Subscribe:

28 de agosto de 2011

O Mundo Pertence a Deus e Não ao Diabo!





"Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno".
1 João 5:19



Na mão do maligno o mundo padece. Na mão do maligno a sociedade se perverte.

Essa afirmação de João é corroborada pela explanação que Jesus fez a Pedro: "Satanás o pediu para moer como trigo". Lucas 22.31

Qualquer ser pensante consegue olhar ao redor e perceber o péssimo trabalho que nós, seres humanos, executamos sobre a face da terra. O maligno na maioria das vezes não precisa fazer grandes esforços para instalar o caos, ele apenas incita o que há de ruim em nossa herança adâmica. O homem caminha ignorando Deus e com isso Satanás fica mais à vontade na Terra.

Porém, é preciso ressaltar que o mundo não o pertence. Toda criação pertence ao seu Criador. Logo, cabe ao ser humano reduzir o espaço de atuação do mal. Nós cristãos somos chamados para anunciar um Reino de Paz, Justiça e Amor, somos embaixadores de Cristo (que moral hein?). Conforme o Reino de Cristo avança, o reino das trevas recua, foi isso que Cristo quis dizer quando afirmou que as portas do inferno não prevaleceriam contra a igreja.

Contudo, muitos interpretam esse versículo de forma contrária. Visualizam uma igreja de portas fechadas e o inferno tentando adentra-la e, morrendo de medo, gritam: "Aí Gizus, o senhor disse que as portas do inferno não prevaleceriam, nos acode!!"

A mensagem é o inverso. São as portas das trevas que não suportam um Evangelho anunciado e corroborado em atitudes por seus embaixadores. Devemos romper os arraiais de nossos templos, da nossa pseudo cultura santa e intimar um recuo das trevas. Devemos estar onde o mundo sofre, onde o mundo está equivocado com seus valores e anunciar o evangelho.

Outro dia em um debate com um "irmão" sobre música secular, fui lançado na inquisição de sua ignorância quando eu disse que estava ansioso para assistir algumas bandas que tocariam no Rock in Rio. O super crente deferiu sua “exejegue”: O mundo jáz do Maligno! Insinuando que o mundo é propriedade do Capiroto. E mais, afirmou que se orgulha de não conhecer bandas que não sejam gospels!

Graças a Deus não era ele que estava no Areópago e sim Paulo, se não ele iria rachar a nossa cara! Já pensou? Batendo no peito e dizendo: Não conheço Sócrates e nem Platão e tenho muito orgulho disso!
Já que citei Sócrates - mode deboche on! (Quem ler entenda)

Desde quando jazer significa pertencer?

Esse povo não se dá nem o trabalho de pegar um dicionário antes fazer suas severas afirmações!

Vamos elucidar (desenhar) a questão. Veja alguns dos significados no dicionário Português On line.


v.i. Estar deitado: o doente jazia na cama.

Estar estendido, imóvel, prostrado, morto: jazer no sepulcro.

Estar situado: o porto jaz distante.

Aqui jaz, aqui descansa (expressão usada como epitáfio).

O pior é que tem um monte de gente (acho que a maioria dos crentes) lendo uma coisa que não esta escrita! João afirma que o mundo está doente no maligno, padece em suas mãos. Isso não tem haver com o diabo ser o dono do mundo! Satanás não é dono nem do inferno! Quem dirá do planeta! Como que o mundo pertence a Satanás se na carta aos Romanos Paulo afirma que não há desculpa para os homens não crerem em Deus já que, toda a criação testifica a existência de Deus? Que soberania divina é essa que não consegue controlar os dons, talentos, acidentes e incidentes, alegrias e tristezas? Que Deus ilimitado é esse que só tem parte, propriedade, no universo gospel?

Desda Antiga Aliança que é a mesma história, o povo continua padecendo por falta de conhecimento.

E assim, milhares de pessoas seguem alienadas uma religiosidade castradora e limitadora. Vitimas de líderes que alimentam o povo com uma comida adulterada. Vitimas de suas preguiças e comodismo, pois, não conferem a Verdade como ela é e permanecem escravos do pecado, agora translocados na religião.

Bom é sermos livres em Cristo e completamente satisfeitos n'Ele. Com essa consciência, somos livres para admirar as bandas do Rock in Rio sem depositar nelas, ou no evento em si, as nossas esperanças.

Só lamento pelo essênios do século XXI que se privaram de contemplar o talento de Deus derramado sobre suas criaturas. O show foi muito bom! Nesse fim de semana tem mais!

Abraços fraternos!
Red Hot Chili Peppers no Rock in Rio 2011*

* No dia 24, dia do show, seria o aniversário de 20 anos de Rafael Mascarenhas, filho de Cissa Guimarães, morto em um atropelamento no ano passado.

Rafael era um grande fã do Red Hot e afirmava que quando a banda viesse ao Brasil ele assistiria de qualquer maneira. Cissa, com a ajuda de Dinho Ouro Preto do Capital Inicial entraram em contato com a banda contanto a história e pedindo a homenagem com as camisas. Os caras toparam na hora.
Ficou lindo! Show de humildade e sensibilidade das Ardidas Pimentas.

26 de agosto de 2011

Calça rasgada de pastor


Duas esposas de pastor estavam sentadas, uma ao lado da outra, remendando as calças de seus maridos.
Uma delas falou à amiga: “Pobre do João, ele está muito desencorajado no trabalho da igreja. Há alguns dias ele falou até em renunciar e entregar seu cargo. Parece que nada vai bem e tudo dá errado para ele.”
A outra respondeu: “Lamento por vocês. O meu marido tem dito exatamente o contrário. Tem sentido cada dia mais intimidade com Deus, como nunca havia experimentado antes.”
Um pesado silêncio atingiu aquelas duas mulheres, que continuaram com os remendos, mas sem trocar mais nenhuma palavra.
Uma delas estava remendando os joelhos da calça de seu marido e a outra, a parte traseira.
Resumindo: A primeira esposa lamentava as queixas do João, enquanto remendava os rasgos feitos de tanto ele ficar sentado.
Já a outra esposa, consertava os furos dos joelhos da calça, devido a tantas horas em oração do seu marido.

Bom final de semana a todos. Paz!

Ana, minha filha, eu vou te levar para trabalhar no circo!

Ana, minha filha, eu vou te levar para trabalhar no circo! - sempre brinquei com isso desde que Ana Lissa começou a fazer suas “coisinhas engraçadas”. Ela vira o polegar totalmente para trás, vira o dedo mindinho mais que 90 graus para trás, ela pega o pé e passa por trás do corpo e da cabeça e brinca, nessa posição, de roer a unha. “Aninha, vamos treinar aquele número da palhacinha que entra dentro da caixa e fica parecendo um boneco de pano, toda dobradinha na pequenina caixa, vamos?”, ríamos dizendo isso para ela, porque ela sempre foi bem "molezinha". Ana é a nossa primogênita: a nossa linda bonequinha de pano!

