Pular para o conteúdo principal

“Sempre vamos agradecer ao Brasil”, diz embaixador sobre a criação do Estado de Israel


Yossi Shelley agradeceu a Osvaldo Aranha pela grande contribuição na criação do Estado de Israel, em 1948.


Atuando no Brasil há pouco mais de um ano, o embaixador israelense Yossi Shelley acredita que os países árabes não têm interesse no acordo de paz com a Israel. Explicando sua opinião em entrevista ao programa Mente Aberta, ele citou momentos históricos onde houve oportunidades, mas sem boas reações.

"Abraão foi o seguidor da fé e ele acreditava em Deus. Nós estamos sempre na luta. Israel é um país guerreiro, assim como o Brasil. Em Israel precisamos sempre solucionar os problemas. Tem problema de segurança? Temos solução. Tem problema de água? Temos solução", disse Shelley.

O embaixador salientou que dentre todos os países do mundo, Israel é um dos poucos que possuem satélite. "Quem tem satélites? Apenas oito países têm a possibilidade de lançar e construir satélites. É uma das maiores tecnologias e Israel tem", declarou.

Acordo de Paz
Segundo o embaixador, os países árabes não querem fazer acordo com a nação judaica. "Os países árabes não querem fazer paz com Israel. Eles têm raiva de Israel. Tivemos duas oportunidades para fazer acordos de paz. No Líbano eles disseram: 'Nós queremos fazer a paz, deixem tudo'. O que aconteceu? Enviaram foguetes em nós", lembrou Yossi.

"Em 2005 estivemos ocupando a faixa de gaza e, mais uma vez, foguetes. O que acontece é que eles não querem fazer paz. Porque quando eles querem fazer paz... Com o Egito eles têm um acordo de paz. Quando você quer dançar tango você precisa de dois parceiros ou então não tem dança", explicou.

Shelley destacou como o Estado lida com as políticas públicas e coopera junto com empresas privadas. "Em Israel as coisas são feitas com empresas privadas. O governo não sabe fazer negócios. Eles não têm essa capacidade. O governo sabe dirigir de forma grande", disse.

"Mas quando você chega no micro, o governo falha. Então, este é o problema. Todo o setor privado, quando faz negócio, acaba sugando da economia. O governo vai cuidar de outras coisas. Quem também constrói rodovias é o setor privado", salientou.

Embaixada em Jerusalém
Shelley explicou que o fato de Jerusalém ser capital de Israel já estava escrito na Bíblia há três mil anos. "Israel sempre teve Jerusalém. Todas as coisas que estão como símbolo da nação estão em Jerusalém. Cada país tem a sua autonomia de decidir onde vai ser sua capital", afirma.

"Os judeus foram perseguidos, depois de Portugal e Espanha, na inquisição. Mas quando as pessoas fugiram de Portugal, foram com com Carlos Cabral. Os judeus não chegaram aqui como imigrantes, eles fundaram o Brasil como os brasileiros", disse o embaixador.

Em 1948, a recém-criada Organização das Nações Unidas (ONU) realizou o Comitê Especial para Palestina com a missão de tratar da decisão pela partilha territorial. O encarregado de gerir essa questão foi o brasileiro Osvaldo Aranha que advogou em favor da criação do Estado de Israel.

"Depois de todas as atrocidades, depois do holocausto, depois das cinzas, nós chegamos em Israel. Agradecemos a Osvaldo Aranha que fez essa decisão definitiva para criar o Estado de Israel. Por isso sempre vamos agradecer ao Brasil. Está escrito na Bíblia que se você me ajuda, eu ajudo você", declarou.

Fonte: Guiame

ASSISTA AQUI

Para uma boa audição desligue o áudio do Stúdio Rhema no canto superior esquerdo do blog.

Poderá também gostar de:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zanin complica mais a situação de Lula e ganha “aula de direito” de Marcelo Odebrecht (Veja o Vídeo)

A situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é praticamente insanável, sem solução, ou, melhor dizendo, indefensável. Sepúlveda Pertence, quando entrou na causa, logo percebeu a enorme gravidade. Imediatamente começou a costurar um acordo no Supremo Tribunal Federal (STF), o acordo possível na época: Prisão domiciliar e Lula quieto, respeitando o Poder Judiciário, sem mais afrontas. Felizmente para a boa Justiça, Zanin existe e conseguiu estragar tudo. Continuou pregando a inocência do meliante petista, alimentado pelas sandices de Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias, Paulo Pimenta e Wadih Damous. Um idiota completo. Na sequência, destratou Sepúlveda e abriu crise na defesa do presidiário. Diante de tais fatos, o ex-ministro entendeu que já havia feito o serviço para o qual havia sido remunerado, não logrou êxito em função da interferência do abobalhado causídico, e assim caiu fora.
Zanin permaneceu na defesa de Lula, ao lado da esposa, uma pobre coitada, de parcos conheciment…

Miriam Leitão leva invertida ao vivo de Cristiana Lobo (Veja o Vídeo)

A jornalista Miriam Leitão parece que partiu para um processo de autodestruição. A credibilidade que ainda detinha está se esvaindo completamente. Elementar! Miriam agora faz um jornalismo que tem alvo. O alvo evidentemente é Jair Bolsonaro. Fica difícil opinar com coerência com o coração cheio de ódio. Nesse sentido, mesmo diante da vitória acachapante de Bolsonaro, a jornalista diuturnamente tenta desconstruir a imagem ou diminuir a força do presidente eleito. Sua última tática foi patética. Miriam tentou demonstrar uma suposta relevância do resultado obtido pelo PT na região Nordeste. Para tanto, mentiu, foi desmentida, tentou se corrigir, mas se deu muito mal. Veja o vídeo:

“Se tem um ser humano que eu desprezo, chama-se Gleisi Hoffmann”, diz Roberto Justus (Veja o Vídeo)

A senadora Gleisi Hoffmann é quase uma unanimidade. Ninguém a suporta. Impressionante como uma mulher consegue nutrir o dom de gerar tanto asco. Mesmo pessoas que não desenvolvem qualquer atividade político-partidária não suportam o jeito e o comportamento da petista, evidenciado por seu extremo e ilimitado mau-caratismo. Até no PT, Gleisi já angariou inúmeras antipatias. O próprio ex-presidenciável Fernando Haddad não a tolera. Não é pra menos, Gleisi trabalhou sorrateiramente contra a candidatura de Haddad e hoje é um obstáculo pesado para a sua sobrevivência política. O empresário Roberto Justus, uma pessoa isenta, totalmente sem ligações políticas, definiu a petista com extrema precisão. Veja o vídeo: Jornal da Cidade otto@jornaldacidadeonline