Pular para o conteúdo principal

Não é fake! Lindbergh defende Bolsonaro e alerta para golpe



Em vídeo, petista convocou esquerda a não apoiar retirada de Bolsonaro do poder


Pleno.News - 

Lindbergh Farias disse que esquerda não pode apoiar golpe contra Bolsonaro Foto: Reprodução
Quem diria! O ex-senador Lindbergh Farias (PT-RJ) publicou um vídeo nesta quinta-feira (23) alertando para o que chamou de “golpe contra Bolsonaro”. Apesar de dizer que não sabe “quem vai dar o golpe”, Lindbergh citou dois possíveis conspiradores.

– Primeiro, Bolsonaro chama um ato para o dia 26. O ato é chamado de “contra o sistema”. Falam contra a Câmara dos Deputados, contra o Senado, contra o Supremo Tribunal Federal, contra todas as instituições. Não é preciso ser muito esperto para saber que eles falam em fechamento de regime, em caminhar em direção à ditadura – afirmou o ex-senador.

No entanto, ele chamou a atenção para um segundo movimento, que seria “mais forte”.

– Um golpe irresponsável de elites, que acham que podem trocar a qualquer momento de presidente da República. Eles estão preocupados com uma agenda econômica ultraliberal, que só vai favorecer os bancos. Eles [elites] querem tirar Bolsonaro e manter uma aliança com militares, tendo Mourão como presidente, com Moro e Paulo Guedes – disse no vídeo.


Neste momento, o petista convoca a esquerda a não apoiar este movimento que surgiu.

– A única coisa que nós da esquerda e dos movimentos populares não podemos fazer é endossar essa tese do afastamento do Bolsonaro para a entrada do Mourão – ressaltou.

O ex-senador então explica as razões que os “golpistas” teriam para querer tirar Bolsonaro do poder.

– O Bolsonaro é tão inepto que eles estão tendo dificuldade de aprovar a reforma da Previdência. Então eles querem limpar o campo para seguir nessa agenda. O Mourão defendeu a vida inteira a ditadura militar. Era ligado à ala mais dura das Força Armadas, do general Silvio Frota. Entrando no poder, quem disse que ele não pode lá na frente fechar o regime e dar um novo golpe? – questionou.

Lindbergh então dá a solução para o que seria o cenário ideal no caso do afastamento de Bolsonaro.

– Se o Bolsonaro sair, tem que sair todos eles: Bolsonaro, Mourão, Moro e Guedes. E chama o povo para um processo de eleição democrática. Só o povo pode resgatar a legitimidade de um processo tão traumático como esse que estamos vivendo – declarou.

Comentários

Unknown disse…
Pqp, ainda perdi 5 minutos pra ler o que este asno postou....

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…