Mas, um dia, Ana Lissa caiu! Até aí tudo bem, mas, depois, ela caiu de novo e, quando isso aconteceu, ela reclamou do joelho, dizendo que sentia que ele tinha saído do lugar. Bem, o joelho dela, desde cedo, sempre foi outro show à parte. Ela senta na cama com as pernas esticadas e, pasmem, aquela rótula dela saía do lugar e quase ia parar do outro lado da perna. A gente pegava naquela rotulazinha (que hoje chamam de patela) e, que agonia! - aquilo ficava solto, solto, soltinho na nossa mão. “Lu, será que isso é normal?”, eu perguntava arregalando os olhos. Não, não era normal. Nem a história do joelho e nem as outras demais, mas só demos por conta quando ela caiu.

Como moramos numa cidadezinha pequenininha, demos um pulo até uma cidadezinha um pouco maior para vermos a razão possível dessas quedas. O médico olhou, mexeu, tirou a chapa, viu, avaliou e sentenciou: “Caros pais, é um caso típico de hipermobilidade articular ou elasticidade corporal”, disse-nos com cara de quem descobre a resposta de algum mistério até agora indecifrável. “Mas, Doutor, é grave?!”, assustamo-nos. Diante disso, ele desfez o tom de Sherlock Holmes e riu. Grave não era, mas teríamos que ficar de olho, porque não adianta qualquer cirurgia agora, pois Aninha ainda vai crescer e muita coisa pode mudar. Haverá pequenas limitações e cuidados com as aulas de Educação Física e outros detalhezinhos a mais. Entretanto, o sonho de levar Aninha para trabalhar no circo... É, acho que meu cérebro sofre de hipermobilidade imaginativa (rsrsrs).

Sim, eu também tenho essas esquisitices, mas, até agora, pensava que eram apenas umas baboseiras que eu fazia para entreter crianças em festinhas de amigos e parentes, como, por exemplo, passar o meu braço por trás do pescoço e dar uma coçadinha no mamilo. "Tudo isso" sem precisar abaixar a cabeça ou me esforçar durante esse pequeno espetáculo de bizarrices em encontros familiares (sim, faço igualzinho esse cara aí do lado!). Bem, pelo sim ou pelo não, também descobri a reportagem abaixo e gostaria de compartilhá-la com todos vocês. Há algumas informações médicas interessantes para a família sobre a hipermobilidade articular. E pode ser que haja alguém assim na sua família. Assim, desse jeitinho mesmo, igualzinho a mim... ou ao cara dessa foto aí do lado (rsrsrsrs).

Escrevo tudo isso, pois descobri que a hipermobilidade articular é genética e atinge 30% da população brasileira e pode causar tendinite, desvio na coluna vertebral e nos joelhos e até incontinência urinária (uau!). Por isso, assista e se informe. Abraços sempre afetuosos. Casal 20.

25 de agosto de 2011

Cantor ou Adorador? Quem é você?



“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” (João 4:23 RC)




Vi no Anderson

24 de agosto de 2011

Conversões Abortivas: Culpa Nossa ou de Satanás? Parte 1




O evangelismo não é uma lavagem cerebral


Por John White

A primeira vez que vi a “lavagem cerebral” evangelística foi na Inglaterra, em 1945. Eu havia recebido a tarefa de ajudar uma jovem que “viera à frente” na noite anterior, mas que acordara no dia seguinte reconhecendo haver caído em uma armadilha que a levara a tomar uma decisão apressada. Sua angústia e confusão perturbaram-me profundamente.

Alguém poderia argumentar que a conversão da jovem foi genuína e que sua reação subseqüente foi inspirada por Satanás. Lembro-me de que naquela ocasião adotei esta opinião. Agora, porém, estou mais inclinado a pensar que sua conversão foi psicológica e não espiritual.

Deixe-me definir meus termos.

Em certo sentido, toda conversão é psicológica. Toda conversão inclui uma decisão e uma mudança de perspectiva. Ora, decisão e mudança de perspectiva são fenômenos psicológicos. Mas, enquanto as alterações emocionais de uma conversão espiritual resultam da ação de Deus, em uma conversão puramente psicológica tais alterações resultam de uma técnica empregada ou de uma pressão emocional. Não representam um milagre da graça.

Esta distinção começou a resplandecer em minha mente quando ouvi falar sobre as técnicas de “doutrinamento” usadas pelos comunistas chineses, logo depois da revolução na China. Eles organizavam grandes concentrações com testemunhos pessoais, coros, oradores “dinâmicos”, apelos e obreiros pessoais — tudo comunista. Imitação fraudulenta do diabo? Não exatamente. Pelo contrário, era a maneira chinesa de empregar, aberta e deliberadamente, as técnicas que alguns evangelistas (talvez de modo inconsciente) usam para obter convertidos.

Nossas mentes estão sujeitas a determinadas leis e, em grau limitado, estão abertas a manipulações. Se, em uma multidão numerosa, me fizerem rir e, depois, chorar; e, em seguida, rir e chorar novamente; e se, em adição a isso, repetirem certas frases com insistência e, alternadamente, me falarem e me consolarem, a minha mente, se eu não estiver vigilante, se tornará cada vez mais flexível nas mãos daqueles que assim agem para comigo.

Poderei chegar a um ponto em que farão comigo o que desejarem. Meu juízo perde a sua sensibilidade, minha consciência se inflama, minhas emoções fazem tudo parecer diferente. Se, em tal condição, eu tomar a decisão que desejarem que eu tome, não importando qual seja esta “decisão”, provavelmente experimentarei alívio, alegria e paz. Este é um fenômeno psicológico bem conhecido. As suas técnicas também são bastante conhecidas. Ainda que eu permaneça alerta, talvez seja difícil resistir, pelo menos temporariamente.

A conversão espiritual autêntica é muito mais profunda. Possui uma dimensão imaterial, não-psicológica. É acompanhada por uma alegria e uma paz mais do que temporária. A conversão autêntica dá lugar à mansidão, à fome e sede de justiça, à humildade de espírito e a todos os frutos da justiça.

