Pular para o conteúdo principal

Geraldo Alckmin terá quase 24 min de propaganda na TV


Tucano recebeu apoio do chamado "Blocão", que reúne cinco partidos


Geraldo Alckmin Foto: Alexandre Carvalho/A2img

O candidato à Presidência da República Geraldo Alckmin (PSDB) recebeu o apoio do chamado “Blocão”. A ligação entre o tucano e o grupo de partidos que reúne DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade será anunciada formalmente nesta quinta-feira (26).

Com o apoio, o tempo de propaganda eleitoral de Alckmin vai para 23 minutos e 37 segundos diários na TV. Anteriormente, o presidenciável teria cinco minutos e 58 segundos. O PSDB já estava em negociações com o “Blocão” e, no dia 19, chegou a ser confirmado o apoio.

anúncio oficial, porém, não foi feito porque ainda faltavam detalhes a serem discutidos. Na noite desta quarta-feira (25), Alckmin e representantes dos partidos realizaram um novo encontro. As informações preliminares foram divulgadas após um jantar na casa de Ciro Nogueira (PP). O apoio saiu nas colunas dos jornalistas Valdo Cruz e Gerson Camarotti.
 
Portal G1.

Comentários

Unknown disse…
Não adianta, pode ter o tempo que for,nós já temos o 17, vamos bater panela para o Alkimim, desligar a TV, choro de bebê e outros recursos que a pobreza dispõe!

Postagens mais visitadas deste blog

Tite se recusa a encontrar Jair Bolsonaro

Enquanto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tenta se aproximar de Jair Bolsonaro, o técnico Tite quer distância do presidente eleito. Ao ser questionado se aceitaria encontrar o presidente eleito Jair Bolsonaro em solenidade oficial antes ou depois da Copa América, o treinador foi direto. Segundo informações da “Folha“, Tite afirmou: Não. Eu continuo com a mesma opinião. A minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura. Não. Curiosamente, em 2012, após vencer a taça Libertadores da América no comando do Corinthians, o técnico Tite não viu problemas em visitar o então presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Viagem em jatinho pode ter tirado Magno Malta do ministério de Bolsonaro

Magno Malta parece ter saído da lista de ministeriáveis após Jair Bolsonaro receber informações de que ele viajou em aeronave sem informar a Justiça Eleitoral. O presidente eleito Jair Bolsonaro decidiu cortar da lista de possíveis ministros o senador Magno Malta (PR-ES) após receber informações de que o aliado fez viagens para aproximar o empresário Eraí Maggi da campanha do PSL. Malta também teria utilizado sua proximidade com Bolsonaro para defender nomes que poderiam compor um eventual governo. Chegou ao conhecimento do futuro chefe de Estado que o empresário Maggi teria colocado à disposição de Malta um jatinho particular para alguns deslocamentos e ainda aberto sua fazenda para encontro com ruralistas. Malta não registrou deslocamentos em jatinhos do empresário nas prestações de conta ao TSE.

Quem é o passageiro que Lewandowski mandou prender em voo

O passageiro levado pela Polícia Federal a mando de Ricardo Lewandowski durante voo da Gol é o advogado Cristiano Caiado Acioli, filho da subprocuradora Helenita Caiado – que chegou a presidir o CNMP.

Em vídeo que O Antagonista reproduziu mais cedo, Acioli chama Lewandowski e diz: “O Supremo é uma vergonha, viu? Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando eu vejo vocês.”

Depois, em novo vídeo, protestou por ter seu direito de expressão cerceado.

Votou em Jair Bolsonaro. O Antagonista