Pular para o conteúdo principal

Adversários ainda não sabem o que fazer para confrontar Bolsonaro




Por Rosinaldo Pereira/ colunista do Jornal 21 Brasil

Jair Bolsoanro continua isolado na corrida ao planalto como também em coligação com partidos.
Os adversários do Militar ainda não chegaram a consenso sobre como confrontar o capitão.

Campanhas dos adversários do presidenciável do PSL ainda não chegaram a um consenso sobre  a melhor maneira  de confrontar o líder nas pesquisas, diz a colunista Vera Magalhães do jornal do Estado de SP.

Na véspera do primeiro debate na TV aberta da elçeição presidencial, o da Band amanhã, as campanhas dos adversários de Jair Bolsonaro ainda não sabem a melhor maneira de confrontar o líder nas pesquisas.

Enquanto a necessidade de fazê-lo desidratar nas pesquisas poderia sugerir que ele seja alvo natural dos ataques de todos os demais, as recentes sabatinas e entrevistas das quais o candidato do PSL à Presidência participou levaram os QGs rivais a reverem essa estratégia.

Um dos responsáveis pela preparação de um dos oito contendores observa que o
" bizarro, o inusitado" não tira votos de Bolsonaro.

Ao contrário, parece forttalecê-lo diante de seus eleitores fiéis.

A seguir essa leitura, melhor seria deixá-lo "quieto", sem forçar um confronto direto no qual ele pode sair "vencedor" segundo uma régua que não é a convencional da política.

 A descontrução de Bolsoanro seria feita , aí sim, na propaganda eleitopral de TV, quando seus adversários vão dispor de um latifundio  de tempo para atacà-lo, e ele não terá  nenhum para contra-atacar ou se defender. Para esses estrategistas, as redes sociais não tem poder de fogo para rebater uma campanha destrutiva.

Resta saber se todos vão resistir  a tentação de um tête-a tête com o primeiro colocado no páreo. Isso vale principalmente para Ciro Gomes(PDT), que pode querer aproveitar a ausência do candidato petista no confronto para ser o antípoda de Bolsonaro diante do eleitor de esquerda.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tite se recusa a encontrar Jair Bolsonaro

Enquanto a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tenta se aproximar de Jair Bolsonaro, o técnico Tite quer distância do presidente eleito. Ao ser questionado se aceitaria encontrar o presidente eleito Jair Bolsonaro em solenidade oficial antes ou depois da Copa América, o treinador foi direto. Segundo informações da “Folha“, Tite afirmou: Não. Eu continuo com a mesma opinião. A minha atividade não se mistura e eu não me sinto confortável em fazer essa mistura. Não. Curiosamente, em 2012, após vencer a taça Libertadores da América no comando do Corinthians, o técnico Tite não viu problemas em visitar o então presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Viagem em jatinho pode ter tirado Magno Malta do ministério de Bolsonaro

Magno Malta parece ter saído da lista de ministeriáveis após Jair Bolsonaro receber informações de que ele viajou em aeronave sem informar a Justiça Eleitoral. O presidente eleito Jair Bolsonaro decidiu cortar da lista de possíveis ministros o senador Magno Malta (PR-ES) após receber informações de que o aliado fez viagens para aproximar o empresário Eraí Maggi da campanha do PSL. Malta também teria utilizado sua proximidade com Bolsonaro para defender nomes que poderiam compor um eventual governo. Chegou ao conhecimento do futuro chefe de Estado que o empresário Maggi teria colocado à disposição de Malta um jatinho particular para alguns deslocamentos e ainda aberto sua fazenda para encontro com ruralistas. Malta não registrou deslocamentos em jatinhos do empresário nas prestações de conta ao TSE.

Quem é o passageiro que Lewandowski mandou prender em voo

O passageiro levado pela Polícia Federal a mando de Ricardo Lewandowski durante voo da Gol é o advogado Cristiano Caiado Acioli, filho da subprocuradora Helenita Caiado – que chegou a presidir o CNMP.

Em vídeo que O Antagonista reproduziu mais cedo, Acioli chama Lewandowski e diz: “O Supremo é uma vergonha, viu? Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando eu vejo vocês.”

Depois, em novo vídeo, protestou por ter seu direito de expressão cerceado.

Votou em Jair Bolsonaro. O Antagonista