Pular para o conteúdo principal

Japonesa abandona música popular para cantar gospel Tomoka Takayama se mudou para os Estados Unidos, onde passou a integrar um coral de igreja


Pleno.News - 11/06/2018 08h58

Tomoka Takayama, também conhecida como TiA Foto: Reprodução/Facebook
Tomoka Takayama, que atende pelo nome artístico de TiA, era uma cantora de música popular japonesa, até que decidiu mudar para o gospel ao ir para Nova Iorque, nos Estados Unidos.

A transição, contudo, não foi planejada. O primeiro álbum, TiA lançou aos 17 anos, o segundo, aos 18. Quando chegou aos 27, estava esgotada e resolveu que iria largar a música. Procurando novos desafios, foi até Manhattan, a ilha nova iorquina, onde se instalou em um prédio que ficava ao lado de uma igreja. De lá, ela conseguia ouvir o coral cantar e, depois de um tempo, pediu para fazer parte do grupo.
TiA cantando na igreja Foto: Reprodução/Facebook
– Quando canto gospel, canto com o coração. Quando cantava como estrela da música popular, tinha de fingir que eu era um modelo. Com o gospel, é uma coisa natural. Gosto da música – conta a japonesa ao Estadão.
Hoje, TiA faz parte da New Hope Community Church, ministrada pelo reverendo Terrance L. Kennedy. Coincidentemente, L. Kennedy dirige oficinas de canto gospel no Japão desde os anos 90.
O reverendo e o coral planejam excursionar pelo Japão perto do fim de 2018. TiA acompanhará o grupo, não apenas como cantora, mas também como membro da igreja. Quando estiver lá, L. Kennedy disse que irá batizá-la.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…