Pular para o conteúdo principal

Não existe qualquer atrito com Moro, diz Bolsonaro


Porta-voz diz que Bolsonaro e Moro tem relação de ‘confiança’
Imagem: Reprodução/Facebook

“Não existe qualquer atrito entre eu e Moro, eu e Guedes, e qualquer outro ministro”, enfatizou Bolsonaro.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta sexta-feira (24), que alguns secretários estaduais de Segurança podem estar buscando enfraquecer o governo.
“Não existe qualquer atrito entre eu e Moro”, disse Bolsonaro horas atrás.
O comentário do chefe do Executivo foi feito em breve conversa com a imprensa após pousar em Nova Déli, capital da Índia.
Nas últimas horas, Bolsonaro foi alvo de duros ataques de políticos e da imprensa brasileira por supostamente buscar a recriação do Ministério da Segurança Pública, o que afetaria diretamente a influência do ministro da Justiça, Sergio Moro, em seu governo.
A ex-líder do Governo no Congresso Nacional, deputada Joice Hasselmann, não perdeu a oportunidade para colocar lenha na fogueira.
“Para um presidente inseguro, a popularidade do nosso super ministro representa uma ameaça. É triste, mas só não vê quem não quer”, disse Joice, como noticiou a RENOVA.
No entanto, segundo o portal G1, o presidente ressaltou que a ideia não foi dele, e que não há desgaste entre ele e Moro:
“Essa questão de novo, dos secretários, alguns, não são todos, querendo a divisão. Alguns podem estar bem intencionados e outros podem querer enfraquecer o governo. Não existe qualquer atrito entre eu e Moro, eu e [Paulo] Guedes [ministro da Economia], e qualquer outro ministro.”
Bolsonaro também descartou qualquer iniciativa para recriar a pasta da Segurança Pública. “A minha máxima é: em time que está ganhando não se mexe”, disse o presidente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mangueira critica líderes cristãos e alfineta Bolsonaro Enredo da escola de samba se propôs a falar sobre a vida de Jesus

Ana Luiza Menezes - 24/02/2020 01h52


Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução
Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução
Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução
Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução
Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução
Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução
1 de 6

Na noite desde domingo (23), a Mangueira apresentou um desfile sobre a vida de Jesus. Além do enredo, intitulado A Verdade Vos Fará Livre, o grupo levou para a avenida várias pessoas, que interpretaram Cristo.


A rainha de bateria da escola, Evelyn Bastos, foi uma das intérpretes de Jesus, bem como o ator Humberto Carrão. O pastor Henrique Vieira esteve na avenida como Cristo em situação de rua.

A Comissão de Frente da Mangueira apresentou uma versão contemporânea de Jesus, na qual ele também foi exibido como morador…

Juninho Pernambucano Chama Moro De “Canalha, Traidor Da Pátria”

“Esse canalha traidor da pátria pagará por tudo isso, não tem jeito e ele sabe. Pode demorar, mas traidores não escapam”, afirmou o ex-jogador Juninho Pernambucano sobre o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro O ex-jogador Juninho Pernambucano bateu pesado no ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, para quem “a resposta às críticas injustas da imprensa ou das redes sociais não pode jamais ser a censura ou o controle da palavra”. Complementado um tweet do líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (RS), Juninho escreveu: “Paulo, esse canalha traidor da pátria, pagará por tudo isso, não tem jeito e ele sabe. Pode demorar, mas traidores não escapam. E sabemos quem o faz ter tanta confiança pra passar por cima de tudo, quem o segura, protege e torna suas mentiras, parte da lei. O mundo sabe”.
Para Juninho Pernambucano Moro é traidor por prender o maior ladrão da pátria.  Só no Brasil mesmo. Petista e asno são iguais.

Maitê Proença sai na defesa de Regina Duarte e diz que ela ‘não é perversa nem cínica, nem nazista’

Segundo a atriz, Regina tem admiradores de várias ideologias




Em conversa com a coluna de Sonia Racy, do site O Antagonista, a atriz Maitê Proença defendeu a indicação da também atriz Regina Duarte para a liderança da Secretaria da Cultura pelo presidente da República Jair Bolsonaro.

“Regina não é perversa nem cínica, nem nazista. Dentro do cenário que vivemos, ela é a melhor das possibilidades”, afirmou a atriz, proclamando seu respeito por Regina, que aceitou hoje (20) o convite feito por Bolsonaro para o comando da pasta já citada, ocupando o lugar que antes era de Roberto Alvin, exonerado por conta de um vídeo onde fazia referências a um discurso realmente de origem nazista.

Maitê acrescentou ainda que Regina Duarte “trabalha desde a adolescência e conhece muita gente no meio. Ela tem admiradores de todas as ideologias”, reforçando a competência e a imparcialidade da global escolhida pelo presidente para coordenar a pauta da cultura no país.
continua após a publicidade