Pular para o conteúdo principal

Cristão ex-muçulmano da Ásia Central é vigiado por segurança nacional


Samir, que trabalha de forma ativa no campo, teve a casa revistada e foi questionado sobre impressão de materiais

Fonte: Portas Abertas 

Cristão ex-muçulmano da Ásia Central é vigiado por segurança nacional
Samir* é um cristão ex-muçulmano da Ásia Central que trabalha de forma ativa em nosso campo. Ele está envolvido em tradução de literatura, impressão de materiais de evangelização e projetos de distribuição. Há alguns dias, pessoas do Serviço de Segurança Nacional foram à casa de Samir. Lá eles revistaram tudo e o questionaram sobre alguns “materiais impressos”.
Eles pareciam saber exatamente sobre o que falavam e procuravam, dando entender que tinham conhecimento do material que usamos no ministério. Como Samir é muito cuidadoso, não mantinha nada em casa. Sendo assim, eles não encontraram nada, mas esse foi um lembrete sério sobre a importância da segurança.
Pessoas de nossa confiança no país acham que alguém da igreja de Samir ou mesmo do ministério fornece informações para as autoridades sobre as atividades missionárias e de evangelização. Por conta disso, foi decidido que Samir se afastará do ministério por um período pelo bem dele e da família. Dessa forma também podemos manter em segurança o trabalho realizado no país. Ele continuará frequentando a igreja, mas por ainda ser vigiado pelos serviços de segurança, precisa de nossas orações.
Pedidos de oração
- Ore pela segurança de Samir e da família dele. Peça que tenham sabedoria em como se comportar nessa situação.
- Que eles possam resistir à pressão imposta pelas autoridades e serviços de segurança.
- Peça ainda que o Espírito Santo garanta a eles paz e que possam manter a fé em Cristo.
*Nome alterado por segurança.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tite se recusa a encontrar Jair Bolsonaro

Enquanto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tenta se aproximar de Jair Bolsonaro, o técnico Tite quer distância do presidente eleito. Ao ser questionado se aceitaria encontrar o presidente eleito Jair Bolsonaro em solenidade oficial antes ou depois da Copa América, o treinador foi direto. Segundo informações da “Folha“, Tite afirmou: Não. Eu continuo com a mesma opinião. A minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura. Não. Curiosamente, em 2012, após vencer a taça Libertadores da América no comando do Corinthians, o técnico Tite não viu problemas em visitar o então presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Viagem em jatinho pode ter tirado Magno Malta do ministério de Bolsonaro

Magno Malta parece ter saído da lista de ministeriáveis após Jair Bolsonaro receber informações de que ele viajou em aeronave sem informar a Justiça Eleitoral. O presidente eleito Jair Bolsonaro decidiu cortar da lista de possíveis ministros o senador Magno Malta (PR-ES) após receber informações de que o aliado fez viagens para aproximar o empresário Eraí Maggi da campanha do PSL. Malta também teria utilizado sua proximidade com Bolsonaro para defender nomes que poderiam compor um eventual governo. Chegou ao conhecimento do futuro chefe de Estado que o empresário Maggi teria colocado à disposição de Malta um jatinho particular para alguns deslocamentos e ainda aberto sua fazenda para encontro com ruralistas. Malta não registrou deslocamentos em jatinhos do empresário nas prestações de conta ao TSE.

Quem é o passageiro que Lewandowski mandou prender em voo

O passageiro levado pela Polícia Federal a mando de Ricardo Lewandowski durante voo da Gol é o advogado Cristiano Caiado Acioli, filho da subprocuradora Helenita Caiado – que chegou a presidir o CNMP.

Em vídeo que O Antagonista reproduziu mais cedo, Acioli chama Lewandowski e diz: “O Supremo é uma vergonha, viu? Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando eu vejo vocês.”

Depois, em novo vídeo, protestou por ter seu direito de expressão cerceado.

Votou em Jair Bolsonaro. O Antagonista