presidente Lula é investigado por supostas propinas de
 R$ 12,5 milhões da Odebrecht por meio da compra de um apartamento em 
São Bernardo do Campo e de um terreno em São Paulo onde supostamente seria
 sediado o Instituto Lula.


COM A PALAVRA, FHC


“Posso ter pedido, mas era legal. Não sei se deram e não foi a troco de decisões minhas,
 pois na época eu estava fora dos governos, da República e do estado”.


Folha Política

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…