Pular para o conteúdo principal

Justiça argentina confirma que promotor que denunciou Cristina Kirchner foi assassinado

Imagem: Reprodução / Redes Sociais



















A Câmara Federal da Argentina confirmou nesta sexta-feira, dia 1º, que a morte do 
promotor Alberto Nisman, em janeiro de 2015, quatro dias depois de acusar a então 
presidente, Cristina Kirchner de acobertar supostos terroristas, se tratou de um
 homicídio e não um suicídio.


“Procede encomendar aos magistrados a cargo da investigação o sustentado avanço 
do curso instrutório visando à completa e cabal determinação dos responsáveis pelo
 homicídio de Natalio Alberto Nisman, com a rapidez e seriedade que tão grave fato
 impõe”, afirmou o tribunal de segunda instância em uma resolução.
Nisman foi encontrado morto em sua casa, um luxuoso apartamento na área portuária
 de Buenos Aires, em janeiro de 2015, ao redor de uma poça de sangue no banheiro,
 com um único disparo na cabeça. O crime aconteceu quatro dias após Nisman acusar 
a ex-presidente Cristina Kirchner de proteger iranianos envolvidos no ataque segundo
 a Justiça local. Em 2013, o kirchnerismo assinou com o Irã um pacto para que os 
acusados fossem ouvidos em Teerã.


Nisman dizia que o acordo previa impunidade em troca de uma transação comercial. 
Ele morreu na véspera de detalhar ao Congresso sua denúncia. A versão oficial da
 morte indicava suicídio, mas foi contestada por peritos da família de Nisman.


Para tentar determinar se foi um suicídio ou um homicídio, já no ano passado a 
promotoria encarregou uma junta de peritos para realizar uma reconstituição do 
momento da morte do promotor, na qual se estabeleceu que duas pessoas espancaram,
 drogaram com cetamina e assassinaram Nisman em sua casa.


O relatório da Promotoria também foi aprovado, e concluiu que a morte do promotor 
foi um homicídio "que ocorreu dentro do banheiro e da qual participaram dois agressores,
 um deles manipulou a arma, enquanto outro ajudou a manipular o corpo da vítima ".
 Tudo teria acontecido às 2:46 do domingo, 18 de janeiro de 2015.


Para a Justiça, o técnico em informática Diego Lagomarsino, que trabalhava com Nisman 
e era dono da arma que o matou, é “peça-chave” no assassinato, e entregou a arma com 
"pleno conhecimento do que aconteceria"; isto é, a morte do então procurador.


Segundo Lagomarsino, o promotor pediu a arma para proteger as filhas. Meses após a 
morte, uma pistola similar foi encontrada entre objetos de Nisman, o que levou a 
família a questionar por que ele pediria uma emprestada. Perícia contratada pelos 
parentes concluiu que a morte ocorreu 12 horas antes do apontado no laudo oficial, 
em um momento mais próximo do encontro com Lagomarsino.


Até o momento, na causa, que neste período sofreu constantes reviravoltas judiciais,
 inclusive acusações de contaminação da cena do crime e o afastamento da primeira
 promotora designada para caso, o técnico informático é o único indiciado. 
No entanto, o Tribunal não pôde provar sua intervenção no momento em que o
 assassinato foi consumado. Os responsáveis pelo crime ainda são "autores 
desconhecidos".

Folha Política


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cid Moreira reaparece e comove o Brasil: ”Vivo minha fase final”

Apresentador que marcou a história do ‘Jornal Nacional’ fala sobre os 90 anos. Famoso durante muito tempo por dar o ‘boa noite’’ no ‘’Jornal Nacional’’, Cid Moreira agora é mais conhecido por ser a ‘’’voz de Deus’’ [VIDEO]. Aos 90 anos de idade, o jornalista investe o seu tempo nas narrações de textos bíblicos e comove milhares de cristãos. Cid Moreira recusou-se a fazer propaganda milionária ao lado de Fátima Bernardes Cid é casado com Fátima Moreira há 16 anos e deu uma entrevista ao portal de notícias UOL sobre o fato de estar completando 90 anos com a saúde em dia. “Vivo minha fase final”, afirmou. Entre os muitos fatos pitorescos de sua vida narrados na reportagem, Moreira revela que se recusou a receber R$ 2 milhões para fazer uma propaganda de carne ao lado de Fátima Bernardes. A celebridade, na época, teria recebido R$ 5 milhões para o comercial. O jornalista também chegou a injetar silicone líquido no rosto, o que o fez quase perder a visão de um dos olhos. Filho processa Ci…

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Oficial de Justiça não consegue entregar notificação na residência oficial

Renan se recusa a receber notificação do STF sobre afastamento da presidência do Senado Foto: Andre Coelho / Agência O Globo BRASÍLIA - O oficial do Supremo Tribunal Federal (STF) foi na noite desta segunda-feira à residência oficial do Senado para entregar ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL) a notificação da decisão do ministro Marco Aurelio Melo sobre o afastamento da presidência do Senado. Renan se recusou a receber o oficial. O peemedebista foi até a porta e voltou sem a notificação. O oficial saiu alguns minutos depois com os papéis na mão. Segundo o secretário geral da mesa Senado, Bandeira de Melo, Renan alegou que não se pode receber notificação judicial após as 18h, segundo a lei. Perguntado sobre como Renan reagiu à decisão do ministro do Supremo, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, disse que ele está tranquilo e que vai receber a notificação amanhã às 11h. - Normalíssimo, frio, traquilo. Marcou para receber a notificaçao amanhã às 11 horas. Há um entra e sai de ca…

Jair Bolsonaro revoga nomeações de Michel Temer

Bolsonaro revogou quatro nomeações do ex-presidente Michel Temer e nomeou seus novos diretores, que não precisarão de escrutínio dos senadores. Por meio de medida provisória publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro revogou a exigência de o Senado sabatinar os diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), registra o “Estadão“. A revogação da sabatina dos diretores está no art. 85, II, c, que revoga o art. 88, parágrafo único, da Lei 10.233. “Os diretores deverão ser brasileiros, ter idoneidade moral e reputação ilibada, formação universitária, experiência profissional compatível com os objetivos, atribuições e competências do DNIT e elevado conceito no campo de suas especialidades, e serão indicados pelo ministro de estado dos Transportes e nomeados pelo presidente da República”, diz o texto. Há apenas cinco meses no cargo, o diretor-geral José da Silva Tiago foi substituído pelo general Antônio Leit…