Pular para o conteúdo principal

Novo ministro do Trabalho é sócio de mulher de Gilmar Mendes em escritório


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Anunciado nesta segunda-feira (9) como o novo ministro do Trabalho pelo presidente Michel Temer (MDB), o advogado Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello é sócio da mulher do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes em um dos mais renomados escritórios de advocacia do Brasil. 


A informação consta do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica da Receita Federal. Caio Luiz e Guiomar Feitosa de Albuquerque Lima Mendes aparecem como dois dos 23 sócios do Sergio Bermudes Advogados Associados, com sede em Brasília.
No site do escritório, o novo ministro aparece no rol de membros apenas como consultor. Ainda de acordo com o cadastro da Receita, a empresa foi aberta em 2001.

Vieira de Mello é desembargador aposentado e foi vice-presidente judicial do TRT-3 (Tribunal Regional do Trabalho da Terceira Região), no biênio 2008 e 2009.

O advogado foi anunciado para ocupar a pasta quatro dias depois de o ex-ministro do Trabalho Helton Yomura (PTB) ter sido afastado do cargo por decisão do ministro Edson Fachin, do STF.

Desde a última quinta-feira (5), quando Yomura pediu demissão, o ministério era comandado interinamente pelo ministro Eliseu Padilha (MDB), que acumulou o ministério da Casa Civil.

Segundo nota divulgada pelo Palácio do Planalto, a posse de Vieira de Mello está marcada para as 15h desta terça (10).

A reportagem tentou entrar em contato com o novo ministro no início da noite desta segunda, mas foi informado pela telefonista do escritório Sergio Bermudes que ele estava recebendo muitas ligações e retornaria quando fosse possível.

O UOL também não conseguiu ouvir Guiomar Mendes, que se encontra de férias no exterior.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sumiço da Faca e o registro na Câmara: Adelio não agiu sozinho, alerta Alexandre Garcia (Veja o Vídeo)

Algo de muito podre ronda a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados.

Após o golpe em Jair Bolsonaro, Adelio se livrou rapidamente da faca. Tudo indica que repassou para alguém, tanto é que a ‘arma branca’ foi encontrada numa barraca de ambulante, nas imediações. Alguém jogou esta faca onde foi achada. Parece óbvio. A questão do registro na Câmara também deve ser cuidadosamente examinada. Algo de muito podre ronda a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados. O diretor do setor alega que um recepcionista registrou por engano a entrada de Adélio Bispo de Oliveira no local, no dia 6 de setembro, o dia do atentado contra Jair Bolsonaro. Ora, foram constatados os registros de duas entradas do criminoso. O tal servidor registrou por engano duas vezes? E o nome do servidor distraído agora é mantido sob sigilo? Parece óbvio que caso o atentado tivesse sido exitoso e no meio da multidão Adelio alcançasse a fuga, o álibi estaria pronto. Esse era o plano e isto parece bem claro. Veja o vídeo…

Alvaro Dias chama Bolsonaro de “vagabundo bandido” e “quase morto” e recebe resposta do senador Magno Malta

Sem saber que estava sendo gravado, Álvaro Dias aproveitou para destilar todo o seu veneno com comentários maldosos sobre Jair Bolsonaro. O candidato do Podemos afirmou que Bolsonaro é um “vagabundo bandido” e que ‘ta quase morto”. Ainda no mesmo trecho, Dias afirma que “se não fosse a facada eu estaria destruindo ele hoje.”
Alvaro Dias ataca Bolsonaro e recebe A RESPOSTA de Magno Malta

ADÉLIO NA TV- A defesa de Adélio Bispo de Oliveira, pede autorização a juíz, para que Adélio de entrevista a um programa de televisão

Por Claudio Dantas  ( O Antagonista) A defesa de Adélio Bispo de Oliveira, que tentou matar Jair Bolsonaro, pediu ao juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal de Juiz de Fora (MG), autorização para que o criminoso conceda entrevista a um programa de televisão.
O MPF se manifestou pelo encaminhamento do pedido à Direção da Penitenciária Federal de Campo Grande (MS), onde Adélio está custodiado. Savino concordou.