Pular para o conteúdo principal

E a boba da corte foi Mirian Leitão... Que fiasco! Que tragédia!


Uma das mais patéticas, cômicas e infelizes páginas da história do jornalismo brasileiro.
Não vai precisar de “marqueteiro” e vai fazer a jornada eleitoral mais barata da história.
A seguir nessa batida, pode esperar a faixa presidencial em casa, de bermuda ou pijama, calçando chinelos. Já no primeiro turno.
A mídia dos fiascos fará o trabalho por ele.
Uma das mais patéticas, cômicas e infelizes páginas do jornalismo brasileiro foi escrita ontem à noite com a passagem do candidato pela Central das Eleições na Globo News.
E a “boba” da corte foi a Miriam Leitão.
O que foi aquilo? Gente letrada se prestar aquele papelão? Que tragédia!
É nisso que dá o desvirtuamento da função.
Jornalistas devem reportar e reportar-se aos fatos. Interpretar eu mesmo faço.
Repetindo o que já havia ocorrido no programa Roda Viva com o mesmo Bolsonaro, desvirtuaram sua nobre missão.
Logo quem! A grande imprensa brasileira, de há muito vêm prestando um desserviço à sociedade e ao Brasil.
Por isso se iguala ao que há de pior no meio político.
Cumpre um roteiro que ao invés de servir ao país, busca somente seus interesses econômicos sempre agarrada nas tetas de quem tem a chave do cofre.
E vai de acordo com o vento fazendo bobagens.
Daí que não detém mais nem a confiança nem o respeito de ninguém.
É por isso que se expõe ao ridículo como fez essa semana.
Alguém precisa avisar para essa trupe de trapalhões que eles estão fazendo um humilhante fiasco!
Será que eles não sabem o que são as mídias sociais?

Luiz Carlos Nemetz

Advogado.Vice-presidente e Chefe da Unidade de Representação em Santa Catarina na empresa Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo e Sócio na empresa Nemetz & Kuhnen Advocacia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda. países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola Guiné equatorial Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R4 2 Bilhões na Ilha que ficou mais conmhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões.Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Bolsonaro volta a defender castração química para estupradores

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender a castração química para estupradores em debate da Band, na noite desta quinta-feira. Ele foi questionado pelo senador Alvaro Dias (Podemos) sobre o que deveria ser feito para combater o crescimento do número de estupros e a desigualdade de gênero no Brasil.
O Brasil registrou 60.018 estupros, 164 casos por dia, e 221.238 crimes enquadrados na Lei Maria da Penha (606 casos por dia) ao longo de 2017. O número de estupros representa um crescimento de 8,4% em relação a 2016, mas não é possível saber a variação relativa aos casos de violência doméstica, já que este é o primeiro ano que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública captou dos Estados dados dessa natureza.
Especialistas do Fórum acreditam que ambos os registros estejam subdimensionados dada a dificuldade de registro na polícia desses crimes. Ainda assim, a quantidade é considerada alarmante e pede a implementação de políticas específicas.

IstoÉ

A carta de princípios de Bolsonaro

Jair Bolsonaro não vai apresentar ao TSE um programa de governo tradicional, mas uma carta de princípios.

Segundo a Folha, o candidato vai dar ênfase à Segurança Pública, propor o corte de mais de uma dezena de ministérios e detalhar um pouco mais o plano econômico de Paulo Guedes.

Haverá ainda uma parte dedicada ao combate à corrupção. “A ideia de Bolsonaro é se apresentar para o eleitor como o único candidato à Presidência que manterá o funcionamento da Operação Lava Jato”.
A equipe de Bolsonaro estuda ainda zerar impostos e complementar a renda dos mais pobres.
O Antagonista