Pular para o conteúdo principal

Tiroteio no Morro da Babilônia assusta moradores do Leme e bairros vizinhos

Relatos nas redes sociais dão conta de disparos de armas de vários calibres e barulho de explosões. UPP disse que traficantes se enfrentaram na região e o Bope faz uma operação na comunidade
Por O Dia

Morro da Babilônia, no Leme
Morro da Babilônia, no Leme - 
Rio - Um intenso tiroteio no Morro da Babilônia assustou moradores do Leme, na Zona Sul da cidade, no fim da madrugada desta terça-feira. De acordo com a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, traficantes entraram em confronto na localidade conhecida como Mata. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) faz uma operação na comunidade e a Polícia Militar cerca a região.
Os disparos foram ouvidos até, pelo menos, o início da manhã. Não há informações sobre feridos. Em um vídeo divulgado pela página "Onde Tem Tiroteio-RJ. OTTRJ" é possível ouvir os tiros feitos na comunidade; assista!
Pelas redes sociais, moradores relataram terem ouvido disparos de armas de vários calibres e barulho de explosões. "Rajada de metralhadora. Um horror", comentou um morador. "Muito tiro. Todo tipo de arma. Surreal", disse outro. "Guerra braba no Leme. Tiros e granadas. Armas de grosso calibre", postou mais um. "Acordar com o som de bombas e intensa troca de tiros como se fosse do lado de fora da sua janela é no mínimo angustiante", lamentou um quarto.
Quem estava em bairros próximos também se assustou com o barulho. "Estou ouvindo aqui próximo à (Avenida) Princesa Isabel. Muitos tiros e bomba também", relatou um morador de Copacabana. "Até meu filho acordou. Estamos na Rua da Passagem. Muito tiro mesmo", disse outro, de Botafogo. "Acordei com as rajadas. Muitos tiros sendo ouvidos em Copacabana", postou mais um.
Em outros vídeos, também divulgados pelo "OTT RJ", moradores de Copacabana filmaram o que ouviram de suas residências; confira!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…