Pular para o conteúdo principal

Com depressão, José Mayer descobre doença fatal e passa 30 dias internado


José Mayer (Foto: Reprodução)

A situação do ator José Mayer, um dos grandes galãs do passado na Globo, não é nada boa. Segundo o jornalista Leo Dias, ele está bastante abatido, com depressão, e nos últimos dias, descobriu que estava com uma doença rara e autoimune chamada Granulomatose de Wegener.
Agora, na manhã deste domingo (29), após trinta dias internado na Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, o veterano teve alta. Aos 68 anos, Mayer sofre com a doença que atinge os vasos sanguíneos dos rins, pulmões e vias respiratórias, que pode ser fatal caso não diagnosticada precocemente.
Ele cumpriu todo o tratamento e passa bem, de acordo com uma nota divulgada pelo hospital ao UOL, que você confere a seguir:
“A Casa de Saúde São José informa que o ator José Mayer teve alta neste domingo, após um período de 30 dias de tratamento contra Granulomatose de Wegener, uma doença autoimune que atinge, principalmente, os vasos sanguíneos dos rins, pulmões e vias respiratórias e pode ser fatal caso não diagnosticada precocemente. José Mayer esteve sob os cuidados da equipe liderada pelo Dr. Marcelo Kalichsztein. O ator passa bem.”

BETTY FARIA SAI EM DEFESA DO AMIGO

Betty Faria saiu em defesa do amigo após a polêmica do ator com a figurinista Su Tonani, no ano passado. “É um super ator, que foi seriamente prejudicado. Acho que foi um carma espiritual pintar aquela piveta na vida dele, que acusou Mayer de assédio sexual, no ano passado”, iniciou ela.
Betty também revelou uma nova informação do caso: “Tem maquiadora da Globo que viu aquela moça pegar várias vezes a chave do carro da mão dele; tinha uma história ali de amizade, de companheirismo. Não sei o que aconteceu, que eles se desentenderam e ela resolveu tirar uma onda”, contou.
Betty em entrevista ao Universa. Foto – reprodução.

A veterana ainda se mostrou contra as atrizes que saíram contra o amigo.
“E as atrizes mais jovens, ingênuas, resolveram comprar a história dela. Depois do Wilker, ele foi o ator com quem mais trabalhei. E ele nunca fez assédio comigo e nunca vi fazer com ninguém. É um colega maravilhoso. Fiquei muito triste com o que aconteceu”, falou Betty em entrevista ao Universa, do UOL.

TV Foco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A gente vai dar é porrada se não respeitarem a gente", ameaça Lula, após protestos.

O Ex presidente condenado Lula, enfrentando protestos por todos os lugares por onde passa sua "caravana" pelo Sul do Brasil, subiu o tom das ameaças. Lula disse: "A gente vai dá é porrada se não respeitarem a gente", chamando os cidadãos que pedem sua prisão de fascistas.

Fico imaginando o que ele faria se estivesse no poder hoje. Seria mais um Maduro tupiniquim, um ditador cerceando a nossa liberdade e dando ração ao povo.

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.