Se você é um pregador do evangelho, compete-lhe saber o que está fazendo. Tenha cuidado para não utilizar suas habilidades como pregador na realização de psicoterapia coletiva. Lembre-se de que está colaborando com o Espírito Santo. Você deve ter cautela em almejar grandes números de conversões, para que não tente realizar a obra que compete ao Espírito Santo. Seu trabalho, como pregador, consiste em explicar a Palavra de Deus, mostrando como ela se aplica. A obra do Espírito Santo consiste em fazer a Palavra arraigar-se na consciência do homem, a fim de que este permaneça sob o efeito da convicção. Portanto, não brinque com a consciência do pecador, relatando-lhe histórias espantosas. Permita que o Espírito Santo realize a convicção e desperte o temor. As histórias servem para esclarecer pontos obscuros da mensagem, não para produzir calafrios na congregação.

Isto significa que todas as técnicas de evangelismo estão erradas?

Não, não penso assim. É impossível fazer qualquer coisa sem alguma técnica. Precisamos de técnicas para comunicar a verdade com clareza. Prefiro dizer que as técnicas se tornam imorais quando, consciente ou inconscientemente, nós as utilizamos para manusear a vontade, as emoções ou a consciência de outrem; quando adquirem maior importância, em nossos pensamentos, do que o Espírito de Deus; quando os resultados se tornam mais importantes do que as pessoas.
Emoções falsas

Não sou contra as emoções na pregação, e sim contra o emocionalismo. Não me declaro contrário à persuasão fervorosa, e sim contra os truques utilizados para levar um homem a mudar de opinião. Paulo pleiteava com homens e mulheres, chorando enquanto os exortava. Uma atitude magnífica! Porquanto o evangelho de Jesus Cristo não consiste de uma inexpressiva proposição intelectual, e o destino de um homem impenitente não é uma questão de simples interesse acadêmico.

Por conseguinte, que haja lágrimas e não os que “arrancam lágrimas”; que haja persuasão e não as técnicas persuasivas. Em áreas não- espirituais, quando tratamos sobre algo que nos preocupa, lemos livros e manuais para aprender técnicas persuasivas, a fim de levarmos os indivíduos a tomarem decisões. Porém, na pregação, prefiro mais um pregador que chora e uma congregação de olhos enxutos do que o contrário. O pregador tem algo a respeito do qual pode chorar. Ele enxerga, ou deveria enxergar, como as pessoas realmente são, e sua tarefa consiste em transmitir o que vê. E neste processo talvez não seja capaz de controlar suas emoções.

O perigo das manipulações psicológicas não se limita às grandes concentrações de pessoas. As técnicas de evangelismo pessoal podem ser igualmente perigosas.

Vocês já se encontraram com pessoas que lhes perguntaram: “Oh! Será que passei pela experiência?” Ao questioná-las, vocês descobriram que elas haviam “aceitado o Senhor”, quando algum evangelista pessoal excessivamente zeloso apenas as pressionou demais. É verdade que alguns desses “convertidos” podem ser pessoas regeneradas que estão se afastando do Senhor. Mas estou igualmente certo de que a maioria destes casos resulta da “lavagem cerebral” evangelística aplicada por certos “obreiros pessoais”.

Parte de nossa dificuldade se origina de nosso desespero em busca de resultados. Os pastores que trabalham de “tempo integral” têm de provar que estão labutando de tal modo que merecem seu salário. São obrigados a obter resultados e se desesperam por desejarem ser bons agentes de vendas do seu produto. Os que estudam para o ministério evangélico tentam provar seu desempenho cristão (como alguns guerreiros índios provam sua masculinidade) arrancando alguns escalpos.

Ora, os resultados nos deixam perplexos. Não estou dizendo que não devemos ficar preocupados, quando as pessoas ao nosso redor não se deixam levar à salvação. De fato, neste caso deveríamos ficar extremamente preocupados. Entretanto, os resultados precisam ser genuínos, a fim de que tenham qualquer valor. É a regeneração que torna o pecador apto para o céu, e não a manipulação de uma conversão psicológica.

O que posso dizer sobre os motivos que tenho em mente, quando busco resultados? Eles se originam de um sincero interesse pelo meu próximo? Originam-se do amor de Cristo que me constrange? Anseio pela glória de Deus? Ou simplesmente estou procurando comprovar algo?

Via Voltemos ao Evangelho



Silêncio



As vezes para manter a PAZ no nosso coração,é preciso usar um poderoso aliado chamado silêncio: Quando alguém está irritado. Quando a maledicência nos procura. Quando a ofensa nos golpeia. Quando ouvimos uma calunia. Quando a ignorância nos acusa. Quando o orgulho nos humilha. Quando a vaidade nos provoca. O silêncio é a gentileza de perdão que se cala e espera o tempo, por isso é uma poderosa ferramenta para construir e manter a paz.

Ás vezes as palavras só atrapalham.

A Bíblia diz em Jó 2:13

“E ficaram sentados com ele na terra sete dias e sete noites;

e nenhum deles lhe dizia palavra alguma,

pois viam que a dor era muito grande.”


Em silêncio podemos mostrar respeito a Deus.

A Bíblia diz em Salmos 46:10

“Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus;

sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.”


O silêncio é parte da reverência.

A Bíblia diz em Habacuque 2:20

“Mas o Senhor está no seu santo templo;

cale-se diante dele toda a terra;

cale-se diante dele toda a terra.”

Ninguém é insubstituível- Diz Chico Anysio


Com a palavra, Chico Anysio. Veja a íntegra da entrevista no vídeo.



Ontem assistindo o Fantástico me emocionei com Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho, o nosso Chico Anysio, mestre do humor, o cearense que queria ser advogado, mas que, por causa de um par de tênis, ganhou o rádio, o teatro, a TV. Este ano, ele viu a morte de perto. Ontem assisti um homem praticamente saudoso, um homem que fez tanta gente sorrir e hoje em sua velhice, conta e se consola com seu passado.
Chico diz que é um deprimido, vai ao psiquiatra e diz que as três vezes que esteve em coma foi desenganado pelo médico, Deus tem sido bom com Chico. Lembrei-me de uma entrevista em que ele dizia não crer em Deus, me parece que Chico mudou de ideia pois ele agradece as preces do publico. Chico diz não ter medo da morte, apenas pena de não poder ver seus netos crescerem. E diz ainda que ninguém é insubstituível.
Paz e Bom dia a todos!


22 de agosto de 2011

Vaticano quer aliança com muçulmanos contra secularismo


"É nosso dever passar os
valores morais aos jovens"
O cardeal Jean-Louis Tauran (foto), presidente do Conselho para o Diálogo Inter-religioso, do Vaticano, enviou carta a líderes muçulmanos propondo uma aliança para enfrentar “os desafios do materialismo e da secularização”.

“Trata-se de uma realidade que cristãos e muçulmanos consideram ser de primordial importância”, escreveu o cardeal. “[...] Deus nos guia no nosso caminho!”

A carta foi enviada recentemente, ao final do Ramadan, que é um ritual de jejum dos muçulmano. Nela, Tauran escreveu que é “nosso dever” ajudar os jovens na descoberta dos valores “humanos e morais” e saber diferenciar “o bem e o mal”.

