Pular para o conteúdo principal

Ex-AGU critica campanha difamatória internacional promovida pelo PT


Resultado de imagem para advogado Fábio Medina Osório, ex-AGU

Em artigo publicano no Globo, o advogado Fábio Medina Osório, ex-AGU, alerta para “o discurso de ódio” difundido pelo PT no exterior durante o processo eleitoral de 2018.

“Desde o impeachment da então presidente Dilma Rousseff, a estratégia de muitos militantes políticos e da própria defesa do ex-presidente Lula foi atacar a reputação do país perante a comunidade internacional, como forma de retirar-lhe a legitimidade para o julgamento judicial.

Segundo ele, uma vez consumado o impedimento do condenado pelo TSE, “a campanha internacional prosseguiu, com força crescente”. “Essa campanha selvagem infiltrou-se até mesmo nas instituições de ensino estrangeiras e nacionais.”

Para Medina, esse discurso também fomentou extrema polarização no cenário nacional. “Ponto culminante dessas relações de ódio foi o atentado ao candidato Jair Bolsonaro, perpetrado por um ex-filiado ao PSOL. Se consumado o homicídio, haveria indelével mácula no processo eleitoral. Motivação claramente política do criminoso.”

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Viviane Senna se reúne com Jair Bolsonaro e deverá contribuir com o futuro governo na área da Educação

A irmã do maior ídolo nacional de todos os tempos e presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, visitou ontem o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). O filho do presidenciável Carlos Bolsonaro mostrando a ela um capacete de Ayrton Senna. Ele se emociona após abraçar a irmã do piloto.


Viviane é um dos nomes mais importantes no terceiro setor ligado à educação no País. O instituto que preside faz parcerias com governos para apoiar escolas. Uma das grandes bandeiras atuais é a defesa das chamadas habilidades socioemocionais – como empatia, resolução de problemas e trabalho em equipe. Para Viviane, elas deveriam estar cada vez mais presentes nos currículos.


Viviane e Bolsonaro discutiram desafios da Educação no Brasil. Há rumores de que Viviane Senna pode contribuir para um futuro Ministério de Bolsonaro, virtualmente eleito presidente do Brasil.



‘Jurista’ consultado por jornal contra Bolsonaro já foi preso pela PF por corrupção

“Jurista” consultado pelo jornal Folha de S. Paulo sobre o caso de empresas que teriam comprado envio de mensagens por meio de Whatsapp, Guilherme Salles de Gonçalves é investigado pela Polícia Federal e indiciado pelo Ministério Público na operação Custo Brasil, a 18ª fase da Lava Jato. Foi ele, que é advogado da senadora Gleisi Hoffmann, quem disse ao jornal que Bolsonaro poderia ser cassado. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
O ‘especialista’ é acusado embolsar mais de R$7 milhões entre 2010 e 2015, por meio de esquema corrupto no Ministério do Planejamento.
O dinheiro sujo foi entregue a Guilherme quando Paulo Bernardo, marido de Gleisi, também preso, era ministro do Planejamento.
O Ministério Público Federal acusa o escritório de Gonçalves, que atuou em campanhas de Gleisi, de integrar esquema de ladroagem.
Cláudio Humberto
Diário do Poder