Pular para o conteúdo principal

O que a lei diz sobre liberação em dias de jogos do Brasil Muitos torcedores gostariam de assistir às partidas da Copa do Mundo em casa


Pleno.News - 12/06/2018 20h50
Muitos torcedores preferem assistir aos jogos fora do ambiente de trabalho Foto: Reprodução/ Instagram

Muitos torcedores brasileiros gostariam de assistir aos jogos da Copa do Mundo em casa. Algumas pessoas poderão ser liberadas do ambiente de trabalho nos dias de jogo, mas isto não se aplica a todos.

De acordo com a nova lei trabalhista, as empresas não são obrigadas a liberar os funcionários nos dias de partida da Seleção Brasileira de Futebol. Elas poderão optar por adotar horários especiais e expedientes reduzidos em dias de jogos.



– Em geral, os empregadores fazem acordos informais, em que os funcionários são liberados um pouco mais cedo ou começam o expediente mais tarde, quando o jogo ocorre de manhã. Esses acertos costumam prever uma compensação, ou seja, que o empregado fique mais tempo no trabalho no dia seguinte, por exemplo – explicou a advogada Ursula Cohim Mauro, mestre em Direito do Trabalho pela Universidade de São Paulo (USP).

Ursula explicou ainda que o empregado tem o dever de trabalhar normalmente, mesmo na hora do jogo.

Das partidas da primeira fase do mundial, somente um jogo acontecerá no domingo. As outras duas disputas serão em uma sexta-feira e numa quarta-feira.

O QUE DIZ A REFORMA TRABALHISTA
Quando a empresa tem sistema de banco de horas, os abonos e prazos de compensação ficam flexibilizados.

Quando o trabalhador fez a negociação de banco de horas diretamente com o patrão, a compensação das horas extras deve ser feita no prazo máximo de seis meses, de acordo com o acordo individual por escrito. Se o banco foi negociado por meio de uma convenção coletiva, a compensação da jornada pode ser realizada em até um ano.

OPÇÕES
Uma possibilidade é a instalação de aparelhos de TV e telões para que os funcionários assistam às partidas no local de trabalho e não gastem tempo com deslocamentos.

— Nesses casos, geralmente, a empresa não desconta o tempo que a equipe ficou vendo o jogo, porque os empregados continuam à disposição do chefe. Se acontecer um imprevisto, os trabalhadores, provavelmente, serão chamados para resolver a questão, mesmo que estejam assistindo à partida — disse Leandro Antunes, professor de Direito do Trabalho do Ibmec-RJ.

Ele também ressaltou que os funcionários que tiverem que voltar ao trabalho após o jogo deverão respeitar o horário estabelecido pela empresa. Também é necessário evitar bebidas alcoólicas, uma vez que por mau comportamento alguém pode acabar sendo advertido, suspenso e até demitido por justa causa. Este tipo de punição também se aplica aos empregados que faltarem para assistir ao jogo em outro lugar que não a empresa.

|Pleno News

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro reage a Boulos: “Vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”

Em sua ‘live’ de domingo no Facebook, Jair Bolsonaro reagiu ao vídeo de um comício feito por Guilherme Boulos na quarta-feira passada, ao lado de Gleisi Hoffmann, em cima de um carro de som no Masp, em São Paulo, no qual o candidato derrotado do PSOL disse que só deixaria passar o feriadão para voltar a fazer mobilizações pelo país e a militância cantou em coro: “Ô Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Boulos afirmou que “o MTST ocupa terreno improdutivo, e a casa do Bolsonaro não me parece uma coisa muito produtiva”. “Você deve ter visto um vídeo de ontem, ou anteontem, do Boulos insuflando uma massa enorme para invadir, ocupar a minha residência. O que você faria se o Boulos e 2 mil pessoas ameaçassem invadir a sua residência? Se eu for o presidente e se o Parlamento assim entender, nós vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”, disse Bolsonaro.
O Antagonista

Patrícia Pillar critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro

Através de comentário feito na postagem, Patrícia usou várias narrativas esquerdistas para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil.

Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.

A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de “Bolsa Presidiário”, fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ainda traz o questionamento: “Tem certeza que o PT sabe governar?”

Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro.

A ex-mulher de Ciro Gomes (PDT) declarou:


Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que n…

Haddad tenta jogar católicos contra evangélicos

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, participou de uma missa em São Paulo nesta sexta-feira (12). Em entrevista, logo após, o petista atacou Bolsonaro e tentou dividir cristãos. O dia de Nossa Senhora Aparecida foi utilizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar construir a imagem de um Fernando Haddad com bases religiosas. “Eu sou neto de um líder religioso”, respondeu o candidato do PT ao ser chamado de “abortista” por uma cristã após a missa na paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela, em São Paulo.