Pular para o conteúdo principal

PV confirma aliança com Rede e Eduardo Jorge deve ser o vice de Marina


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O PV aceitou ser vice da pré-candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, nas eleições 2018. Dirigentes das duas siglas se encontraram nesta quinta-feira, 2, para acertar os detalhes finais. Ainda será feita uma consulta oficial aos diretórios da sigla, mas os verdes já reconhecem que há maioria pela coligação.

Candidato à Presidência em 2014 pelo PV, Eduardo Jorge deve ser indicado para compor chapa com Marina. Apoiador declarado dela, ele foi responsável pela reaproximação das siglas neste ano, depois de oito anos afastados. O ex-deputado federal sempre defendeu “apoio incondicional” na sigla à Rede.
"Não há dúvida de que há uma ampla maioria", disse a secretária de organização do PV, Carla Piranda. A consulta foi feita via grupo de WhatsApp da executiva nacional e Carla estima que cerca de 70% já aceitou o convite da presidenciável.

Confirmado o apoio, o PV trará para a campanha de Marina mais 10 segundo para cada bloco de propaganda eleitoral. Por dia, a chapa PV-Rede terá cerca de meio minuto de tempo de rádio e TV.

Depois da reunião desta manhã, da qual também participou, Eduardo Jorge disse que o apoio estava “bem encaminhado”, mas foi cauteloso. “Tem que esperar o respaldo dos dirigentes”. O convite, contudo, já havia sido aceito. “Se for do entendimento dos dois partidos (que devem compor), como vou dizer não?", completou.

Havia resistência em setores do PV contra a coligação, principalmente por alianças em Estados que já estão formadas com partidos que também têm presidenciáveis. O coordenador da Rede, Bazileu Margarido, esteve na reunião de hoje e admite que não será possível ter palanque para Marina em todas as regiões.

“Tem estados que claramente que não estaremos juntos e estamos buscando soluções. Não é possível estar junto nos 27 estados”, disse Bazileu. As negociações são “uma corrida contra o relógio” para que os dois possam estar juntos na convenção nacional da Rede no sábado, 4. O PV quer fazer a consulta oficial à sua executiva, exigida pela legislação eleitoral, até amanhã para que Eduardo Jorge esteja no palanque de Marina no sábado.

O encontro desta quinta-feira durou cerca de 1h30 e foi o primeiro desde o convite da Rede. Os dirigentes da sigla de Marina, Pedro Ivo Batista e Bazileu Margarido, foram para São Paulo se reunir com o presidente do PV, Jorge Luiz Penna, e Eduardo Jorge. Ex-secretário da gestão do PSDB em São Paulo, Penna integrava a ala do partido que defendia apoio ao presidenciável tucano, Geraldo Alckmin.


Pedro Venceslau
O Estado de S.Paulo

Comentários

Anônimo disse…
https://www.facebook.com/100000310749974/posts/1895272403826433/

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro reage a Boulos: “Vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”

Em sua ‘live’ de domingo no Facebook, Jair Bolsonaro reagiu ao vídeo de um comício feito por Guilherme Boulos na quarta-feira passada, ao lado de Gleisi Hoffmann, em cima de um carro de som no Masp, em São Paulo, no qual o candidato derrotado do PSOL disse que só deixaria passar o feriadão para voltar a fazer mobilizações pelo país e a militância cantou em coro: “Ô Bolsonaro, presta atenção, a sua casa vai virar ocupação”. Boulos afirmou que “o MTST ocupa terreno improdutivo, e a casa do Bolsonaro não me parece uma coisa muito produtiva”. “Você deve ter visto um vídeo de ontem, ou anteontem, do Boulos insuflando uma massa enorme para invadir, ocupar a minha residência. O que você faria se o Boulos e 2 mil pessoas ameaçassem invadir a sua residência? Se eu for o presidente e se o Parlamento assim entender, nós vamos tipificar como terrorismo qualquer invasão de propriedade privada”, disse Bolsonaro.
O Antagonista

Patrícia Pillar critica Regina Duarte por apoio a Bolsonaro

Através de comentário feito na postagem, Patrícia usou várias narrativas esquerdistas para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil.

Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.

A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de “Bolsa Presidiário”, fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ainda traz o questionamento: “Tem certeza que o PT sabe governar?”

Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro.

A ex-mulher de Ciro Gomes (PDT) declarou:


Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que n…

Haddad tenta jogar católicos contra evangélicos

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, participou de uma missa em São Paulo nesta sexta-feira (12). Em entrevista, logo após, o petista atacou Bolsonaro e tentou dividir cristãos. O dia de Nossa Senhora Aparecida foi utilizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar construir a imagem de um Fernando Haddad com bases religiosas. “Eu sou neto de um líder religioso”, respondeu o candidato do PT ao ser chamado de “abortista” por uma cristã após a missa na paróquia Santos Mártires, no Jardim Ângela, em São Paulo.