O “mal” no caso, conforme o cardeal deixa subentendido, é o secularismo, que, segundo ele, ameaça as atividades religiosas.

“Não podemos deixar de denunciar todas as formas de fanatismo e intimidação, os preconceitos e as polêmicas, bem como a discriminação de que, às vezes, os crentes são o objeto, tanto na vida social e política, bem como nos meios de comunicação de massa”, acrescentou.

A carta surpreende por dois motivos. Primeiro: Igreja Católica e Islã são rivais há pelo menos 13 séculos e a disputa de influência entre as duas religiões tem se acirrado nos últimos anos. Segundo: no ano passado, o Vaticano abriu um canal de diálogo com ateus e secularistas para que haja uma convivência pacífica.



Com informação do TwoCircles.net
Para cópia deste conteúdo, é obrigatória a publicação do link www.amigodecristo.com
Informações Paulo Lopes

21 de agosto de 2011

Existem contradições Bíblicas??

A inspiração reside na mensagem do texto bíblico.

E, mesmo com alguns problemas, a mensagem dos textos em sua totalidade não foram comprometidas. Isso pra mim basta para acreditar que a Bíblia é a Palavra de Deus.

Não há equívocos na mensagem central.

E a,í o que vocês acham?


Parte 1


Parte 2


Parte 3


19 de agosto de 2011

A Responsabilidade da escolha.



Por Rô Moreira.

Estive analisando a relação passada de um determinado casal de amigos enquanto esperava o sono chegar e pensei: "isso é munição para eu orar". Eles tiveram uma história linda, mas, por um breve descuido(Traição), tudo acabou. Na época eu não entendi, pois ao longo do caminhar eles sempre demonstraram um carinho muito grande um pelo outro, até mesmo durante o processo de separação, vindo mais tarde tomar conhecimento do que de fato aconteceu. Bom, o tempo passou e a minha amiga resolveu refazer a sua vida, ela encontrou uma pessoa muito bacana e quando faziam planos, já que ela se sentia novamente protegida como há tempos não se sentia, surge de forma repentina o seu ex. marido!

A cabecinha dela entrou em parafuso, pois ela estava lá, feliz da vida e cheia de planos. Aí, de repente aparece o seu ex buscando reconciliar-se com a mesma. Ela se treme toda, sente aquela dorzinha no peito e o coração palpitar. Diante destas duas realidades e após se recuperar do susto, ela pensou: o que eu faço agora? Será que vale a pena correr o risco e dar uma nova chance ?

A vida reserva surpresa a todos nós, e a vez de minha amiga havia chegado, então eu pensei: seria ótimo se existisse a resposta certa para cada determinado problema, mas, a vida não é tão simples assim, e neste caso deve-se pensar com muita responsabilidade, até porque, uma decisão errada pode por tudo a perder e às vezes não se tem mais tempo, energia e muito menos idade para consertar os erros do passado.

Bom, alguns disseram que ela deve deixar seu coração falar por si, mas não um coração enganoso a ponto de repetir os mesmos erros, mas um coração sem dúvidas, capaz de discernir o que passou e qual as reais intenções do seu ex..

Buscar saber por que ele voltou. Será que ele a quer realmente ou é porque não suportar vê-la novamente feliz reconstruindo a sua vida com outra pessoa? Ou seria fruto de uma saudade a ponto de querer reviver um passado mesmo que o amor já não exista mais? Ou realmente descobriu que a ama, que ela é a mulher da sua vida e se arrependeu?? Bom, independente de tudo isso, ela terá que decidir se deve ou não trocar sua felicidade do momento e se vale a pena por tudo a perder. Na vida sempre há escolhas a fazer , e todas devem ser bem analisadas.

Sinto muito por esta amiga, até porque respaldo bíblico ela teve de sobra para reconstruir sua vida. O problema é saber se realmente este relacionamento virou história em sua vida ou não.

E aí o que vocês acham?? será que ele se arrependeu mesmo? Será que ela deve dá mais uma chance a ele?? E Será que ela ainda o ama??

Que Deus a abençoe!.

Quem sou eu?



"Jesus Cristo, e não homem algum ou o Estado, é o nosso único Salvador" (Bonhoeffer).
"Quem sou eu?" é o título do último poema escrito pelo teólogo Dietrich Bonhoeffer. Um desses poucos cristãos que não serviu ao diabo e, por causa disso, pagou com a própria vida. Ele escreveu seu poema enquanto estava em sua cela em Berlim, aguardando sua execução. Qual o crime do teólogo cristão? Ter participado efetivamente de um complô para matar Hitler.
Encontrei esse poema de Bonhoeffer, quando li o livro "O Chamado", de Os Guiness. Um livro de cabeceira e que sempre releio para lembrar que o meu compromisso é para com Aquele que me chamou. Os Guiness nos lembra que Deus nos chamou não para fazermos alguma coisa, mas, primariamente, Deus nos chamou para Ele. A nossa identidade, quem nós somos, somente o podemos ser quando discernimos o chamado de Deus e o seguimos. Deus não nos chamou para algum trabalho (pastores, diáconos, bispos, missionários, pedreiros ou advogados) e nem para algum lugar (África ou alguma tribo indígena). O chamado de Deus é, antes de tudo, um chamado para Ele, "pois não existe chamado sem Alguém que chame". Os Guiness procura nos lembrar que "Chamado é a verdade de que Deus nos chama a si tão decisivamente que tudo o que somos, tudo o que fazemos e tudo o que temos é investido de dedicação, dinamismo e direção especial, vivido como resposta ao seu chamado e serviço". Então, quando Deus nos chama para nos relacionarmos pessoalmente com Ele, a partir daí todas as esferas da nossa vida são invadidas pela responsabilidade de termos sido chamados por Deus para Deus - e esta é a nossa identidade. Os Guiness também relembra as palavras de Václav Havel, Presidente da República Livre Tcheca e opositor do autoritarismo soviético: "Responsabilidade na verdade estabelece a identidade, mas não somos responsáveis em razão de nossa identidade; temos identidade porque somos responsáveis". Assim, "O Chamado" é um livro que fala sobre a nossa responsabilidade humana para com o outro, uma responsabilidade que nasce quando somos convencidos pelo poder do Espírito Santo de que temos sido "chamados para ser".

"O Chamado" é um alerta sobre o que nos têm faltado à fé individual: TOTALIDADE.

"O problema dos cristãos ocidentais não é que não estejam onde deveriam estar, mas que não são o que deviam ser onde estão", diz Os Guiness.

