Pular para o conteúdo principal

(Ibuprofeno e Diclofenaco ) Anti-flamatórios mais vendidos no Brasil podem causar parada cardíaca.

Cientistas descobrem efeito perigoso de alguns tipos de anti-inflamatórios não-esteroides: aumentam o risco cardíaco.





Os anti-inflamatórios não-esteroides estão entre os medicamentos mais utilizados no mundo e alguns, incluindo o ibuprofeno, estão disponíveis em qualquer farmácia e são comprados sem receitas ou indicação médica, qualquer pessoa pode comprar e tomar esses medicamentos para todo tipo de dores, indiscriminadamente.
Uma recente pesquisa publicada pela revista científica European Heart Journal e comandada pelo Hospital Universitário Gentofte, de Copenhague, sugere que o uso de alguns tipos de anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs) pode ser prejudicial ao coração e está associado ao aumento do risco de parada cardíaca.
Estes cientistas dinamarqueses sugerem que a venda do analgésico ibuprofeno seja drasticamente reduzida, já que o estudo em questão chegou à conclusão de que a ingestão do medicamento pode aumentar o risco de parada cardíaca em mais de 30%.
Outros medicamentos do mesmo grupo apresentam risco de ataque cardíaco em cerca de 50%, um dos autores do estudo, Gunnar Gislason, professor de cardiologia do Hospital Universitário de Copenhague Gentofte, na Dinamarca, relatou ao jornal The Guardian. Segundo a pesquisa, outros remédios que deveriam ter controles mais exigentes sobre a venda ao público são: diclofenaco, naproxeno, ibuprofeno e inibidores seletivos da COX-2 celecoxib conhecido por Celebra e rofecoxib, já retirado da circulação.
Para realizar este trabalho, os cientistas da Dinamarca avaliaram todas as paradas cardíacas registradas em seu país entre os anos de 2001 e 2010. Foram coletadas informações sobre prescrições dos medicamentos mencionados desde 1995. Nesse período, 28.947 tiveram parada cardíaca fora do hospital. E foi constatado que 3.376 tinham tomado AINEs 30 dias antes de dar entrada.
O ibuprofeno foi um dos medicamentos mais mencionados, cobrindo respectivamente 51% e 22% do uso total. Em relação ao incremento do risco de parada cardíaca, o ibuprofeno foi responsável por 31% e o diclofenaco, 50%.
Para explicar esses fatos, os pesquisadores concluíram que os efeitos podem surgir devido à agregação das plaquetas que provoca coágulos, fazendo com que as artérias se estreitem, aumentando a retenção de líquidos e consequentemente a pressão sanguínea.
Segundo os autores, o naproxeno é o AINE mais seguro e seria recomendado tomar até 500 miligramas por dia. O diclofenaco é o mais perigoso e seu consumo deveria ser evitado, já que existem outros remédios com efeitos similares mais seguros. Os responsáveis pelo estudo recomendaram deixar de receitar o diclofenaco, um dos anti-inflamatórios mais usados.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro reage a Boulos: “Vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”

Em sua ‘live’ de domingo no Facebook, Jair Bolsonaro reagiu ao vídeo de um comício feito por Guilherme Boulos na quarta-feira passada, ao lado de Gleisi Hoffmann, em cima de um carro de som no Masp, em São Paulo, no qual o candidato derrotado do PSOL disse que só deixaria passar o feriadão para voltar a fazer mobilizações pelo país e a militância cantou em coro: “Ô Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Boulos afirmou que “o MTST ocupa terreno improdutivo, e a casa do Bolsonaro não me parece uma coisa muito produtiva”. “Você deve ter visto um vídeo de ontem, ou anteontem, do Boulos insuflando uma massa enorme para invadir, ocupar a minha residência. O que você faria se o Boulos e 2 mil pessoas ameaçassem invadir a sua residência? Se eu for o presidente e se o Parlamento assim entender, nós vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”, disse Bolsonaro.
O Antagonista

Patrícia Pillar critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro

Através de comentário feito na postagem, Patrícia usou várias narrativas esquerdistas para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil.

Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.

A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de “Bolsa Presidiário”, fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ainda traz o questionamento: “Tem certeza que o PT sabe governar?”

Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro.

A ex-mulher de Ciro Gomes (PDT) declarou:


Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que n…

Haddad tenta jogar católicos contra evangélicos

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, participou de uma missa em São Paulo nesta sexta-feira (12). Em entrevista, logo após, o petista atacou Bolsonaro e tentou dividir cristãos. O dia de Nossa Senhora Aparecida foi utilizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar construir a imagem de um Fernando Haddad com bases religiosas. “Eu sou neto de um líder religioso”, respondeu o candidato do PT ao ser chamado de “abortista” por uma cristã após a missa na paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela, em São Paulo.