Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2019

Justiça nega pedido de deputados presos para tomarem posse na Alerj

Os pedidos foram feitos pelos deputados Luiz Martins, Marcos Abrahão e Chiquinho da Mangueira, presos na operação Furna da Onça. Os pedidos dos deputados estaduais reeleitos, presos pela Operação Furna da Onça, para tomarem posse na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), foram negados pela Justiça Federal. As requisições de saída temporária foram realizados por Luiz Martins (PDT), Marcos Abrahão (Avante) e Chiquinho da Mangueira (PSC), e indeferidos pelo juiz federal Gustavo Arruda, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), substitui Abel Gomes, relator do processo da Operação Furna da Onça, que prendeu os parlamentares, informa “O Dia“. O juiz ressalta que aceitar o pedido dos parlamentares para a posse vai contra toda a investigação que os levaram a serem presos, durante o cumprimento dos seus mandatos. Na sentença, o magistrado afirmou: “A vinculação dos imputados atos de corrupção com a função de deputado estadual é incontornável pela sua só descrição, tanto assim que vá…

Em áudio interceptado, Calheiros comemora vitória de Dilma com Joesley

O jornal “Folha de S.Paulo” teve acesso a áudios de 2014 que mostram Renan Calheiros, então presidente do Senado, conversando com Joesley Batista para discutir uma nomeação para o Ministério da Agricultura. Interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal (PF) revelam o então presidente do Senado, Renan Calheiros, procurando o empresário Joesley Batista para discutir uma nomeação para o Ministério da Agricultura, pasta de alto interesse para os negócios da JBS. Os áudios são de interceptações telefônicas feitas pela PF, cujo alvo era Ricardo Saud, então diretor de relações institucionais da JBS, que fazia a intermediação com o Congresso. Em um dos telefonemas, Renan e Joesley comemoram juntos a vitória de Dilma Rousseff na eleição de 2014. Em outro, o senador sugere o nome de seu ex-chefe de gabinete Vinícius Lages para ser secretário-executivo da Agricultura. Em 2017, Joesley e Wesley Batista e mais cinco executivos da JBS afirmaram ter pagado milhões a deputados e senadores e…

Beto Richa foi transferido para a prisão da Lava Jato

O ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), foi transferido nesta quinta-feira (31) para o Complexo Médico Penal de Pinhais, a prisão da Lava Jato, nos arredores de Curitiba. Preso na última sexta-feira (25), na Operação Integração, desdobramento da Lava Jato, o tucano Beto Richa estava em um quartel da Polícia Militar de Curitiba. Por ordem do juiz Paulo Sérgio Ribeiro, da 23.ª Vara Federal, ele foi removido para Pinhais, informa o “Estadão“. O Complexo Médico Penal ficou afamado como a prisão da Lava Jato desde março de 2014, quando a maior operação contra a corrupção no país foi desencadeada. Por ordem do então juiz Sergio Moro — agora Ministro da Justiça e Segurança Pública — doleiros, empreiteiros e políticos sob investigação e condenados foram levados para Pinhais.

Infanticídio indígena não ocorre ‘só com recém-nascidos’

Tradição indígena faz pais tirarem a vida de crianças com deficiência física. A prática acontece em pelos menos 13 etnias indígenas do Brasil. Você acha certo matar crianças por causa de deficiência física? Muitas tribos indígenas do Brasil entendem que sim. A prática acontece em pelos menos 13 etnias indígenas brasileiras, principalmente nas tribos isoladas, como os suruwahas, ianomâmis e kamaiurás, informa uma matéria do “Fantástico” de 2014. Crianças com deficiência física, gêmeos, filho de mãe solteira ou fruto de adultério podem ser vistos como amaldiçoados dependendo da tribo e acabam sendo envenenados, enterrados ou abandonados na selva. O pesquisador Júlio Jacobo, da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, confirmou que após começar a “pesquisar efetivamente as certidões de óbito”, viu que muitas registravam “crianças de cor ou raça indígena, de 0 a 6 dias de idade”. A trágica história de Pituko Waiãpi Nascido há 37 anos numa aldeia waiapi, localizada no interior do A…

Guaidó diz que capangas de Maduro invadiram sua casa

A ditadura Maduro parece cada vez mais pressionada. Guaidó segue vivendo em Caracas cercado por forças de segurança chavistas. O presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, denunciou nesta quinta-feira (31) pelo Twitter a invasão de sua residência por agentes da ditadura de Nicolás Maduro. “Neste momento a FAES está em meu domicílio, em minha casa familiar”, disse o líder opositor. Os agentes da Força de Ação Especial da Polícia Nacional Bolivariana (FAES) fazem parte de um dos braços mais temidos do regime chavista. Juan Guaidó ✔@jguaido En este momento el FAES está en mi domicilio, en mi casa familiar. Hago responsable al ciudadano Nicolás Maduro, por la integridad de mi h