Antes de apresentar o poema de Bonhoeffer, o autor do livro ainda escreve: "Somente quando respondemos a Cristo e seguimos seu chamado é que nos tornamos quem somos de verdade, com personalidade própria. No que concerne a identidade, as pessoas modernas viraram completamente as coisas: professam estar incertos quanto a Deus, e fingem ter certezas de si mesmas. Os seguidores de Cristo colocam as coisas em outra perspectiva: Incertos de nós mesmos, temos certeza de Deus".

Quem sou eu?


Quem sou eu? Muitas vezes eles me dizem
que eu sairia da prisão da minha cela
calma, alegre, firmemente,
como um lorde sairia de sua casa de campo.

Quem sou eu? Muitas vezes eles me dizem
que eu poderia conversar com os guardas da minha prisão
com liberdade e amizade e clareza,
como se fosse eu a comandá-los.

Quem sou eu? Eles também me dizem
que eu suportaria os dias de meu infortúnio
com equidade, sorrindo, orgulhoso,
como quem está acostumado a vencer.

Sou então realmente tudo o que os outros homens dizem?
Ou sou apenas o que conheço de mim mesmo?
Inquieto, carente e doente, como ave engaiolada,
lutando para respirar, como se mãos estivessem
apertando minha garganta,
faminto de cores, de flores, de vozes de aves,
sedento de palavras de bondade, de bons vizinhos,
tremendo de ira com o depotismo e humilhação mesquinha,
enlevado pela perspectiva de grandes eventos,
sem forças, sofrendo por amigos em distância infinita,
cansado e vazio de oração, de pensar, de fazer,
desmaiando e pronto para dizer adeus a tudo.

Quem sou eu? Este ou o outro?
Sou eu hoje uma pessoa e amanhã serei outra?
Sou ambos de uma só vez? Hipócrita perante os outros
e diante de mim um fraco desprezível e desastrado?
Ou existe algo em mim ainda como um exército vencido,
fugindo em desordem da vitória já atingida?

Quem sou eu? Elas zombam, essas minhas perguntas solitárias.
Quem quer que eu seja, Tu sabes, ó Deus, que sou Teu.

Dietrich Bonhoeffer


"Você quer ser dEle, inteiramente dEle, a todo custo dEle, e para sempre dEle a fim de que todas as coisas secundárias permaneçam secundárias e as primárias estejam sempre em primeiro lugar? Ouça a Jesus de Nazaré, responda seu chamado" (Os Guiness)

Casal 20

15 de agosto de 2011

E se você rir ao ouvir a minha história triste?


Lembro de ter cursado uma disciplina sobre humor, chistes e piadas há muito tempo na UNB. Discutia-se a partir da leitura textos de um dramaturgo (que não me lembro mais quem era) e de uma obra de Freud sobre esse tema. O ponto do curso era exatamente este: “o que nos faz rir? O que nos faz rir do outro e de nós mesmos?” Porque, embora pareça que o humor seja algo universal (e é!), certamente ele está condicionado às culturas específicas de cada povo mundo à fora. Assim, pode ser que algo que faça alguém chorar aqui no Brasil seja ridículo noutra cultura e vice-versa. E mesmo dentro de uma mesma cultura, há uma série de elementos objetivos e subjetivos, que podem fazer com que as pessoas reajam de maneira diferente umas das outras em relação à alguma piada, provocação ou sátira. Por exemplo, a imagem que abre este post é uma boa maneira de vermos como o humor é algo muito mais complexo do que podemos imaginar. A fonte da piada na imagem acima é uma tragédia para milhares de famílias que foram atingidas naquele 11 de setembro. Para mim, portanto, é uma piada de péssimo gosto (ainda que se queira justificá-la pelo fato dela se encontrar na categoria de "humor negro").

No livro chamado “Totem da Paz”, Don Richardson narra sobre um povo da Papua Nova-Guiné que fora apresentado ao Evangelho na língua materna deles. Um povo que nunca antes ouvira falar das histórias de Jesus. Don Richardson se empenhou para fazer o seu melhor na arte de contação das histórias do Evangelho. O povo ouviu atento e compreendeu todas as palavras na sua própria língua. Contudo, ao fim de tudo, o inesperado aconteceu. Após a morte de Jesus na Cruz o povo revela o grande herói do Evangelho: Judas Iscariotes! Eles se maravilharam com a sagacidade e inteligência daquele que tão bem enganara o seu melhor amigo! Daqui, dessa situação vivida por Don Richardson, surge um humor involuntário.

Mas não foi só na Papua Nova-Guiné que a mensagem do Evangelho se viu distorcida. Quem já viu o filme “A última tentação de Cristo” (Martin Scorcese) sabe bem do que eu estou falando. Ora, quem é o grande herói naquele filme? Quem, no filme, está totalmente consciente da missão de Jesus, enquanto o próprio Jesus se apresenta como um tolo, um fraco, titubeando entre o que deve e o que não deve fazer? O grande herói no filme de Scorcese é Judas Iscariotes, que impulsiona, motiva, impele Jesus à missão que era seu destino. Ao contrário daquele povo de Papua Nova-Guiné, Scorcese está muito bem consciente do que está fazendo. Sua teologia é imoral e confrontadora. O humor de Scorcese nasce do escândalo, do escracho, do deboche caricatural. Scorcese vive numa cultura que, historicamente, já possui referências suficientemente assentadas contra as quais ele pode se insurgir. O humor dele, portanto, é de natureza semelhante ao da imagem que abre este post. Ver o Jesus de Scorcese apanhando na cabeça pelas "mãos proféticas" de Judas Iscariotes é puro acinte.




Don Richardson
Já aquele povo apresentado por Don Richardson não tinha referência alguma sobre cristianismo e, por isso mesmo, não estava contestando, afrontando ou zombando do Evangelho. Eles estavam interpretando a história usando a única referência que dispunham para que aquela narrativa fizesse sentido para eles: a referência de sua própria cultura. E na cultura deles, veja só, o herói era quem melhor soubesse enganar o outro, conquistando a amizade e depois inferindo a traição pacientemente planejada, que levaria o amigo à morte numa armadilha fatal! Quanto mais amigo você fosse do traído mais ovacionado naquela cultura você seria!

Perceba a seriedade da evangelização que cabe à Igreja nesta reta final antes do retorno de Jesus. Podemos falar a mesma língua, contar a história nos utilizando de todos os detalhes linguísticos e gestuais, podemos até mesmo nos valer de recursos áudio-visuais, mas, ainda assim, podemos fazer o outro rir quando a nossa intenção era exatamente o contrário. Imagine a cena: a notícia da morte de Jesus trazendo alegria (não por ter ela significado o perdão dos nossos pecados), mas porque era o triunfo final de Judas Iscariotes, o esperto!

