Pular para o conteúdo principal

Novo ministro do Trabalho é sócio de mulher de Gilmar Mendes em escritório


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Anunciado nesta segunda-feira (9) como o novo ministro do Trabalho pelo presidente Michel Temer (MDB), o advogado Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello é sócio da mulher do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes em um dos mais renomados escritórios de advocacia do Brasil. 


A informação consta do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica da Receita Federal. Caio Luiz e Guiomar Feitosa de Albuquerque Lima Mendes aparecem como dois dos 23 sócios do Sergio Bermudes Advogados Associados, com sede em Brasília.
No site do escritório, o novo ministro aparece no rol de membros apenas como consultor. Ainda de acordo com o cadastro da Receita, a empresa foi aberta em 2001.

Vieira de Mello é desembargador aposentado e foi vice-presidente judicial do TRT-3 (Tribunal Regional do Trabalho da Terceira Região), no biênio 2008 e 2009.

O advogado foi anunciado para ocupar a pasta quatro dias depois de o ex-ministro do Trabalho Helton Yomura (PTB) ter sido afastado do cargo por decisão do ministro Edson Fachin, do STF.

Desde a última quinta-feira (5), quando Yomura pediu demissão, o ministério era comandado interinamente pelo ministro Eliseu Padilha (MDB), que acumulou o ministério da Casa Civil.

Segundo nota divulgada pelo Palácio do Planalto, a posse de Vieira de Mello está marcada para as 15h desta terça (10).

A reportagem tentou entrar em contato com o novo ministro no início da noite desta segunda, mas foi informado pela telefonista do escritório Sergio Bermudes que ele estava recebendo muitas ligações e retornaria quando fosse possível.

O UOL também não conseguiu ouvir Guiomar Mendes, que se encontra de férias no exterior.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A gente vai dar é porrada se não respeitarem a gente", ameaça Lula, após protestos.

O Ex presidente condenado Lula, enfrentando protestos por todos os lugares por onde passa sua "caravana" pelo Sul do Brasil, subiu o tom das ameaças. Lula disse: "A gente vai dá é porrada se não respeitarem a gente", chamando os cidadãos que pedem sua prisão de fascistas.

Fico imaginando o que ele faria se estivesse no poder hoje. Seria mais um Maduro tupiniquim, um ditador cerceando a nossa liberdade e dando ração ao povo.

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.