Pular para o conteúdo principal

Ladrões são presos após comemorarem roubo de R$ 400 mil: "Não vai dar nada" Criminosos roubaram uma joalheria na Asa Norte e gravaram vídeo comemorando o assalto. Dos quatro, dois foram presos em Samambaia e outros dois continuam foragidos

Quatro criminosos roubaram R$ 400 mil em jóias na Asa Norte e gravaram vídeo comemorando o assalto, na manhã de terça-feira (24/7). Um deles, Jonas dos Santos Tertulino, 25 anos, entrou na joalheria vestido de terno, se passando por um cliente, mas anunciou o assalto logo em seguida.
 
Enquanto o motorista do grupo ficou no carro, dois comparsas ajudaram Jonas a recolher os materiais, os três armados e ameaçando matar os funcionários caso não colaborassem. Além das jóias, os bandidos levaram ainda R$ 2 mil em dinheiro do estabelecimento.
 
O crime aconteceu às 10h20 e, horas depois, policiais que investigavam os moradores de uma casa em Samambaia ouviram esses homens conversando sobre jóias. Ao descobrirem o roubo na Asa Norte, os agentes observaram as câmeras de segurança do comércio e identificaram que dois dos criminosos eram residentes de lá.
 
Foi preparado um cerco ao local, na QR 425, e feita uma busca na casa, mas um participante do assalto conseguiu escapar da polícia pulando um muro.
 
Laércio Rosseto, delegado da 2ª DP (Asa Norte), explicou a ação: "Os autores do crime fugiram na hora, mas encontramos dois escondidos na casa ao lado. O local é de difícil acesso, e uma operação em Samambaia não é simples. Por isso que um deles conseguiu fugir, mas ele já está identificado". O quarto envolvido é o motorista do carro usado no roubo, que ainda não foi reconhecido e está foragido.
 
Na casa foram encontradas parte das jóias e os presos confirmaram participação no assalto. O primeiro detido foi Jonas dos Santos, que havia se passado por cliente da joalheria. Ele já tinha passagem por quatro roubos só em 2018, todos praticados com arma de fogo, nas regiões de Taguatinga e Samambaia.
 
O segundo preso é Deusivan Santos Lima, 21, que também tem passagem pela polícia, por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de uso restrito. No dia anterior ao assalto, ele havia assaltado dois carros. "Isso mostra que os presos eram dedicados a roubos, tanto de veículos como de comércio ou a residência", comentou o delegado Eduardo Galvão, da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia). 
 
A polícia ainda identificou o foragido João de Deus Alves Pereira, 25, que fugiu pulando o muro da casa na hora da abordagem. O homem também tem em sua ficha criminal passagem por tráfico de drogas, em 2016, e aparece em imagens obtidas do celular de Deusivan comemorando o crime.

Vídeo de comemoração

Após realizar o roubo, os quatro envolvidos aparecem em vídeos gravados do celular de Deusivan Santos comemorando a ação, exibindo as jóias e uma arma. Deusivan chega a dizer: “Vai dar nada, ninguém sabe nem onde a gente está. Ninguém nem viu a gente entrando no carro. Aqui nós só busca os diamantes, só coisa boa (sic)”.
 
Nas imagens é possível identificar João de Deus ao lado de Deusivan, que aparece de camisa vermelha. A polícia divulgou ainda uma outra foto do criminoso, que pode ser denunciado de forma anônima pelo número 197. 

Envolvidos

  • Jonas dos Santos Tertulino: entra de terno na joalheria se passando por cliente. Está preso.
  • Deusivan Santos Lima: entra após Jonas, armado e ameaçando os funcionários. Também está preso. 
  • João de Deus Alves: entra na joalheria com Deusivan e Jonas, também armado. Está foragido após fuga da casa em Samambaia
  • Motorista do assalto: ainda não identificado, dirigia um Chevrolet Astra e não estava na casa na hora da abordagem policial
  • Receptador: estava na residência em Samambaia, com um colar da loja roubada no pescoço. Afirmou ter levado um dos autores do crime para Ceilândia e recebido a jóia como pagamento. Está preso pelo crime de receptação. 
  • Proprietário da casa: não estava envolvido no crime, mas estava na casa no momento da abordagem policial. Foi ouvido como testemunha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A gente vai dar é porrada se não respeitarem a gente", ameaça Lula, após protestos.

O Ex presidente condenado Lula, enfrentando protestos por todos os lugares por onde passa sua "caravana" pelo Sul do Brasil, subiu o tom das ameaças. Lula disse: "A gente vai dá é porrada se não respeitarem a gente", chamando os cidadãos que pedem sua prisão de fascistas.

Fico imaginando o que ele faria se estivesse no poder hoje. Seria mais um Maduro tupiniquim, um ditador cerceando a nossa liberdade e dando ração ao povo.

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.