Escrevo tudo isso para mostrar que precisamos estar preparados para ensinar aquilo que pregamos. O IDE de Jesus só é completo se, indo, ensinarmos tudo o que nos foi ensinado! Não podemos simplesmente deixar narrativas, livros, histórias, filmes e músicas (ainda que na própria língua do povo-alvo ou num estilo musical culturalmente agradável ao ouvinte), se não investirmos também o tempo necessário para que todo o conselho de Deus encontre as referências necessárias dentro do coração do outro. Evangelizar é semear, adubar, regar, proteger, cuidar, etc, etc. Evangelizar é, neste sentido, andar uma vida com alguém!

Paciente leitor, um último exemplo. Eu conheço um povo indígena do Brasil que se reúne tradicionalmente para ouvir dois tipos de histórias bem diferentes. O primeiro tipo são histórias sobre as origens, aquelas que contam sobre o início de todas as coisas, sobre os “patriarcas” do povo e, por isso mesmo, são de natureza séria, respeitosa, reverente: são as narrativas dos chefes, dos velhos, dos antepassados, enfim, são narrativas verdadeiras. Agora, o outro grupo de narrativas é aquele que conta histórias irreverentes, histórias de não-verdade, em que o humor, a graça e o riso surgem de situações em que se quebram as regras, se quebram os tabus do povo, acontecem as traições, os casos de infidelidade, os castigos e punições... Percebeu o problema cultural em contarmos sobre a narrativa bíblica da Queda numa cultura assim? O ouvinte vai achar bom, vai achar graça na punição, vai dizer “bem feito” e ainda rir, contudo a percepção da gravidade do que está acontecendo na história pode não ocorrer, porque é uma história que, dentro da cultura deles, apresenta características típicas de “narrativas de não-verdade”. Serão, portanto, apenas histórias para divertir, narrativas de entretenimento. Estas histórias de não-verdade são aquelas em que um engana o outro, mente, passa para trás, deita com a mulher do melhor amigo, etc. Agora, para povos assim, como serão recebidas as histórias de Abraão e Davi? Certamente, à semelhança do povo de Papua Nova-Guiné, essas narrativas serão também compreendidas à luz da própria cultura. Serão ouvidas como histórias de não-verdade e serão assimiladas culturalmente como entretenimento, mas não como ensinamento, aviso, profecia. Enfim, o aspecto moral das narrativas é escoado na vala da própria cultura. Então, o que fazer quando a minha história triste faz o outro rir (ou vice-versa)?

Bem, Don Richardson abandonou tudo o que vinha fazendo até então e procurou um outro caminho, uma chave, um “abridor de olhos” dentro da cultura daquele povo em Papua Nova-Guiné. Um ponto de referência dentro da cultura deles que pudesse fazer algum contato que possibilitasse a compreensão do Evangelho. E, pela Graça de Deus, ele encontrou um ponto de contato e, finalmente, o Evangelho fez sentido para aquele povo (não vou contar, leia o livro, é muitíssimo interessante). Contudo, esta “referência” pode não existir em todas as culturas ou já estar tão contaminada pelo pecado que seja simplesmente impossível usá-la. Ainda assim, seja qual for o ponto de contato encontrado, nada melhor do que o velho e bíblico método de andar junto com o povo, andar ao lado do outro e torná-lo meu próximo. Observá-lo, conhecê-lo, sentar, ensinar e aprender com ele também. Enfim, é preciso orar e aguardar que a nossa responsabilidade em querer fazer a coisa certa, mais cedo ou mais tarde, seja recompensada com o derramar do Espírito Santo que fará germinar a semente que com todo amor, zelo e carinho saímos a semear.


Casal 20

14 de agosto de 2011

Lana Holder debochando da igreja Assembleia de Deus e da IPDA!




A pastora Lanna Holder fundadora da igreja Comunidade Cidade Refúgio, destinada ao grupo LGBT (Lanna assumiu publicamente sua relação homossexual com a cantora e pastora Rosania Rocha), fez uma pregação recentemente debochando dos usos e costumes de igrejas pentecostais como Assembleia de Deus e Deus é Amor.
Em seu discurso ela recorda de situações cômicas que aconteceram quando ela ainda era da AD, chegando a dizer que foi “colocada em disciplina” por ter levado os jovens de sua igreja para o parque de diversões e também por levá-los a uma cachoeira.

“Eu falei para ele [para o pastor], o senhor me mostra onde está escrito na Bíblia ‘não andaras de roda gigante’?”, disse ela relembrando a conversa que teve com o pastor assembleiano.
Enquanto os membros da igreja davam risada sobre essas situações, a ex-missionária zombava até dos dons de línguas fingindo que estava no “mistério”.

“Nós crescemos debaixo de um sistema opressor”, disse ela se referindo aos usos e costumes. “Não estou falando mal da Assembleia estou falando do sistema”. Para ela usos e costumes é diferente de doutrina.
Nessa pregação ela também cita uma mulher que antes de fazer parte da Cidade Refúgio era membro da Deus é Amor, e Lanna diz que no ministério de Davi Miranda tomar banho com sabonete é pecado.
O vídeo foi postado pelo usuário MineirissimoBH que fez uma série de anotações com passagens bíblicas mostrando as contradições do discurso da pastora lésbica.
Assista:
Fonte amigo de Cristo


Penso eu que se estamos dentro de um ministério em que há costumes é por obediência, até porque, quem obedece tem o Espírito de Deus, conhece a graça de Deus. Já os rebeldes? Não. São filhos das trevas. Assim eu creio. Como pode alguém viver dentro da igreja como ela vivia no pecado caindo e levantando e todos tinham uma paciência de Jó com ela e hoje ela vive na depravação total e ainda debocha do costume da igreja??

Lanna vivia no pecado e ainda vive, mas mudou seu enredo para poder permanecer do jeito que quer.


13 de agosto de 2011

O que as mulheres desejam em um homem??

Por Rô Moreira


Existem mulheres de todas as etnias e raças, que sempre foram influenciadas pelo seu tempo e também pelas culturas das mais variadas, umas com imposições machistas e outras já liberadas. Em nosso país, um povo miscigenado e misturado à cultura de quase todos os povos, conseguiu criar um perfil bem atualizado da figura da mulher onde a mesma busca o seu espaço no mercado de trabalho e também a maternidade.

Ao conciliar momentos distintos a mulher brasileira se sai em número, gênero e grau, muito melhor do que qualquer mulher do mundo e aqui se encontra de tudo, ao gosto do freguês. Nesta relação romântica entre os sexos, busca-se uma saída plausível para todos os gostos, a mulher quer a independência do homem, enquanto ele a quer nas mãos. Uns acham que elas devem dividir as despesas, outros só querem ter paz para viver com alegria.

