Pular para o conteúdo principal

11 coisas que a mídia não sabia sobre a ministra Damares Alves até agora


A advogada, ativista pró-vida e de tantas outras causas foi anunciada para assumir o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos

Damares01
Nos últimos 20 anos, não houve nenhum parlamentar engajado em algum nível com questões de família, defesa da vida e da infância que não tenha consultado a opinião de Damares Alves sobre algum projeto de lei no Congresso Nacional. Mesmo sem mandato, é fato notório que sua influência lá dentro é grande faz tempo, o que ilustra toda a superficialidade da imprensa ao insistir em chamá-la apenas de “assessora do Magno Malta”. Mais uma vez, isso é coisa de jornalismo preguiçoso – ou algo pior.
Agora que Damares é ministra, naturalmente, todos os produtores de conteúdo político estão vasculhando a internet atrás de informações sobre ela. Eu quero dar minha contribuição com detalhes que – pelo menos até agora – não seriam encontradas no Google.

1) Origem
Damares tem 54 anos, cresceu no Sergipe, mas morou em várias cidades do Nordeste na juventude; de origem humilde, ela é filha de um pastor e de uma dona de casa.

2) Abuso
Quando criança, aos 6 anos de idade, foi abusada sexualmente. A violência foi tão brutal que a tornou incapaz de gerar uma criança em seu útero.

3) Crianças de rua
No final da década de 80, no Sergipe, Damares fundou o comitê estadual do Movimento Nacional Meninas e Meninos, cuja principal função era a proteção de crianças moradoras de rua. Nesse período, por diversas vezes, transformou seu próprio apartamento em lar temporário para essas crianças. Outras vezes, para entender o problema na pele, dormiu nas ruas de Aracaju ao lado delas.

4) Pescadoras
Também  no final da década de 80 atuou na defesa dos direitos  da mulheres  pescadoras e trabalhadoras do campo. Existe ainda hoje, no povoado Siririzinho, na cidade de Siriri, em Sergipe, um centro social que  recebeu, em 1987,  o seu nome: Damares Alves.

5) Adotou uma índia
Damares não tem filhos biológicos mas adotou uma indiazinha que foi salva da prática de infanticídio, comum em algumas tribos do Norte quando há o nascimento de bebês gêmeos ou com qualquer tipo de deficiência. A experiência a motivou a criar o Movimento Atini que busca no Congresso Nacional meios de proteger crianças indígenas que correm o risco de ser sacrificadas.

6) Contra o aborto
Damares foi uma das fundadoras do Movimento Brasil Sem Aborto, a entidade organizada mais influente na defesa dos nascituros no Brasil.

7) Contra a pedofilia
É palestrante reconhecida nacionalmente pelo combate à pedofilia.

8) Contra as drogas
É coordenadora do Movimento Nacional Brasil Sem Drogas.

9) Advoga de graça
Advoga voluntariamente, há 30 anos, para mulheres em situação de vulnerabilidade social e violência doméstica.

10) Flores de Aço
É coordenadora do Instituto Flores de Aço, com sede em Brasília, que milita em defesa dos direitos da mulher.

11) Mais de 300 apoios
Somadas todas as notas, a mera notícia de que seu nome era cotado para o cargo resultou em mais de 300 apoios formais de entidades sociais, profissionais de destaque e políticos.

*****
Curta a fanpage do Blog da Vida no Facebook 
Siga o blogueiro:
 Fonte Blog da Vida

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Viagem em jatinho pode ter tirado Magno Malta do ministério de Bolsonaro

Magno Malta parece ter saído da lista de ministeriáveis após Jair Bolsonaro receber informações de que ele viajou em aeronave sem informar a Justiça Eleitoral. O presidente eleito Jair Bolsonaro decidiu cortar da lista de possíveis ministros o senador Magno Malta (PR-ES) após receber informações de que o aliado fez viagens para aproximar o empresário Eraí Maggi da campanha do PSL. Malta também teria utilizado sua proximidade com Bolsonaro para defender nomes que poderiam compor um eventual governo. Chegou ao conhecimento do futuro chefe de Estado que o empresário Maggi teria colocado à disposição de Malta um jatinho particular para alguns deslocamentos e ainda aberto sua fazenda para encontro com ruralistas. Malta não registrou deslocamentos em jatinhos do empresário nas prestações de conta ao TSE.

Discurso de Rosa Weber criticado por aliados de Bolsonaro

Renova Mídia Os deputados eleitos Joice Hasselmann, Carla Zambelli, Bia Kicis e Luiz Philippe de Orléans e Bragança comentaram o assunto em suas contas no Twitter. Aliados de Jair Bolsonaro criticaram nas redes sociais o discurso da ministra Rosa Weber, do STF, durante a diplomação do presidente eleito no TSE. Alguns parlamentares do PSL próximos de Bolsonaro comentaram o assunto em suas contas no Twitter. Confira abaixo:

EXTRA: Esqueça o triplex e o sítio. Vem ai, a ILHA da FAMÍLIA LULA

O texto de Anna Ramalho, replicado pelo ANTAGONISTA, sugere uma bomba bem maior para a família Lula do que o triplex no Guarujá.



“A colunista social Anna Ramalho acaba de publicar em seu site a seguinte história:

“Uma dupla de decoradores do maior bom gosto – famosíssima no eixo Rio-São Paulo – foi contratada em 2012 para fazer uma casa na Ilha dos Macacos, em Angra, bem na fronteira com a deslumbrante Lagoa Azul. A propriedade foi levantada com casa principal – 8 suítes – e mais três bangalôs duplex. Praticamente uma pousada. Custou entre R$ 3 e 4 milhões, na época, e foi toda custeada por Jonas Suassuna, dono da Editora Gol, e sócio de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, na Gamecorp. Chamou a atenção dos profissionais que o pagamento fosse feito sempre em grana viva, com recibos em nome da Gol Empreendimentos.Suassuna pessoalmente supervisionou toda a obra e seu sócio, Lulinha, esteve várias vezes na Ilha. Numa das ocasiões, em reunião com os arquitetos, foi incisivo: queria mármore …