Pular para o conteúdo principal

Nego do Borel dá testemunho sobre a música Prioridade O cantor conta que foi tocado a escutar a canção e que chorou muito




Pleno.News - 10/06/2018 19h38

O cantor Nego do Borel fez uma série de vídeos em seu Instagram na madrugada deste domingo (10). De família humilde, ele cresceu no Morro do Borel, na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro, e desde criança queria ser cantor.


– Se você tiver um sonho, persista, insista, não desista, vai atrás pois é possível virar
realidade, assim como o meu – falou aos seus seguidores.

O funkeiro nasceu em um lar evangélico e afirmou que tudo o que acontece na sua vida
 é bênção de Deus. O cantor falou ainda que tem pedido amor, felicidade, carinho nas suas orações e
 orientou aos seus fãs que dobrem os joelhos e peçam por bênçãos.

– Esse dias eu estava orando e Deus me mandou ouvir uma música. Eu chorei muito, mas
 eu me senti muito forte – disse.






A música em questão é Prioridade, canção de Samuel Messias, gravada pela cantora
Midian Lima. Nego do Borel colocou toda a música para os seus seguidores ouvirem.
A live session oficial tem mais de 47 milhões de visualizações no YouTube.

– Eu tô apaixonado nesse louvor, eu me sinto forte, abençoado, forte. Você dá prioridade
 a Papai do Céu e ele vai te ajudar, honrar e abençoar – concluiu.




Na sequência, ele postou algumas mensagens das pessoas o agradecendo por
 compartilharem a Palavra através da letra da música


Pleno News

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro reage a Boulos: “Vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”

Em sua ‘live’ de domingo no Facebook, Jair Bolsonaro reagiu ao vídeo de um comício feito por Guilherme Boulos na quarta-feira passada, ao lado de Gleisi Hoffmann, em cima de um carro de som no Masp, em São Paulo, no qual o candidato derrotado do PSOL disse que só deixaria passar o feriadão para voltar a fazer mobilizações pelo país e a militância cantou em coro: “Ô Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Boulos afirmou que “o MTST ocupa terreno improdutivo, e a casa do Bolsonaro não me parece uma coisa muito produtiva”. “Você deve ter visto um vídeo de ontem, ou anteontem, do Boulos insuflando uma massa enorme para invadir, ocupar a minha residência. O que você faria se o Boulos e 2 mil pessoas ameaçassem invadir a sua residência? Se eu for o presidente e se o Parlamento assim entender, nós vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”, disse Bolsonaro.
O Antagonista

Patrícia Pillar critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro

Através de comentário feito na postagem, Patrícia usou várias narrativas esquerdistas para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil.

Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.

A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de “Bolsa Presidiário”, fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ainda traz o questionamento: “Tem certeza que o PT sabe governar?”

Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro.

A ex-mulher de Ciro Gomes (PDT) declarou:


Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que n…

Haddad tenta jogar católicos contra evangélicos

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, participou de uma missa em São Paulo nesta sexta-feira (12). Em entrevista, logo após, o petista atacou Bolsonaro e tentou dividir cristãos. O dia de Nossa Senhora Aparecida foi utilizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar construir a imagem de um Fernando Haddad com bases religiosas. “Eu sou neto de um líder religioso”, respondeu o candidato do PT ao ser chamado de “abortista” por uma cristã após a missa na paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela, em São Paulo.