Atualmente a mulher tem se destacado em várias áreas da sociedade, e isto também tem perturbado alguns homens, enquanto elas estudam e vão em frente, muitos homens preferem desistir pelo caminho e depois vivem a reclamar.

Não quero dizer que o meu texto seja uma resposta ao mano Cláudio, pois ultimamente temos tido algumas mulheres que tem envergonhado a classe, umas são beberronas, outras exigentes por excelência, sem falar nas aproveitadoras, aquelas que não constroem nada e depois buscam se escorar num homem qualquer, sem ter algum sentimento por ele, e isso é deprimente.

Busquei refletir para saber de fato o que realmente as mulheres desejam de um homem. Estas são algumas características importantes para as mulheres.

Bom, penso eu que toda mulher deseja um homem inteligente, viril, com a essência de um homem sensível, cavalheiro e compreensivo. Homem romântico e que faça elogios, que preste atenção quando ela quer ser ouvida, que a entende apenas com um olhar e diga sempre: “ eu te amo e como você esta linda”. Que seja protetor, que saiba pedir ajuda e tenha um bom senso de humor, que seja batalhador, que seja conquistada todo dia por ele, que saiba se expressar bem. Que seja um pouco rústico e não precisa ser de padrão de beleza exemplar, mas que não seja fresco e que chore junto com ela transmitindo segurança, que seja higiênico estando sempre cheiroso, que não seja nenhum ogro, e que não fale mal dela pelas costas e por aí vai, ufa!

Na verdade eu creio que a mulher deseja e espera de um homem, veja bem, estou falando “daquelas que andam a procura de um companheiro para viverem juntos” um amor abençoado por Deus até que a morte os separe.

Em resumo, acredito que as mulheres em geral buscam ter um relacionamento de amor sólido, elas querem ser amadas. Querem respeitar e serem respeitadas, não querem relacionamentos vap vupt. Elas querem ter um homem para envelhecer ao seu lado, querem que eles as garantam uma vida tranquila sem se preocupar em ter que trabalhar a vida toda para ajudar em casa. Querem homens responsáveis, pois muitas no fundo não querem ser independente a vida toda. Querem alguém que cuide delas e que as ponham no colo quando precisarem e que as digam: “eu vou te amar o resto da minha vida, pode confiar”. Querem um homem que cumpram com o prometido. Homens idôneos e confiáveis, que decidam por elas, pela família e por Deus. Paz


Amo esta canção com Kim (Banda Catedral), espero que gostem.


12 de agosto de 2011

Vamos conversar??


Por Rô Moreira

Sei o quanto é desgastante ter um dr, pois sempre acabamos no mesmo assunto intediante, cansativo e muitas vezes não dar em nada.. É sempre bom ter uma boa conversa com o parceiro(a).

Bom, pra início de conversa nunca chame o seu companheiro para um dr. Pois ele se sentirá apavorado, pois esta palavra assusta qualquer um, sendo assim ele logo acionará suas defesas, sabe como é, a melhor defesa, é o ataque, isso quando na maioria das vezes nem sabe do que se trata o coitado, ou sabe e se faz de desentendido, mas isso você logo perceberá.

E aí como fazer então?? Fingir que nada esta acontecendo?? Empurrar o problema com a barriga para depois colocar debaixo do tapete? “Deixar rolar para ver no que vai dar??” Não, a melhor coisa a fazer é chamar a atenção para o problema sem assustar é claro.
Não é bom deixar acumular problemas, a melhor coisa é resolver um de cada vez sempre que ele surgir. A primeira coisa é não ser impaciente, tente compreender a visão do companheiro, pergunte e nem pense em reagir com indignação por qualquer coisa. Sei o quanto é difícil para uma mulher se calar é claro, mas as vezes o que é importante para nós não tem a mínima importância para eles,tais como: não deixar a “toalha molhada” encima da cama, não deixar a “cueca” pendurada no banheiro, ou levantar a tampa do vaso quando for fazer xixi, nos deixar falando sozinhas, não reparar no corte novo de cabelo, se você esta mais magra ou gorda, ou saiu sem avisar, não quer sair contigo para fazer compras, pois odeiam ficar esperando.

Saiba que tem coisas que você nunca deve dizer a um homem durante uma discussão de relação, por exemplo: (Você está me escutando?) E em nenhuma hipótese, diga (Eu te falei que era melhor perguntar mas você não me ouve), E quando ele esta assistindo seu time “Botafogo”jogar nem pense em mudar de canal e nunca diga (Não, não foi bem assim) quando ele estiver conversando com os amigos. Você está com ciúme?? nem pensar rss.

Nunca diga.”Eu te avisei” isso (quando ele vacila), então, essas coisas da pra passar. Mas tem coisas que não da pra passar mesmo. Como é claro,quando passa uma mulher e os olhos do individuo segue a mesma a todo o momento, aí não da, não há cristã que aguente rs.

Bom todos dizem que mulher é tagarela, isso porque não conseguem se calar diante de algo que as incomodam, elas expressam seus sentimentos com mais naturalidade, já os homens apesar de também terem grandes expectativas em relação à companheira evitam comentar o assunto. Os homens desde criança aprendem que devem guardar para si seus sentimentos, pois homem não chora, isso os faz passar uma imagem de durão, já as mulheres ao contrário, são mais emocional por isso ha uma facilidade de por a conversa em dia. Sendo assim ela é que sempre toma a iniciativa de conversar parecendo que o dilema é só dela e nunca do casal.

Sabemos que alguns assuntos são bastante complicados tais como, falar de família por exemplo, tome cuidado porque pode irritar. E se ele estiver desempregado não pressione, pois ele vai se sentir humilhado, justamente quando precisa de apoio. Pois não a nada pior para o homem do que quando o dialogo vira cobrança. É horrível quando em vez de solicitar o que deseja, alguém acusa o outro que deve. Todo casal cobra muito um do outro e sempre acham que não devem nada. Porém, se essa situação não se resolver com um bom bate papo e você se sente praticamente sozinha tentando e carregando o outro nas costas será necessário tomar uma decisão – nem tudo se resolve só com um papo. Então em vez de reclamar mil vezes do mesmo assunto, ore, coloque diante de Deus, pois só ele pode resolver situações que não conseguimos por nós mesmo é melhor conversar com Ele (Deus) e com seu parceiro(a) como adultos, nunca fugindo do diálogo para que o barco não venha afundar de vez, saiba que isso ajuda muito. Paz!

8 de agosto de 2011

Será que você gosta mesmo de homem?? desabafo de um homem em relação as mulheres..





Cada dia mais vejo mulheres surtadas que dizem gostar de homem, mas em suas descrições do que seja um homem, mostram a completa ignorância em suas construções mentais do que seja um homem.

