Pular para o conteúdo principal

(Ibuprofeno e Diclofenaco ) Anti-flamatórios mais vendidos no Brasil podem causar parada cardíaca.

Cientistas descobrem efeito perigoso de alguns tipos de anti-inflamatórios não-esteroides: aumentam o risco cardíaco.





Os anti-inflamatórios não-esteroides estão entre os medicamentos mais utilizados no mundo e alguns, incluindo o ibuprofeno, estão disponíveis em qualquer farmácia e são comprados sem receitas ou indicação médica, qualquer pessoa pode comprar e tomar esses medicamentos para todo tipo de dores, indiscriminadamente.
Uma recente pesquisa publicada pela revista científica European Heart Journal e comandada pelo Hospital Universitário Gentofte, de Copenhague, sugere que o uso de alguns tipos de anti-inflamatórios não-esteroides (AINEs) pode ser prejudicial ao coração e está associado ao aumento do risco de parada cardíaca.
Estes cientistas dinamarqueses sugerem que a venda do analgésico ibuprofeno seja drasticamente reduzida, já que o estudo em questão chegou à conclusão de que a ingestão do medicamento pode aumentar o risco de parada cardíaca em mais de 30%.
Outros medicamentos do mesmo grupo apresentam risco de ataque cardíaco em cerca de 50%, um dos autores do estudo, Gunnar Gislason, professor de cardiologia do Hospital Universitário de Copenhague Gentofte, na Dinamarca, relatou ao jornal The Guardian. Segundo a pesquisa, outros remédios que deveriam ter controles mais exigentes sobre a venda ao público são: diclofenaco, naproxeno, ibuprofeno e inibidores seletivos da COX-2 celecoxib conhecido por Celebra e rofecoxib, já retirado da circulação.
Para realizar este trabalho, os cientistas da Dinamarca avaliaram todas as paradas cardíacas registradas em seu país entre os anos de 2001 e 2010. Foram coletadas informações sobre prescrições dos medicamentos mencionados desde 1995. Nesse período, 28.947 tiveram parada cardíaca fora do hospital. E foi constatado que 3.376 tinham tomado AINEs 30 dias antes de dar entrada.
O ibuprofeno foi um dos medicamentos mais mencionados, cobrindo respectivamente 51% e 22% do uso total. Em relação ao incremento do risco de parada cardíaca, o ibuprofeno foi responsável por 31% e o diclofenaco, 50%.
Para explicar esses fatos, os pesquisadores concluíram que os efeitos podem surgir devido à agregação das plaquetas que provoca coágulos, fazendo com que as artérias se estreitem, aumentando a retenção de líquidos e consequentemente a pressão sanguínea.
Segundo os autores, o naproxeno é o AINE mais seguro e seria recomendado tomar até 500 miligramas por dia. O diclofenaco é o mais perigoso e seu consumo deveria ser evitado, já que existem outros remédios com efeitos similares mais seguros. Os responsáveis pelo estudo recomendaram deixar de receitar o diclofenaco, um dos anti-inflamatórios mais usados.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda. países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola Guiné equatorial Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R4 2 Bilhões na Ilha que ficou mais conmhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões.Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

Bolsonaro volta a defender castração química para estupradores

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender a castração química para estupradores em debate da Band, na noite desta quinta-feira. Ele foi questionado pelo senador Alvaro Dias (Podemos) sobre o que deveria ser feito para combater o crescimento do número de estupros e a desigualdade de gênero no Brasil.
O Brasil registrou 60.018 estupros, 164 casos por dia, e 221.238 crimes enquadrados na Lei Maria da Penha (606 casos por dia) ao longo de 2017. O número de estupros representa um crescimento de 8,4% em relação a 2016, mas não é possível saber a variação relativa aos casos de violência doméstica, já que este é o primeiro ano que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública captou dos Estados dados dessa natureza.
Especialistas do Fórum acreditam que ambos os registros estejam subdimensionados dada a dificuldade de registro na polícia desses crimes. Ainda assim, a quantidade é considerada alarmante e pede a implementação de políticas específicas.

IstoÉ

A carta de princípios de Bolsonaro

Jair Bolsonaro não vai apresentar ao TSE um programa de governo tradicional, mas uma carta de princípios.

Segundo a Folha, o candidato vai dar ênfase à Segurança Pública, propor o corte de mais de uma dezena de ministérios e detalhar um pouco mais o plano econômico de Paulo Guedes.

Haverá ainda uma parte dedicada ao combate à corrupção. “A ideia de Bolsonaro é se apresentar para o eleitor como o único candidato à Presidência que manterá o funcionamento da Operação Lava Jato”.
A equipe de Bolsonaro estuda ainda zerar impostos e complementar a renda dos mais pobres.
O Antagonista