Pular para o conteúdo principal

Tiroteio no Morro da Babilônia assusta moradores do Leme e bairros vizinhos

Relatos nas redes sociais dão conta de disparos de armas de vários calibres e barulho de explosões. UPP disse que traficantes se enfrentaram na região e o Bope faz uma operação na comunidade
Por O Dia

Morro da Babilônia, no Leme
Morro da Babilônia, no Leme - 
Rio - Um intenso tiroteio no Morro da Babilônia assustou moradores do Leme, na Zona Sul da cidade, no fim da madrugada desta terça-feira. De acordo com a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, traficantes entraram em confronto na localidade conhecida como Mata. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) faz uma operação na comunidade e a Polícia Militar cerca a região.
Os disparos foram ouvidos até, pelo menos, o início da manhã. Não há informações sobre feridos. Em um vídeo divulgado pela página "Onde Tem Tiroteio-RJ. OTTRJ" é possível ouvir os tiros feitos na comunidade; assista!
Pelas redes sociais, moradores relataram terem ouvido disparos de armas de vários calibres e barulho de explosões. "Rajada de metralhadora. Um horror", comentou um morador. "Muito tiro. Todo tipo de arma. Surreal", disse outro. "Guerra braba no Leme. Tiros e granadas. Armas de grosso calibre", postou mais um. "Acordar com o som de bombas e intensa troca de tiros como se fosse do lado de fora da sua janela é no mínimo angustiante", lamentou um quarto.
Quem estava em bairros próximos também se assustou com o barulho. "Estou ouvindo aqui próximo à (Avenida) Princesa Isabel. Muitos tiros e bomba também", relatou um morador de Copacabana. "Até meu filho acordou. Estamos na Rua da Passagem. Muito tiro mesmo", disse outro, de Botafogo. "Acordei com as rajadas. Muitos tiros sendo ouvidos em Copacabana", postou mais um.
Em outros vídeos, também divulgados pelo "OTT RJ", moradores de Copacabana filmaram o que ouviram de suas residências; confira!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro reage a Boulos: “Vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”

Em sua ‘live’ de domingo no Facebook, Jair Bolsonaro reagiu ao vídeo de um comício feito por Guilherme Boulos na quarta-feira passada, ao lado de Gleisi Hoffmann, em cima de um carro de som no Masp, em São Paulo, no qual o candidato derrotado do PSOL disse que só deixaria passar o feriadão para voltar a fazer mobilizações pelo país e a militância cantou em coro: “Ô Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Boulos afirmou que “o MTST ocupa terreno improdutivo, e a casa do Bolsonaro não me parece uma coisa muito produtiva”. “Você deve ter visto um vídeo de ontem, ou anteontem, do Boulos insuflando uma massa enorme para invadir, ocupar a minha residência. O que você faria se o Boulos e 2 mil pessoas ameaçassem invadir a sua residência? Se eu for o presidente e se o Parlamento assim entender, nós vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”, disse Bolsonaro.
O Antagonista

Patrícia Pillar critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro

Através de comentário feito na postagem, Patrícia usou várias narrativas esquerdistas para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil.

Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.

A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de “Bolsa Presidiário”, fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ainda traz o questionamento: “Tem certeza que o PT sabe governar?”

Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro.

A ex-mulher de Ciro Gomes (PDT) declarou:


Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que n…

Haddad tenta jogar católicos contra evangélicos

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, participou de uma missa em São Paulo nesta sexta-feira (12). Em entrevista, logo após, o petista atacou Bolsonaro e tentou dividir cristãos. O dia de Nossa Senhora Aparecida foi utilizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar construir a imagem de um Fernando Haddad com bases religiosas. “Eu sou neto de um líder religioso”, respondeu o candidato do PT ao ser chamado de “abortista” por uma cristã após a missa na paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela, em São Paulo.