A ilusão do que chamam de homem, sem porém, que este “homem” exista na vida, no real, tem deixado multidões de mulheres solitárias, solteiras, divorciadas, frustradas e infelizes, e assim vão empurrando a vida com a barriga e aguardando o que julgam ser um homem, sem que seja.

Homem não abana o rabo pra dona quando esta o ignora, não faz festinha pra ela quando ela o deixa sem comer o dia todo, não fica deitado no seu cantinho esperando a boa vontade dela em dar-lhe atenção. Homem não é cachorro, homem pensa, sente, enxerga, vê, julga, ama, odeia, chora, sorri, sofre, fala, divorcia-se, e é exatamente isto que inúmeras mulheres não sabem. Por isto inúmeros homens têm desistido das mulheres e passaram apenas a consumi-las, a usá-las, sem jamais amá-las.

Antigamente o machismo explorou, humilhou, maltratou e escravizou as mulheres, a misoginia já foi moda; hoje a misandria, ou seja, o ódio e a aversão ao sexo masculino, reina, está na moda, é chique, é culto, é coisa de mulher resolvida. Apenas esqueceram de dizer-lhes que pode ter aparência de resolvida, mas a solidão dorme com elas.

Algumas pensam que sua beleza e seus dotes sinuosos têm o poder de seduzir eternamente algum idiota, esquecem-se que a dependência masculina pelo feminino não é sexual, já que nas esquinas da vida encontramos mulheres belíssimas, que dão de um milhão a zero na média de beleza feminina que não se vende nas esquinas, por míseros R$ 35,00. Qualquer pé rapado pode ter sexo de qualidade e barato.

Somos instruídos pela Palavra de Deus a não nos colocarmos em jugo, canga desigual, por isto antes não deu certo, quando os misóginos colocavam-se em jugo desigual com as mulheres, eles podiam tudo e elas não podiam nada. Muito bem, hoje, elas que querem todos os direitos, elas podem, elas desejam, elas fazem e acontecem, e os homens ou se adaptam à loucura delas ou caem fora, pois bem, vocês estão ficando sozinhas e têm sofrido de solidão, continuem assim, sonhando com um homem que NUNCA existiu e que JAMAIS existirá que permanecerão solteironas, frustradas e infelizes.

Homem é assim: prático, lógico, determinado, não gosta de frescuras, tem pêlo, pega com força, vive no cio, separa amor de sexo sempre, deseja todas ao mesmo tempo mesmo amando uma só. Quer uma mulher fiel, dedicada, tarada, sensata, qualidades dificílimas numa única mulher.

O desejo insano feminino criou o ideal de um homem que não tem nem no céu: rico, bonito, inteligente, culto, sábio, poderoso, amoroso, atlético, sensível, sem pêlos, que deseje sexo só uma vez no mês, que entenda todas as loucuras femininas, que seja carinhoso, compreensivo em meio às idiotices e TPMs femininas, que as entendam e as amem sempre, todos os dias.

Lamento informá-la, mas se você se enquadra neste perfil, você não gosta de homem, você gosta de cachorrinho, vá ao pet shop e compre um e seja feliz.

Antes de me xingar, ao menos pense!

Cláudio Nunes Horácio

E aí, isso procede rss?? O que vocês mulheres acham disso. Paz!

A indústria da beleza



Por Rô Moreira

“O coração alegre aformoseia o rosto...” (Provérbios 15:13).

Olá gente, hoje eu queria falar sobre a industria da beleza e analisar até que ponto uma mulher pode ir para se sentir bem consigo mesma. Quando se está bem por fora a tendencia é melhorar muito o interior.
Concordo quando se busque melhorar a imagem. Mas, até onde podemos ir para chegarmos ao padrão de beleza que nos faça bem?? Toda mulher reclama do seu corpo, toda mulher passa por mudanças que ocorrem ao longo dos anos. A gravidez destroe qualquer silhueta e auto estima, mas graças a Deus que hoje podemos concertar tudo o que foi destruido por ela ou com o tempo.
Hoje a mulher pode se sentir bem com o auxilio de cirurgias plásticas, existem silicones que estão sendo colocados em várias partes do corpo. É possível ter um bumbum arrebitado, seios do tamanho que desejar. Enfim, a industria da beleza avançou muito com o intuito de fazer a mulher feliz.
Mas o problema maior não é a plástica em si, nem a vontade da mulher de buscar um determinado padrão de beleza, mas, a sociedade tem cobrado um padrão de beleza que muitas não conseguem financiar. Tudo isso é lançado na mídia como propaganda dizendo que é para mulher se sentir melhor, como se fosse suficiente somente ter uma boa aparência.
É claro que eu concordo com as pessoas que podem pagar um bom profissional. Se puder colocar tudo no lugar excelente, mas existem também outros meios para se cuidar. "fazer caminhadas, ir a Academia, usar bons produtos ( cosméticos) tudo isso ajuda muito. Eu frequento Academia e procuro me cuidar, não pela aparência em si, mas pela minha saúde, até porque a vida não se resume apenas na aparência. Sabemos que para uma mulher se sentir bem, ela só precisa de: estar bem consigo mesma, estar bem com a sua família, com o seu amor e com todos ao seu redor. Mas sabemos também, que muitos não querem ser amigos dos que não se cuidam, aquelas que andam desleixadas.
Contudo penso, até que ponto podemos ir?? Todas querem se sentir bem, pois é muito bom se olhar no espelho e se agradar do que está vendo. Mas quando se olha e nunca se sente satisfeita com o que vê?? O que dizer destas pessoas que deixam de comer para ter um corpo legal, e chega ao ponto de não sentir mais fome, tornando-se uma doente psicológica e fisicamente. Pessoa que se olha no espelho e nunca se agrada do que vê, continua se vendo feia, gorda, e por aí, vai....
Queridos, a industria da beleza escraviza, adoece a mente e o corpo levando a morte.
Resumindo. Sabemos que é muito bom se sentir linda , realaçando a beleza da mulher, é bom nos presentearmos de vez enquanto com bons produtos e se puder fazer cirurgia e tiver coragem para isso também é muito bom. Mas não esqueçam, a beleza vem de dentro para fora, se você não se sentir bem por dentro por mais que você se maquie, seu rosto continuará abatido, pois a alegria do coração é que aformoseia o rosto, não adianta fazer caminhada, nem perder peso a ponto de adoecer e até morrer pois sempre estará insatisfeita.
Aí, eu pergunto? Até onde a mulher pode ir para se sentir feliz e bem consigo mesma?
O que a faz feliz ??
Dá para ver como a mídia manipula a mente das mulheres que na luta pela beleza, perdem para a bulimia, anorexia e a morte.


assistam o vídeo abaixo. Paz!







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...