Pular para o conteúdo principal

Protestos pela Educação se transformam em atos a favor de Lula Livre

Protestos pela Educação se transformam em atos a favor de Lula Livre


As manifestações desta quarta-feira (15) contra o bloqueio de verbas da Educação não são muito diferentes dos protestos #EleNão durante o período eleitoral de 2018.


Pelo menos 75 das 102 universidades e institutos federais do Brasil convocaram, para esta quarta-feira (15), protestos em resposta ao contingenciamento das verbas da educação promovido pelo ministro Abraham Weintraub.
Segundo o InfoMoney, para Manoel Fernandes, diretor da Bites, consultoria especializada no monitoramento de plataformas digitais, o tema segue mobilizando uma faixa muito específica da sociedade e ainda não conseguiu avançar significativamente para além de alas contrárias ao governo Jair Bolsonaro.
Imagens circulando nas redes sociais mostram que os participantes dos protestos estão mais preocupados em libertar o condenado Lula da Silva (PT) do que de fato com a Educação brasileira.
Em Dallas, nos Estados Unidossegundo a RENOVA, o presidente Bolsonaro classificou a maior parte dos participantes dos protestos como “idiotas úteis”:
“São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil.”
Uma análise rápida das manifestações de hoje confirma que a cor predominante é o vermelho. Bandeiras de movimentos sociais e de sindicatos são vistas com frequências.
Exatamente da mesma forma que ocorreu durante os protestos do #EleNão, a blogosfera petista está fazendo uma cobertura intensa dos atos desta quarta.

O vídeo abaixo — propagado pela Mídia Ninja — de uma manifestação em Salvador, capital da Bahia, deixa tudo muito claro:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné Equatorial e Congo não investirão mais no Brasil se Bolsonaro for eleito.

Bolsonaro já disse, não tem acordo com a esquerda, países como, Cuba, Venezuela, Bolívia, Angola, Guiné equatorial, Congo e entre outros, não levarão nenhum centavo do povo brasileiro.

O Paí já colocou R$ 42 Bilhões na Ilha que ficou mais conhecida como Ilha de Fidel. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.
Uma risonha presidente Dilma Rousseff inaugurou, ao do ditador cubano Raúl Castro, a primeira fase do Porto de Mariel, em Havana.

 Na época a presença de Dilma se devai a uma razão principal : a conta foi paga por ela- na verddae, por todos os brasieliros. O Mariel custou US$ 957 milhões de dólares, dos quais US4 802 milhões vieram de financiamento concedido pelo banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

 O montante equivale a 2 bilhões. Dinheiro que poderia modernizar nossos aeroportos, portos e rodovias.

Istoé notícia-Jornal 21 Brasil

TSE suspende propaganda do PT que associa Bolsonaro à tortura

Luis Felipe Salomão, do TSE, suspendeu a propaganda eleitoral em que a coligação petista associa Jair Bolsonaro à ditadura e à tortura.

O ministro atendeu o pedido da defesa de Bolsonaro, que alegou que o programa veiculado viola a lei eleitoral, “uma vez que incute medo na população ao sugerir que se o candidato Jair Bolsonaro for eleito vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos”.

“O tribunal tem feito um esforço no sentido de elevar o nível do debate para se evitar a disseminação desse clima de pânico que estão criando”, disse o advogado de Bolsonaro, Tiago Ayres, a O Antagonista.

Dilma e Gleisi vão a Cuba 'denunciar' situação de Lula no Foro de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff e a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, viajam na semana que vem para Cuba para participar do encontro anual do Foro de São Paulo, que congrega partidos políticos e organizações de esquerda da América Latina. Ali, as duas pretendem "fazer uma denúncia" sobre a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que os petistas classificam como "prisão política".


"Eu vou agora para o Foro de São Paulo fazer uma denúncia também. Dilma vai, resolvemos ir para fazer a denúncia do que está acontecendo", disse Gleisi ao Valor PRO. "Nós vamos ter todos os partidos de esquerda e centro-esquerda da América Latina reunidos lá, autoridades. E nós vamos para denúncia internacional." O encontro ocorre em Havana entre o domingo, 15 de julho, e a terça, 17. No site da entidade, já há destaques para a prisão do ex-presidente, como um "Mapa de Mobilização Mundial Lula Livre" e manifestações de políticos e entidades…