Pular para o conteúdo principal

Camilo Santana, governador do Ceará, está vendendo Fortaleza para a China, revela deputado (veja o vídeo)


O deputado afirmou que o Consórcio Nordeste é um governo paralelo criado no início de 2019, para prejudicar a gestão Bolsonaro.

“O Consórcio Nordeste foi criado em 2019 para ser um governo paralelo. Um governo socialista e comunista, totalmente de esquerda. Infelizmente aqui no Nordeste a gente vê, a grande maioria é PT, 100% de esquerda e o Consórcio foi feito justamente para ser uma contrapartida ao governo Bolsonaro. O governo Bolsonaro foi eleito legitimamente, com voto popular e os governos que também foram eleitos, só não consigo entender como – há algumas explicações através de estrutura partidária, estrutura financeira da máquina pública... Eles vieram para se contrapor ao governo Bolsonaro. Tudo o que o governo fala, eles fazem ao contrário”, criticou o deputado.

André Fernandes questionou a demora do Ministério Público, para a apuração da compra dos respiradores que custaram R$ 160 mil a unidade. Foram comprados 300 respiradores, por meio do Consórcio Nordeste, totalizando R$ 48 milhões e nenhum aparelho foi entregue.

De acordo com André Fernandes, Sarto, o candidato dos Ferreira Gomes para a prefeitura de Fortaleza, teve apoio das facções criminosas.

“Quem não conhece o Ceará, acha que isso é coisa de outro mundo. Existiam dois candidatos em Fortaleza, fortes, que se chamavam: Capitão Vagner, que inclusive teve o apoio do presidente Bolsonaro, e José Sarto, até então, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, cria dos Ferreiras Gomes. Esses dois estavam na disputa ainda no primeiro turno. Nas periferias de Fortaleza eles, os criminosos, diziam: ‘Aqui dentro, todo mundo vai ter que votar em Sarto’; ‘Aqui dentro, quem andar com adesivo de Capitão Wagner, nós vamos matar’. Chegou a ser tão absurdo que teve traficante andando em carro de som, dizendo que todo mundo na periferia tinha que votar em Sarto. Quando Sarto venceu as eleições, no segundo turno, o primeiro vídeo que viralizou, inclusive está lá nas minhas redes sociais, é dos bandidos dizendo: ‘É nóis, é Sarto. Tamo junto’, e falando o nome da sigla, soltando fogos de artifício. O crime comemorando”, detonou o parlamentar.

De acordo com Andre Fernandes, três meses antes das eleições, 29 chefes de facções criminosas saíram dos presídios federais e foram para o Ceará. Eles fizeram isso porque o governador não quis dar uma canetada para que eles ficassem em presídio federal.

“As mesmas facções, que eram chefiadas por esses que saíram do presídio federal três meses antes, estavam apoiando o candidato do governador”, explica o deputado.

Pastor preso

Fernandes disse que pastores foram presos, durante a pandemia, porque estavam distribuindo cestas básicas para as pessoas que passavam necessidade.

Ligação com o Partido Comunista Chinês

O deputado afirmou que Ciro Gomes foi financiado pelo Partido Comunista Chinês e denunciou que o governador, Camilo Santana, está vendendo Fortaleza para China.

“O governador e prefeito do Ceará querem comprar diretamente a vacina da China. Ou seja, esquecer o governo federal, esquecer a norma, esquecer a eficácia e comprar diretamente. Ciro Gomes foi financiado pelo Partido Comunista Chinês, isso é nítido. O Governo do Estado do Ceara está literalmente entregando o povo cearense para a China. No ano retrasado, 2019, o governador Camilo Santana foi para China, posou numa foto lá e disse que estava querendo trazer soluções para a Segurança Pública do Estado do Ceará, ele foi ver câmeras de vídeomonitoramento. Aquelas câmeras com reconhecimento facial. Todos os requisitos desta licitação se destinavam a uma só empresa: a empresa chinesa que Camilo Santana tinha ido visitar no ano anterior”, revelou.

A entrevista do deputado está imperdível, confira!

ATENÇÃO! Agora você tem a opção de assinatura do JCO com boleto!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vital Farias divulga que caixões enterrados em Manaus estão vazios

O cantor e compositor paraibano Vital Farias usou seu perfil no Facebook para divulgar uma informação a respeito do colapso funerário registrado no Amazonas por causa da pandemia de Coronavírus. O autor de “Saga da Amazônia”, um clássico da MPB, é parte do movimento negacionista que surgiu nas redes sociais propagado por simpatizantes do presidente Jair Bolsonaro. Para eles, as fotos e vídeos de uma vala coletiva onde vítimas do Covid-19 foram enterrados seriam apenas uma manipulação e não retratariam a realidade da capital do Amazonas. O número de mortos por coronavírus em Manaus, capital do Amazonas, tem feito a prefeitura abrir valas comuns em cemitérios para enterrar as vítimas fatais da infecção. Na cidade, há covas coletivas destinadas a até 10 pessoas. O mais recente boletim epidemiológico do Ministério da Saúde aponta que, em todo o estado, já foram contabilizadas 193 baixas ocasionadas pela doença. O índice de letalidade, que é de 8,5%, está cerca de dois pontos per

Mangueira critica líderes cristãos e alfineta Bolsonaro Enredo da escola de samba se propôs a falar sobre a vida de Jesus

Ana Luiza Menezes - 24/02/2020 01h52 Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução Mangueira desrespeita fé cristã em desfile de carnaval / Foto: Reprodução 1 de 6 Na noite desde domingo (23), a Mangueira apresentou um desfile sobre a vida de Jesus. Além do enredo, intitulado A Verdade Vos Fará Livre, o grupo levou para a avenida várias pessoas, que interpretaram Cristo. A rainha de bateria da escola, Evelyn Bastos, foi uma das intérpretes de Jesus, bem como o ator Humberto Carrão. O pastor Henrique Vieira esteve na avenida como Cristo em situação de rua. A Comissão de Frente da Mangueira apresentou uma versão contemporânea de Jesus, na qual ele também foi exibido com

Policial diz estar sendo ameaçado após denunciar coronel da PM do Rio

 RENOVA Mídia Imagem: Reprodução/Twitter “Acabo de ser informado que não tenho mais porte de armas, estou no processo de expulsão da PM”, disse Monteiro. Gabriel Monteiro, youtuber e soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro, afirmou, nesta quinta-feira (5), que perdeu o porte de armas e corre sérios riscos de ser expulso da corporação. Os motivos da retaliação, segundo ele, foram as denúncias em suas redes sociais contra coronéis do alto escalão da PM. Em vídeo publicado no YouTube, o soldado declarou: “Pode ser meu último vídeo, e decidi fazer enfrentando ainda mais os Coronéis que desonram a sociedade. Se conseguirão me matar, talvez, mas nunca tocarão na minha dignidade.” Monteiro também divulgou um boletim em que consta uma sindicância aberta contra ele, na Corregedoria da PM do Rio, por transgressão disciplinar de natureza grave. A justificativa usada contra Gabriel é de que ele teria tratado o coronel reformado da PM, Ibis Pereira, de forma desrespeito